e todos os que a ouviram se admiravam do que os pastores lhes diziam.

Quando os pastores viram o que acontecera, fugiram, e foram anunciá-lo na cidade e nos campos.

Ora, havia naquela mesma região pastores que estavam no campo, e guardavam durante as vigílias da noite o seu rebanho.

E logo que os anjos se retiraram deles para o céu, diziam os pastores uns aos outros: Vamos já até Belém, e vejamos isso que aconteceu e que o Senhor nos deu a conhecer.

E voltaram os pastores, glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, como lhes fora dito.

Pois o próprio Davi diz no livro dos Salmos: Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita,

Disse então o senhor da vinha: Que farei? Mandarei o meu filho amado; a ele talvez respeitarão.

E donde me provém isto, que venha visitar-me a mãe do meu Senhor?

e o meu espírito exulta em Deus meu Salvador;

E chamando a si cada um dos devedores do seu senhor, perguntou ao primeiro: Quanto deves ao meu senhor?

Assim me fez o Senhor nos dias em que atentou para mim, a fim de acabar com o meu opróbrio diante dos homens.

Disse, pois, o mordomo consigo: Que hei de fazer, já que o meu senhor me tira a mordomia? Para cavar, não tenho forças; de mendigar, tenho vergonha.

E da nuvem saiu uma voz que dizia: Este é o meu Filho, o meu eleito; a ele ouvi.

Mas, se aquele servo disser em teu coração: O meu senhor tarda em vir; e começar a espancar os criados e as criadas, e a comer, a beber e a embriagar-se,

Zaqueu, porém, levantando-se, disse ao Senhor: Eis aqui, Senhor, dou aos pobres metade dos meus bens; e se em alguma coisa tenho defraudado alguém, eu lho restituo quadruplicado.

Disse então: Farei isto: derribarei os meus celeiros e edificarei outros maiores, e ali recolherei todos os meus cereais e os meus bens;

Ia, pois, Jesus com eles; mas, quando já estava perto da casa, enviou o centurião uns amigos a dizer-lhe: Senhor, não te incomodes; porque não sou digno de que entres debaixo do meu telhado;

Ele, porém, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: E quem é o meu próximo?

Replicou-lhe o pai: Filho, tu sempre estás comigo, e tudo o que é meu é teu;

por que, pois, não puseste o meu dinheiro no barco? então vindo eu, o teria retirado com os juros.

Disse ele então: Rogo-te, pois, ó pai, que o mandes à casa de meu pai,

pois os meus olhos já viram a tua salvação,

pois que um amigo meu, estando em viagem, chegou a minha casa, e não tenho o que lhe oferecer;

Digo-vos, amigos meus: Não temais os que matam o corpo, e depois disso nada mais podem fazer.

Semelhantemente, depois da ceia, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo pacto em meu sangue, que é derramado por vós.

e sereis odiados de todos por causa do meu nome.

Havia também naquela mesma cidade uma viúva que ia ter com ele, dizendo: Faze-me justiça contra o meu adversário.

Jesus, clamando com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, havendo dito isso, expirou.

Levantar-me-ei, irei ter com meu pai e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e diante de ti;

Este é aquele de quem está escrito: Eis aí envio ante a tua face o meu mensageiro, que há de preparar adiante de ti o teu caminho.

E direis ao dono da casa: O Mestre manda perguntar-te: Onde está o aposento em que hei de comer a páscoa com os meus discípulos?

por isso nem ainda me julguei digno de ir à tua presença; dize, porém, uma palavra, e seja o meu servo curado.

Todas as coisas me foram entregues por meu Pai; e ninguém conhece quem é o Filho senão o Pai, nem quem é o Pai senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar.

e assim como meu Pai me conferiu domínio, eu vo-lo confiro a vós;

E eis que um homem dentre a multidão clamou, dizendo: Mestre, peço-te que olhes para meu filho, porque é o único que tenho;

Disse-lhe alguém dentre a multidão: Mestre, dize a meu irmão que reparte comigo a herança.

Quem não leva a sua cruz e não me segue, não pode ser meu discípulo.

e o Espírito Santo desceu sobre ele em forma corpórea, como uma pomba; e ouviu-se do céu esta voz: Tu és o meu Filho amado; em ti me comprazo.

E tomando pão, e havendo dado graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que é dado por vós; fazei isto em memória de mim.

E por que me chamais: Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu vos digo?

Responderam eles: O Senhor precisa dele.

E a outro disse: Segue-me. Ao que este respondeu: Permite-me ir primeiro sepultar meu pai.

Respondeu o Senhor: Qual é, pois, o mordomo fiel e prudente, que o Senhor porá sobre os seus servos, para lhes dar a tempo a ração?

e ele arrazoava consigo, dizendo: Que farei? Pois não tenho onde recolher os meus frutos.

Respondeu então ele: Acautelai-vos; não sejais enganados; porque virão muitos em meu nome, dizendo: Sou eu; e: O tempo é chegado; não vades após eles.

e para proclamar o ano aceitável do Senhor.

Prosseguiu o Senhor: Ouvi o que diz esse juiz injusto.

Chamou-o, então, e lhe disse: Que é isso que ouço dizer de ti? Presta contas da tua mordomia; porque já não podes mais ser meu mordomo.

Entrando, porém, não acharam o corpo do Senhor Jesus.

Respondeu-lhes ele: Por que me procuráveis? Não sabíeis que eu devia estar na casa de meu Pai?