"O Senhor é justo, mas eu me rebelei contra a sua ordem. Ouçam, todos os povos; olhem para o meu sofrimento. Meus jovens e minhas moças foram para o exílio.

Por isso digo: "Meu esplendor já se foi, bem como tudo o que eu esperava do Senhor".

O Senhor dispersou todos os guerreiros que me apoiavam; convocou um exército contra mim para destruir os meus jovens. O Senhor pisou no seu lagar a virgem, a cidade de Judá.

Os meus pecados foram amarrados num jugo; suas mãos os ataram todos juntos, e os colocaram em meu pescoço; o Senhor abateu a minha força. Ele me entregou àqueles que não consigo vencer.

Rios de lágrimas correm dos meus ohos porque o meu povo foi destruído.

Tu ouviste o meu clamor: "Não feches os teus ouvidos aos meus gritos de socorro".

É por isso que eu choro; as lágrimas inundam os meus olhos. Ninguém está por perto para consolar-me, não há ninguém que restaure o meu espírito. Meus filhos estão desamparados porque o inimigo prevaleceu. "

Que toda a maldade deles seja conhecida diante de ti; faze com eles o que fizeste comigo por causa de todos os meus pecados. Os meus gemidos são muitos e o meu coração desfalece. "

Meus olhos estão cansados de chorar, minha alma está atormentada, meu coração se derrama, porque o meu povo está destruído, porque crianças e bebês desmaiam pelas ruas da cidade.

Atingiu o meu coração com flechas de sua aljava.

Chamei os meus aliados, mas eles me traíram. Meus sacerdotes e meus líderes pereceram na cidade, enquanto procuravam comida para poderem sobreviver.

Lembro-me da minha aflição e do meu delírio, da minha amargura e do meu pesar.

Do alto ele fez cair fogo sobre os meus ossos. Armou uma rede para os meus pés e me derrubou de costas. Deixou-me desolada, desfalecida o dia todo.

aquilo que os meus inimigos sussurram e murmuram o tempo todo contra mim.

Veja, Senhor, como estou angustiada! Estou atormentada no íntimo, e no meu coração me perturbo pois tenho sido muito rebelde. Lá fora, a espada a todos consome; dentro impera a morte.

Ele impediu o meu caminho com blocos de pedra; e fez tortuosas as minhas sendas.

Tornei-me motivo de riso de todo o meu povo; nas suas canções eles zombam de mim o tempo todo.

Os meus lamentos têm sido ouvidos, mas não há ninguém que me console. Todos os meus inimigos sabem da minha agonia; eles se alegram com o que fizeste. Quem dera trouxesses o dia que anunciaste para que eles ficassem como eu.

Meus olhos choram sem parar, sem nenhum descanso,

Quebrou os meus dentes com pedras; e pisoteou-me no pó.

Como se faz convocação para um dia de festa, convocaste contra mim terrores por todos os lados. No dia da ira do Senhor, ninguém escapou nem sobreviveu; aqueles dos quais eu cuidava e os quais eu fiz crescer, o meu inimigo destruiu. "

Até os chacais oferecem o peito para amamentar os seus filhotes, mas o meu povo não tem mais coração; é como as avestruzes do deserto.

Com as próprias mãos, mulheres bondosas cozinharam os próprios filhos, que se tornaram a sua comida quando o meu povo foi destruído.

Aqueles que, sem motivo, eram meus inimigos caçaram-me como a um passarinho.

Fez que a minha pele e a minha carne envelhecessem e quebrou os meus ossos.

Porque o Senhor não o desprezará para sempre.

até que o Senhor contemple dos céus e veja.

Leve-o sozinho e em silêncio, porque o Senhor o pôs sobre ele.

A punição do meu povo é maior que a de Sodoma, que foi destruída num instante sem que ninguém a socorresse.

impedir a alguém o acesso à justiça; não veria o Senhor tais coisas?

Quem poderá falar e fazer acontecer, se o Senhor não o tiver decretado?

Dá-lhes o que merecem, Senhor, conforme o que as suas mãos têm feito.

O Senhor rejeitou o seu altar e abandonou o seu santuário. Entregou aos inimigos os muros dos seus palácios, e eles deram gritos na casa do Senhor, como fazíamos nos dias de festa.

"Olha, Senhor, e considera: A quem o Senhor tratou dessa maneira? Deverão as mulheres comer os próprios filhos, as crianças de quem elas cuidaram? Deverão os profetas e os sacerdotes ser assassinados no santuário do Senhor?

O Senhor é bom para com aqueles cuja esperança está nele, para com aqueles que o buscam;

Digo a mim mesmo: A minha porção é o Senhor; portanto, nele porei a minha esperança.

Tu tens visto, Senhor, o mal que me tem sido feito. Toma a teu cargo a minha causa!

O próprio Senhor os espalhou; ele já não cuida deles. Ninguém honra os sacerdotes nem respeita os líderes.

O Senhor fez o que planejou; cumpriu a sua palavra, que há muito tinha decretado. Derrubou tudo sem piedade, permitiu que o inimigo zombasse de você, exaltou o poder dos seus adversários.

Ó cidade de Sião, o seu castigo terminará; o Senhor não prolongará o seu exílio. Mas, ó terra de Edom, ele punirá o seu pecado e porá à mostra a sua perversidade.

O ungido do Senhor, o próprio fôlego da nossa vida, foi capturado em suas armadilhas. E nós que pensávamos que sob a sua sombra viveríamos entre as nações!

Jovens e velhos espalham-se em meio ao pó das ruas; meus jovens e minhas virgens caíram mortos à espada. Tu os sacrificaste no dia da tua ira; tu os mataste sem piedade.

é bom esperar tranqüilo pela salvação do Senhor.

Ele destroçou a sua morada como se fosse um simples jardim; destruiu o seu local de reuniões. O Senhor fez esquecidas em Sião suas festas fixas e seus sábados; em seu grande furor rejeitou o rei e o sacerdote.

O Senhor deu vazão total à sua ira; derramou a sua grande fúria. Ele acendeu em Sião um fogo que consumiu os seus alicerces.

Sem piedade o Senhor devorou todas as habitações de Jacó; em sua ira destruiu as fortalezas da filha de Judá. Derrubou ao chão e desonrou o seu reino e os seus líderes.

Clamei pelo teu nome, Senhor, das profundezas da cova.

Senhor, tu assumiste a minha causa; e redimiste a minha vida.

Sua impureza prende-se às suas saias; ela não esperava que chegaria o seu fim. Sua queda foi surpreendente; ninguém veio consolá-la. "Olha, Senhor, para a minha aflição, pois o inimigo triunfou. "

O Senhor cobriu a cidade de Sião com a nuvem da sua ira! Lançou por terra o esplendor de Israel, que se elevava para os céus; não se lembrou do estrado dos seus pés no dia da sua ira.