Salmos 119

1 Bem-aventurados os que trilham com integridade o seu caminho, os que andam na lei do Senhor!

2 Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, que o buscam de todo o coração,

3 que não praticam iniqüidade, mas andam nos caminhos dele!

4 Tu ordenaste os teus preceitos, para que fossem diligentemente observados.

5 Oxalá sejam os meus caminhos dirigidos de maneira que eu observe os teus estatutos!

6 Então não ficarei confundido, atentando para todos os teus mandamentos.

7 Louvar-te-ei com retidão de coração, quando tiver aprendido as tuas retas ordenanças.

8 Observarei os teus estatutos; não me desampares totalmente!

9 Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o de acordo com a tua palavra.

10 De todo o meu coração tenho te buscado; não me deixes desviar dos teus mandamentos.

11 Escondi a tua palavra no meu coração, para não pecar contra ti.

12 Bendito és tu, ó Senhor; ensina-me os teus estatutos.

13 Com os meus lábios declaro todas as ordenanças da tua boca.

14 Regozijo-me no caminho dos teus testemunhos, tanto como em todas as riquezas.

15 Em teus preceitos medito, e observo os teus caminhos.

16 Deleitar-me-ei nos teus estatutos; não me esquecerei da tua palavra.

17 Faze bem ao teu servo, para que eu viva; assim observarei a tua palavra.

18 Desvenda os meus olhos, para que eu veja as maravilhas da tua lei.

19 Sou peregrino na terra; não escondas de mim os teus mandamentos.

20 A minha alma se consome de anelos por tuas ordenanças em todo o tempo.

21 Tu repreendeste os soberbos, os malditos, que se desviam dos teus mandamentos.

22 Tira de sobre mim o opróbrio e o desprezo, pois tenho guardado os teus testemunhos.

23 Príncipes sentaram-se e falavam contra mim, mas o teu servo meditava nos teus estatutos.

24 Os teus testemunhos são o meu prazer e os meus conselheiros.

25 A minha alma apega-se ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra.

26 Meus caminhos te descrevi, e tu me ouviste; ensina-me os teus estatutos.

27 Faze-me entender o caminho dos teus preceitos; assim meditarei nas tuas maravilhas.

28 A minha alma se consome de tristeza; fortalece-me segundo a tua palavra.

29 Desvia de mim o caminho da falsidade, e ensina-me benignidade a tua lei.

30 Escolhi o caminho da fidelidade; diante de mim pus as tuas ordenanças.

31 Apego-me aos teus testemunhos, ó Senhor; não seja eu envergonhado.

32 Percorrerei o caminho dos teus mandamentos, quando dilatares o meu coração.

33 Ensina-me, ó Senhor, o caminho dos teus estatutos, e eu o guardarei até o fim.

34 Dá-me entendimento, para que eu guarde a tua lei, e a observe de todo o meu coração.

35 Faze-me andar na vereda dos teus mandamentos, porque nela me comprazo.

36 Inclina o meu coração para os teus testemunhos, e não para a cobiça.

37 Desvia os meus olhos de contemplarem a vaidade, e vivifica-me no teu caminho.

38 Confirma a tua promessa ao teu servo, que se inclina ao teu temor.

39 Desvia de mim o opróbrio que temo, pois as tuas ordenanças são boas.

40 Eis que tenho anelado os teus preceitos; vivifica-me por tua justiça.

41 Venha também sobre mim a tua benignidade, ó Senhor, e a tua salvação, segundo a tua palavra.

42 Assim terei o que responder ao que me afronta, pois confio na tua palavra.

43 De minha boca não tires totalmente a palavra da verdade, pois tenho esperado nos teus juízos.

44 Assim observarei de contínuo a tua lei, para sempre e eternamente;

45 e andarei em liberdade, pois tenho buscado os teus preceitos.

46 Falarei dos teus testemunhos perante os reis, e não me envergonharei.

47 Deleitar-me-ei em teus mandamentos, que eu amo.

48 Também levantarei as minhas mãos para os teus mandamentos, que amo, e meditarei nos teus estatutos.

49 Lembra-te da palavra dada ao teu servo, na qual me fizeste esperar.

50 Isto é a minha consolação na minha angústia, que a tua promessa me vivifica.

51 Os soberbos zombaram grandemente de mim; contudo não me desviei da tua lei.

52 Lembro-me dos teus juízos antigos, ó Senhor, e assim me consolo.

53 Grande indignação apoderou-se de mim, por causa dos ímpios que abandonam a tua lei.

54 Os teus estatutos têm sido os meus cânticos na casa da minha peregrinação.

55 De noite me lembrei do teu nome, ó Senhor, e observei a tua lei.

56 Isto me sucedeu, porque tenho guardado os teus preceitos.

57 O Senhor é o meu quinhão; prometo observar as tuas palavras.

58 De todo o meu coração imploro o teu favor; tem piedade de mim, segundo a tua palavra.

59 Quando considero os meus caminhos, volto os meus pés para os teus testemunhos.

60 Apresso-me sem detença a observar os teus mandamentos.

61 Enleiam-me os laços dos ímpios; mas eu não me esqueço da tua lei.

62 À meia-noite me levanto para dar-te graças, por causa dos teus retos juízos.

63 Companheiro sou de todos os que te temem, e dos que guardam os teus preceitos.

64 A terra, ó Senhor, está cheia da tua benignidade; ensina-me os teus estatutos.

65 Tens usado de bondade para com o teu servo, Senhor, segundo a tua palavra.

66 Ensina-me bom juízo e ciência, pois creio nos teus mandamentos.

67 Antes de ser afligido, eu me extraviava; mas agora guardo a tua palavra.

68 Tu és bom e fazes o bem; ensina-me os teus estatutos.

69 Os soberbos forjam mentiras contra mim; mas eu de todo o coração guardo os teus preceitos.

70 Torna-se-lhes insensível o coração como a gordura; mas eu me deleito na tua lei.

71 Foi-me bom ter sido afligido, para que aprendesse os teus estatutos.

72 Melhor é para mim a lei da tua boca do que milhares de ouro e prata.

73 As tuas mãos me fizeram e me formaram; dá-me entendimento para que aprenda os teus mandamentos.

74 Os que te temem me verão e se alegrarão, porque tenho esperado na tua palavra.

75 Bem sei eu, ó Senhor, que os teus juízos são retos, e que em tua fidelidade me afligiste.

76 Sirva, pois, a tua benignidade para me consolar, segundo a palavra que deste ao teu servo.

77 Venham sobre mim as tuas ternas misericórdias, para que eu viva, pois a tua lei é o meu deleite.

78 Envergonhados sejam os soberbos, por me haverem subvertido sem causa; mas eu meditarei nos teus preceitos.

79 Voltem-se para mim os que te temem, para que conheçam os teus testemunhos.

80 Seja perfeito o meu coração nos teus estatutos, para que eu não seja envergonhado.

81 Desfalece a minha alma, aguardando a tua salvação; espero na tua palavra.

82 Os meus olhos desfalecem, esperando por tua promessa, enquanto eu pergunto: Quando me consolarás tu?

83 Pois tornei-me como odre na fumaça, mas não me esqueci dos teus estatutos.

84 Quantos serão os dias do teu servo? Até quando não julgarás aqueles que me perseguem?

85 Abriram covas para mim os soberbos, que não andam segundo a tua lei.

86 Todos os teus mandamentos são fiéis. Sou perseguido injustamente; ajuda-me!

87 Quase que me consumiram sobre a terra, mas eu não deixei os teus preceitos.

88 Vivifica-me segundo a tua benignidade, para que eu guarde os testemunhos da tua boca.

89 Para sempre, ó Senhor, a tua palavra está firmada nos céus.

90 A tua fidelidade estende-se de geração a geração; tu firmaste a terra, e firme permanece.

91 Conforme a tua ordenança, tudo se mantém até hoje, porque todas as coisas te obedecem.

92 Se a tua lei não fora o meu deleite, então eu teria perecido na minha angústia.

93 Nunca me esquecerei dos teus preceitos, pois por eles me tens vivificado.

94 Sou teu, salva-me; pois tenho buscado os teus preceitos.

95 Os ímpios me espreitam para me destruírem, mas eu atento para os teus testemunhos.

96 A toda perfeição vi limite, mas o teu mandamento é ilimitado.

97 Oh! quanto amo a tua lei! ela é a minha meditação o dia todo.

98 O teu mandamento me faz mais sábio do que meus inimigos, pois está sempre comigo.

99 Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres, porque os teus testemunhos são a minha meditação.

100 Sou mais entendido do que os velhos, porque tenho guardado os teus preceitos.

101 Retenho os meus pés de todo caminho mau, a fim de observar a tua palavra.

102 Não me aperto das tuas ordenanças, porque és tu quem me instrui.

103 Oh! quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! mais doces do que o mel à minha boca.

104 Pelos teus preceitos alcanço entendimento, pelo que aborreço toda vereda de falsidade.

105 Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu caminho.

106 Fiz juramento, e o confirmei, de guardar as tuas justas ordenanças.

107 Estou aflitíssimo; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua palavra.

108 Aceita, Senhor, eu te rogo, as oferendas voluntárias da minha boca, e ensina-me as tuas ordenanças.

109 Estou continuamente em perigo de vida; todavia não me esqueço da tua lei.

110 Os ímpios me armaram laço, contudo não me desviei dos teus preceitos.

111 Os teus testemunhos são a minha herança para sempre, pois são eles o gozo do meu coração.

112 Inclino o meu coração a cumprir os teus estatutos, para sempre, até o fim.

113 Aborreço a duplicidade, mas amo a tua lei.

114 Tu és o meu refúgio e o meu escudo; espero na tua palavra.

115 Apartai-vos de mim, malfeitores, para que eu guarde os mandamentos do meu Deus.

116 Ampara-me conforme a tua palavra, para que eu viva; e não permitas que eu seja envergonhado na minha esperança.

117 Sustenta-me, e serei salvo, e de contínuo terei respeito aos teus estatutos.

118 Desprezas todos os que se desviam dos teus estatutos, pois a astúcia deles é falsidade.

119 Deitas fora, como escória, todos os ímpios da terra; pelo que amo os teus testemunhos.

120 Arrepia-se-me a carne com temor de ti, e tenho medo dos teus juízos.

121 Tenho praticado a retidão e a justiça; não me abandones aos meus opressores.

122 Fica por fiador do teu servo para o bem; não me oprimem os soberbos.

123 Os meus olhos desfalecem à espera da tua salvação e da promessa da tua justiça.

124 Trata com o teu servo segundo a tua benignidade, e ensina-me os teus estatutos.

125 Sou teu servo; dá-me entendimento, para que eu conheça os teus testemunhos.

126 É tempo de agires, ó Senhor, pois eles violaram a tua lei.

127 Pelo que amo os teus mandamentos mais do que o ouro, sim, mais do que o ouro fino.

128 Por isso dirijo os meus passos por todos os teus preceitos, e aborreço toda vereda de falsidade.

129 Maravilhosos são os teus testemunhos, por isso a minha alma os guarda.

130 A exposição das tuas palavras dá luz; dá entendimento aos simples.

131 Abro a minha boca e arquejo, pois estou anelante pelos teus mandamentos.

132 Volta-te para mim, e compadece-te de mim, conforme usas para com os que amam o teu nome.

133 Firma os meus passos na tua palavra; e não se apodere de mim iniqüidade alguma.

134 Resgata-me da opressão do homem; assim guardarei os teus preceitos.

135 Faze resplandecer o teu rosto sobre o teu servo, e ensina-me os teus estatutos.

136 Os meus olhos derramam rios de lágrimas, porque os homens não guardam a tua lei.

137 Justo és, ó Senhor, e retos são os teus juízos.

138 Ordenaste os teus testemunhos com retidão, e com toda a fidelidade.

139 O meu zelo me consome, porque os meus inimigos se esquecem da tua palavra.

140 A tua palavra é fiel a toda prova, por isso o teu servo a ama.

141 Pequeno sou e desprezado, mas não me esqueço dos teus preceitos.

142 A tua justiça é justiça eterna, e a tua lei é a verdade.

143 Tribulação e angústia se apoderaram de mim; mas os teus mandamentos são o meu prazer.

144 Justos são os teus testemunhos para sempre; dá-me entendimento, para que eu viva.

145 Clamo de todo o meu coração; atende-me, Senhor! Eu guardarei os teus estatutos.

146 A ti clamo; salva-me, para que guarde os teus testemunhos.

147 Antecipo-me à alva da manhã e clamo; aguardo com esperança as tuas palavras.

148 Os meus olhos se antecipam às vigílias da noite, para que eu medite na tua palavra.

149 Ouve a minha voz, segundo a tua benignidade; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua justiça.

150 Aproximam-se os que me perseguem maliciosamente; andam afastados da tua lei.

151 Tu estás perto, Senhor, e todos os teus mandamentos são verdade.

152 Há muito sei eu dos teus testemunhos que os fundaste para sempre.

153 Olha para a minha aflição, e livra-me, pois não me esqueço da tua lei.

154 Pleiteia a minha causa, e resgata-me; vivifica-me segundo a tua palavra.

155 A salvação está longe dos ímpios, pois não buscam os teus estatutos.

156 Muitas são, Senhor, as tuas misericórdias; vivifica-me segundo os teus juízos.

157 Muitos são os meus perseguidores e os meus adversários, mas não me desvio dos teus testemunhos.

158 Vi os pérfidos, e me afligi, porque não guardam a tua palavra.

159 Considera como amo os teus preceitos; vivifica-me, Senhor, segundo a tua benignidade.

160 A soma da tua palavra é a verdade, e cada uma das tuas justas ordenanças dura para sempre.

161 Príncipes me perseguem sem causa, mas o meu coração teme as tuas palavras.

162 Regozijo-me com a tua palavra, como quem acha grande despojo.

163 Odeio e abomino a falsidade; amo, porém, a tua lei.

164 Sete vezes no dia te louvo pelas tuas justas ordenanças.

165 Muita paz têm os que amam a tua lei, e não há nada que os faça tropeçar.

166 Espero, Senhor, na tua salvação, e cumpro os teus mandamentos.

167 A minha alma observa os teus testemunhos; amo-os extremamente.

168 Observo os teus preceitos e os teus testemunhos, pois todos os meus caminhos estão diante de ti.

169 Chegue a ti o meu clamor, ó Senhor; dá-me entendimento conforme a tua palavra.

170 Chegue à tua presença a minha súplica; livra-me segundo a tua palavra.

171 Profiram louvor os meus lábios, pois me ensinas os teus estatutos.

172 Celebre a minha língua a tua palavra, pois todos os teus mandamentos são justos.

173 Esteja pronta a tua mão para me socorrer, pois escolhi os teus preceitos.

174 Anelo por tua salvação, ó Senhor; a tua lei é o meu prazer.

175 Que minha alma viva, para que te louve; ajudem-me as tuas ordenanças.

176 Desgarrei-me como ovelha perdida; busca o teu servo, pois não me esqueço dos teus mandamentos.

1 Felizes são aqueles cuja vida é íntegra, Que andam na lei de Jeová.

2 Felizes são os que guardam os seus testemunhos, Que o buscam de todo o seu coração;

3 Que não praticam iniqüidade, E andam nos seus caminhos.

4 Tu nos ordenaste os teus preceitos, Para que os observemos à risca.

5 Oxalá que os meus caminhos fossem dispostos, Para observarem os teus estatutos!

6 Então não serei envergonhado, Quando tiver respeito a todos os teus mandamentos.

7 Dar-te-ei graças com integridade de coração, Quando aprender os teus retos juízos.

8 Observarei os teus estatutos; Não me desampares de todo.

9 Como poderá o mancebo guardar puro o seu caminho? Observando-o segundo a tua palavra.

10 De todo o meu coração te hei buscado; Não me deixes desviar dos teus mandamentos.

11 No meu coração tenho entesourado a tua palavra, Para não pecar eu contra ti.

12 Bendito és tu, Jeová; Ensina-me os teus estatutos.

13 Com os meus lábios tenho narrado Todos os juízos da tua boca.

14 Regozijo-me no caminho dos teus testemunhos, Tanto como em todas as riquezas.

15 Nos teus preceitos meditarei, E às tuas veredas terei respeito.

16 Nos teus estatutos deleitar-me-ei; Não me esquecerei da tua palavra.

17 Sê liberal para com o teu servo, para que eu viva; Assim observarei a tua palavra.

18 Desvenda os meus olhos, para que eu contemple As maravilhas que se derivam da tua lei.

19 Sou peregrino na terra: Não escondas de mim os teus mandamentos.

20 A minha alma está quebrantada pelo desejo, Que em todo o tempo tem sentido por teus juízos.

21 Increpaste os soberbos, os malditos, Que se desviam dos teus mandamentos.

22 Tira de sobre mim o opróbrio e o desprezo, Pois tenho guardado os teus testemunhos.

23 Príncipes assentaram-se e falaram contra mim, Mas o teu servo meditou nos teus estatutos.

24 Demais, os teus testemunhos são as minhas delícias, Os meus conselheiros.

25 A minha alma está apegada ao pó: Vivifica-me segundo a tua palavra.

26 Expus os meus caminhos, e me respondeste: Ensina-me os teus estatutos.

27 Faze-me compreender os caminhos dos teus preceitos; Assim meditarei nas tuas maravilhas.

28 A minha alma consome-se de tristeza; Fortalece-me segundo a tua palavra.

29 Afasta de mim o caminho da mentira E concede-me a graça de seguir a tua lei.

30 Escolhi o caminho da fidelidade; Diante de mim pus os teus juízos.

31 Aos teus testemunhos me apego; Não me cubras, Jeová, de vergonha.

32 Percorrerei os caminhos dos teus mandamentos, Quando dilatares o meu coração.

33 Ensina-me, Jeová, o caminho dos teus estatutos, Que eu o reterei até o fim.

34 Dá-me entendimento, e guardarei a tua lei; Sim de todo o coração a observarei.

35 Guia-me pela senda dos teus mandamentos, Porque nela me comprazo.

36 Inclina o meu coração para os teus testemunhos, E não para a avareza.

37 Desvia os meus olhos de verem a vaidade, E vivifica-me nos teus caminhos.

38 Confirma ao teu servo a tua promessa, Que provém do temor a ti.

39 Aparta de mim o opróbrio de que tenho medo, Porque os teus juízos são bons.

40 Eis que tenho suspirado pelos teus preceitos; Vivifica-me na tua justiça.

41 Venham também a mim as tuas benignidades, Jeová, A tua salvação segundo a tua palavra.

42 Assim terei que responder ao que me afronta, Pois confio na tua palavra.

43 Não tires de todo da minha boca a palavra da verdade, Pois tenho esperado nos teus juízos.

44 Assim observarei de contínuo a tua lei Para todo o sempre.

45 Andarei em liberdade, Pois busco os teus preceitos.

46 Falarei dos teus testemunhos diante de reis, E não me envergonharei.

47 Comprazer-me-ei nos teus mandamentos, Que tenho amado.

48 Levantarei as minhas mãos para os teus mandamentos, que tenho amado, E meditarei nos teus estatutos.

49 Lembra-te da palavra dada ao teu servo, Porque me fizeste nutrir esperança.

50 Este é o meu conforto na minha aflição, Que a tua palavra me vivifica.

51 Muito zombaram de mim os soberbos, Contudo não me desviei da tua lei.

52 Lembro-me, Jeová, dos teus juízos no passado, E me conforto.

53 A indignação apoderou-se de mim, Por causa dos perversos que abandonam a tua lei.

54 Os teus estatutos têm sido os meus cânticos Na casa da minha peregrinação.

55 De noite lembro-me do teu nome, Jeová, E observo a tua lei.

56 Isto é o que comigo se tem dado, Porque guardo os teus preceitos.

57 Jeová é o meu quinhão: Eu disse que observaria as tuas palavras.

58 De todo o meu coração implorei a tua graça; Compadece-te de mim segundo a tua palavra.

59 Considerei os meus caminhos, E voltei os meus pés para os teus testemunhos.

60 Dei-me pressa, e não me demorei, Em observar os teus mandamentos.

61 Enleiaram-me os laços dos perversos, Porém não me esqueci da tua lei.

62 À meia noite me levantarei para te dar graças, Por causa dos teus justos juízos.

63 Companheiro sou de todos os que te temem, E dos que observam os teus preceitos.

64 Cheia está a terra, Jeová, da tua benignidade: Ensina-me os teus estatutos.

65 Tens procedido bem com o teu servo, Segundo a tua palavra, ó Jeová.

66 Ensina-me bom juízo, e conhecimento, Pois creio em teus mandamentos.

67 Antes de ser afligido, eu me extraviei; Mas agora observo a tua palavra.

68 Tu és bom, e fazes o bem; Ensina-me os teus estatutos.

69 Os soberbos têm forjado mentiras contra mim; Eu, de todo o meu coração, guardarei os teus preceitos.

70 O seu coração é insensível como a graxa: Eu, porém, me deleito na tua lei.

71 Foi-me bom ter sido aflito, Para que eu aprendesse os teus estatutos.

72 Mais vale para mim a lei da tua boca Do que milhares de ouro e de prata.

73 As tuas mãos me fizeram, e me formaram; Dá-me entendimento para aprender os teus mandamentos.

74 Aqueles que te temem, me verão e se alegrarão, Porque na tua palavra tenho esperado.

75 Conheço, Jeová, que os teus juízos são justos, E que com fidelidade me atribulaste.

76 Seja, pois, a tua benignidade para o meu conforto, Segundo a tua palavra ao teu servo.

77 Sobre mim venham as tuas ternas misericórdias, para que eu viva; Porque a tua lei é a minha delícia.

78 Envergonhados sejam os soberbos, por me terem subvertido com mentiras; Eu, porém, meditarei nos teus preceitos.

79 Voltem-se para mim os que te temem, Para que conheçam os teus testemunhos.

80 Seja o meu coração perfeito nos teus estatutos, Para que eu não seja envergonhado.

81 A minha alma desfalece, aguardando a tua salvação; Espero na tua palavra.

82 Desfalecem os meus olhos, aguardando a tua palavra, Enquanto digo: Quando me confortarás?

83 Pois me tornei qual um odre na fumaça, Contudo não me esqueço dos teus estatutos.

84 Quantos são os dias do teu servo? Quando proferirás sentença sobre os que me perseguem?

85 Abriram-me covas os soberbos, Que não andam segundo a tua lei.

86 Todos os teus mandamentos são fiéis; Eles me perseguem injustamente; ajuda-me.

87 Quase que me consumiram sobre a terra; Eu, porém, não abandonei os teus preceitos.

88 Vivifica-me segundo a tua benignidade, Assim observarei o testemunho da tua boca.

89 Para sempre, Jeová, A tua palavra está firmada no céu.

90 A tua fidelidade estende-se a todas as gerações; Estabeleceste a terra, e ela permanece firme.

91 Tudo permanece firme hoje conforme os teus juízos, Pois todas as coisas te servem.

92 Se a tua lei não houvera sido a minha delícia, Eu teria então perecido na minha aflição.

93 Nunca me esquecerei dos teus preceitos, Porque com eles me tens vivificado.

94 Sou teu, salva-me; Porque busco os teus preceitos.

95 Os perversos me têm espreitado para me prenderem; Considerarei os teus testemunhos.

96 Tenho visto que em toda a perfeição há limites; O teu mandamento é ilimitado.

97 Quanto amo a tua lei! Ela é a minha meditação de contínuo.

98 Os teus mandamentos fazem-me mais sábio que os meus inimigos, Pois sempre estão comigo.

99 Mais discernimento tenho do que todos os que me ensinam, Porque os teus testemunhos são a minha meditação.

100 Mais entendo eu do que os idosos, Porque tenho guardado os teus preceitos.

101 De todo o mau caminho retiro os meus pés, A fim de observar a tua palavra.

102 Dos teus juízos não me desvio, Porque és tu quem me instrui.

103 Quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! Sim mais doces do que o mel à minha boca.

104 Por meio dos teus preceitos consigo entendimento, Pelo que aborreço todo o caminho de falsidade.

105 Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, E luz para a minha vereda.

106 Jurei, e confirmei o meu juramento, De observar os teus justos juízos.

107 Estou aflitíssimo; Vivifica-me Jeová, segundo a tua palavra.

108 Aceita, te rogo Jeová, as ofertas voluntárias da minha boca, E ensina-me os teus juízos.

109 Estou continuamente em perigo de vida, Contudo não me esqueço da tua lei.

110 Os perversos armaram-me laço, Todavia não me desvio dos teus preceitos.

111 Tomei os teus testemunhos como herança para sempre, Pois eles são o gozo do meu coração.

112 Inclino o meu coração para cumprir os teus estatutos, Para sempre, até o fim.

113 Aborreço os irresolutos, Mas amo a tua lei.

114 Tu és o meu refúgio e o meu escudo; Na tua palavra espero.

115 Apartai-vos de mim, malfeitores, Para que eu guarde os mandamentos do meu Deus.

116 Ampara-me segundo a tua palavra, para que eu viva; E não me deixes ser envergonhado no que espero.

117 Sustenta-me, e serei salvo, E de contínuo terei respeito aos teus estatutos.

118 Desprezas todos os que se afastam dos teus estatutos, Porque falsidade é a astúcia deles.

119 Deitas fora, como escória, todos os perversos da terra, Por isso amo os teus testemunhos.

120 Arrepia-se-me a carne com temor de ti. E tenho medo dos teus juízos.

121 Tenho feito juízo e justiça; Não me abandones aos meus opressores.

122 Sê fiador do teu servo para o bem; Não me oprimam os soberbos.

123 Desfalecem os meus olhos, aguardando a tua salvação, E a promessa da tua justiça.

124 Procede com o teu servo segundo a tua benignidade, E ensina-me os teus estatutos.

125 Eu sou o teu servo; dá-me entendimento, Para que eu conheça os teus testemunhos.

126 É tempo de Jeová entrar em ação, Pois eles violaram a tua lei.

127 Amo os teus mandamentos Mais do que o ouro, sim mais do que o ouro fino.

128 Portanto retos em tudo considero todos os teus preceitos; E aborreço todo o caminho da falsidade.

129 Maravilhosos são os teus testemunhos, Por isso é que a minha alma os guarda,

130 A revelação das tuas palavras alumia; Dá entendimento aos simples.

131 Abri a minha boca, e arquejei; Pois suspirei pelos teus mandamentos.

132 Volta-te para mim, e compadece-te de mim, Como costumas fazer aos que amam o teu nome.

133 Firma na tua lei os meus passos; E não se apodere de mim iniqüidade alguma.

134 Resgata-me da opressão do homem, Assim observarei os teus preceitos.

135 Faze resplandecer o teu rosto sobre o teu servo, E ensina-me os teus estatutos.

136 Os meus olhos derramam rios de água, Porque os homens não observam a tua lei.

137 Justo és, Jeová, E retos são os teus juízos.

138 Ordenaste os teus testemunhos com retidão, E com suma fidelidade.

139 O meu zelo me consome, Porque os meus adversários se esqueceram das tuas palavras.

140 Puríssima é a tua palavra, Por isso é que o teu servo a ama.

141 Pequeno sou e desprezado, Contudo não me esqueço dos teus preceitos.

142 A tua justiça é justiça eterna, E a tua lei é verdade.

143 Sobre mim vieram tribulação e angústia, Todavia os teus mandamentos são a minha delícia.

144 Os teus testemunhos são justos para sempre; Dá-me entendimento, e viverei.

145 Tenho clamado de todo o meu coração; responde-me, Jeová: Guardarei os teus estatutos.

146 A ti hei clamado; salva-me, E observarei os teus testemunhos.

147 Antecipo a alva da manhã e clamo; Aguardo com esperança as tuas palavras.

148 Os meus olhos antecipam as vigílias noturnas, Para que eu medite na tua palavra.

149 Ouve, segundo a tua benignidade, a minha voz; Vivifica-me, Jeová, segundo os teus juízos.

150 Aproximam-se os que me perseguem maliciosamente; Eles andam afastados da tua lei.

151 Tu estás perto, Jeová; E todos os teus mandamentos são verdade.

152 Há muito sei eu dos teus testemunhos Que os fundaste para sempre.

153 Considera a minha aflição e livra-me, Pois não me esqueço da tua lei.

154 Pleiteia a minha causa e resgata-me; Vivifica-me segundo a tua palavra.

155 Dos perversos longe está a salvação, Pois não buscam os teus estatutos.

156 Muitas são, Jeová, as tuas ternas misericórdias; Vivifica-me segundo os teus juízos.

157 Muitos são os meus perseguidores e os meus adversários, Contudo não me desvio dos teus testemunhos.

158 Vi os prevaricadores e afligi-me, Porque não observam a tua palavra.

159 Considera como amo os teus preceitos; Vivifica-me, Jeová, segundo a tua benignidade.

160 A soma da tua palavra é a verdade; Cada um dos teus justos juízos dura para sempre.

161 Príncipes me hão perseguido sem causa, Mas o meu coração teme as tuas palavras.

162 Regozijo-me com a tua palavra, Como quem acha grande despojo.

163 Odeio, e aborreço a mentira; Amo, porém, a tua lei.

164 Sete vezes no dia te louvo Por causa dos teus justos juízos.

165 De grande paz gozam os que amam a tua lei; E nada há que os faça tropeçar.

166 Tenho aguardado com esperança a tua salvação, Jeová; E tenho cumprido os teus mandamentos.

167 A minha alma tem observado os teus testemunhos, E sumamente os amo.

168 Tenho observado os teus preceitos e os teus testemunhos, Pois diante de ti estão todos os meus caminhos.

169 Aproxime-se de ti, Jeová, o meu clamor; Dá-me entendimento segundo a tua palavra.

170 Chegue a tua presença a minha súplica; Livra-me segundo a tua palavra.

171 Profiram louvor os meus lábios, Pois me ensinas os teus estatutos.

172 Celebre a minha língua a tua lei, Pois todos os teus mandamentos são justiça.

173 Esteja pronta a tua mão para me socorrer, Pois escolhi os teus preceitos.

174 Tenho suspirado pela tua salvação, Jeová; E a tua lei é a minha delícia.

175 Viva a minha alma, para que te louve; Auxiliem-me os teus juízos.

176 Tenho andado errante, qual ovelha perdida; busca ao teu servo, Pois não me esqueço dos teus mandamentos.

Capítulos

Bíblias