Pois em lugar de meu pão vem o meu suspiro, e os meus gemidos se derramam como água.

Então contarias os meus passos; não estarias a vigiar sobre o meu pecado;

De longe trarei o meu conhecimento, e ao meu criador atribuirei a justiça.

vê-lo-ei ao meu lado, e os meus olhos o contemplarão, e não mais como adversário. O meu coração desfalece dentro de mim!

O meu espírito está quebrantado, os meus dias se extinguem, a sepultura me está preparada!

Ó terra, não cubras o meu sangue, e não haja lugar em que seja abafado o meu clamor!

Eis que os meus olhos viram tudo isto, e os meus ouvidos o ouviram e entenderam.

As minhas palavras declaram a integridade do meu coração, e os meus lábios falam com sinceridade o que sabem.

Os meus dias passaram, malograram-se os meus propósitos, as aspirações do meu coração.

Disse o Senhor a Satanás: Notaste porventura o meu servo Jó, que ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, que teme a Deus e se desvia do mal?

Deus macerou o meu coração; o Todo-Poderoso me perturbou.

se os meus passos se têm desviado do caminho, e se o meu coração tem seguido os meus olhos, e se qualquer mancha se tem pegado às minhas mãos;

Sucedeu pois que, acabando o Senhor de dizer a Jó aquelas palavras, o Senhor disse a Elifaz, o temanita: A minha ira se acendeu contra ti e contra os teus dois amigos, porque não tendes falado de mim o que era reto, como o meu servo Jó.

Se o meu coração se deixou seduzir por causa duma mulher, ou se eu tenho armado traição à porta do meu próximo,

também pões no tronco os meus pés, e observas todos os meus caminhos, e marcas um termo ao redor dos meus pés,

sobrevieram-me o espanto e o tremor, que fizeram estremecer todos os meus ossos.

Os meus parentes se afastam, e os meus conhecidos se esquecem de, mim.

Então dizia eu: No meu ninho expirarei, e multiplicarei os meus dias como a areia;

Não vê ele os meus caminhos, e não conta todos os meus passos?

para te informares da minha iniqüidade, e averiguares o meu pecado,

Embora haja eu, na verdade, errado, comigo fica o meu erro.

Sobre isso também treme o meu coração, e salta do seu lugar.

enquanto em mim houver alento, e o sopro de Deus no meu nariz,

De mágoa se escureceram os meus olhos, e todos os meus membros são como a sombra.

Quem dera que se cumprisse o meu rogo, e que Deus me desse o que anelo!

Seja como o ímpio o meu inimigo, e como o perverso aquele que se levantar contra mim.

então semeie eu e outro coma, e seja arrancado o produto do meu campo.

Porque não sei usar de lisonjas; do contrário, em breve me levaria o meu Criador.

Farás tu vão também o meu juízo, ou me condenarás para te justificares a ti?

ou se tenho comido sozinho o meu bocado, e não tem comido dele o órfão também

Os meus amigos zombam de mim; mas os meus olhos se desfazem em lágrimas diante de Deus,

Tomai, pois, sete novilhos e sete carneiros, e ide ao meu servo Jó, e oferecei um holocausto por vós; e o meu servo Jó orará por vós; porque deveras a ele aceitarei, para que eu não vos trate conforme a vossa estultícia; porque vós não tendes falado de mim o que era reto, como o meu servo Jó.

Disse o Senhor a Satanás: Notaste porventura o meu servo Jó, que ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, que teme a Deus e se desvia do mal? Ele ainda retém a sua integridade, embora me incitasses contra ele, para o consumir sem causa.

Há iniqüidade na minha língua? Ou não poderia o meu paladar discernir coisas perversas?

Quantas iniqüidades e pecados tenho eu? Faze-me saber a minha transgressão e o meu pecado.

Eis que agora mesmo a minha testemunha está no céu, e o meu fiador nas alturas.

Estou ouvindo a tua repreensão, que me envergonha, mas o espírito do meu entendimento responde por mim.

Se desprezei o direito do meu servo ou da minha serva, quando eles pleitearam comigo,

então caia do ombro a minha espádua, e separe-se o meu braço da sua juntura.

Porquanto Deus desatou a minha corda e me humilhou, eles sacudiram de si o freio perante o meu rosto.

Se eu tenho andado com falsidade, e se o meu pé se tem apressado após o engano

Ainda hoje a minha queixa está em amargura; o peso da mão dele é maior do que o meu gemido.

Eis que o meu peito é como o mosto, sem respiradouro, como odres novos que estão para arrebentar.

Se eu disser: Eu me esquecerei da minha queixa, mudarei o meu aspecto, e tomarei alento;

O meu rosto todo está inflamado de chorar, e há sombras escuras sobre as minhas pálpebras,

O meu hálito é intolerável à minha mulher; sou repugnante aos filhos de minha mãe.

Ali o reto pleitearia com ele, e eu seria absolvido para sempre por meu Juiz.

Pois não estou desfalecido por causa das trevas, nem porque a escuridão cobre o meu rosto.

quando o Todo-Poderoso ainda estava comigo, e os meus filhos em redor de mim;

as minhas raízes se estendem até as águas, e o orvalho fica a noite toda sobre os meus ramos;