Provérbios 10

1 O filho sábio é a alegria de seu pai; o insensato, porém, a aflição de sua mãe.

2 Tesouros mal adquiridos de nada servem, mas a justiça livra da morte.

3 O Senhor não deixa o justo passar fome, mas repele a cobiça do ímpio.

4 A mão preguiçosa causa a indigência; a mão diligente se enriquece.

5 Quem recolhe no verão é um filho prudente; quem dorme na ceifa merece a vergonha.

6 As bênçãos descansam sobre a cabeça do justo, mas a boca dos maus oculta a injustiça.

7 A memória do justo alcança as bênçãos; o nome dos ímpios apodrecerá.

8 O sábio de coração recebe os preceitos, mas o insensato caminha para a ruína.

9 Quem anda na integridade caminha com segurança, mas quem emprega astúcias será descoberto.

10 Quem pisca os olhos traz desgosto, mas o que repreende com franqueza procura a paz.

11 A boca do justo é uma fonte de vida; a do ímpio, porém, esconde injustiça.

12 O ódio desperta rixas; a caridade, porém, supre todas as faltas.

13 Nos lábios do sábio encontra-se a sabedoria; no dorso do insensato a correção.

14 Os sábios entesouram a sabedoria, mas a boca do tolo é uma desgraça sempre ameaçadora.

15 A fortuna do rico é a sua cidade forte; a pobreza dos indigentes ocasiona-lhes ruína.

16 O salário do justo é para a vida; o fruto do ímpio produz o pecado.

17 O que observa a disciplina está no caminho da vida; anda errado o que esquece a repressão.

18 Quem dissimula o ódio é um mistificador; um insensato o que profere calúnias.

19 Não pode faltar o pecado num caudal de palavras; quem modera os lábios é um homem prudente.

20 A língua do justo é prata finíssima; o coração dos maus, porém, para nada serve.

21 Os lábios dos justos nutrem a muitos; mas os néscios perecem por falta de inteligência.

22 É a bênção do Senhor que enriquece; o labor nada acrescenta a ela.

23 É um divertimento para o ímpio praticar o mal; e para o sensato, ser sábio.

24 O que receia o mal, este cai sobre ele. O desejo do justo lhe é concedido.

25 Quando passa a tormenta, desaparece o perverso, mas o justo descansa sobre fundamentos duráveis.

26 Como o vinagre nos dentes e a fumaça nos olhos, assim é o preguiçoso para os que o mandam.

27 O temor do Senhor prolonga os dias, mas os anos dos ímpios serão abreviados.

28 A expectativa dos justos causa alegria; a esperança dos ímpios, porém, perecerá.

29 Para o homem íntegro o Senhor é uma fortaleza, mas é a ruína dos que fazem o mal.

30 Jamais o justo será abalado, mas os ímpios não habitarão a terra.

31 A boca do justo produz sabedoria, mas a língua perversa será arrancada.

32 Os lábios do justo sabem dizer o que é agradável; a boca dos maus, o que é mal.

1 Parabolae Salomonis.Filius sapiens laetificat pa trem,filius vero stultus maestitia est matris suae.

2 Nil proderunt thesauri impietatis,iustitia vero liberabit a morte.

3 Non affliget Dominus fame animam iustiet cupiditatem impiorum subvertet.

4 Egestatem operata est manus remissa,manus autem fortium divitias parat.

5 Qui congregat in messe, filius sapiens est;qui autem stertit aestate, filius confusionis.

6 Benedictiones Domini super caput iusti,os autem impiorum operit violentiam.

7 Memoria iusti in benedictione erit,et nomen impiorum putrescet.

8 Sapiens corde praecepta suscipit,et stultus labiis corruet.

9 Qui ambulat simpliciter, ambulat confidenter;qui autem depravat vias suas, manifestus erit.

10 Qui annuit oculo, dabit dolorem,et stultus labiis corruet.

11 Vena vitae os iusti,et os impiorum operit violentiam.

12 Odium suscitat rixas,et universa delicta operit caritas.

13 In labiis sapientis invenitur sapientia,et virga in dorso eius, qui indiget corde.

14 Sapientes recondunt scientiam,os autem stulti ruinae proximum est.

15 Substantia divitis urbs fortitudinis eius,ruina pauperum egestas eorum.

16 Opus iusti ad vitam,fructus autem impii ad peccatum.

17 Graditur ad vitam, qui custodit disciplinam;qui autem increpationes relinquit, errat.

18 Abscondunt odium labia mendacia;qui profert contumeliam, insipiens est.

19 In multiloquio non deerit peccatum;qui autem moderatur labia sua, prudentissimus est.

20 Argentum electum lingua iusti,cor autem impiorum pro nihilo.

21 Labia iusti erudiunt plurimos;qui autem indocti sunt, in cordis egestate morientur.

22 Benedictio Domini divites facit,nec addet ei labor quidquam.

23 Quasi per risum stultus operatur scelus,sapientia autem est viro prudentiae.

24 Quod timet impius, veniet super eum;desiderium suum iustis dabitur.

25 Quasi tempestas transiens non erit impius,iustus autem quasi fundamentum sempiternum.

26 Sicut acetum dentibus et fumus oculis,sic piger his, qui miserunt eum.

27 Timor Domini apponet dies,et anni impiorum breviabuntur.

28 Exspectatio iustorum laetitia,spes autem impiorum peribit.

29 Fortitudo simplici via Dominiet ruina his, qui operantur malum.

30 Iustus in aeternum non commovebitur,impii autem non habitabunt super terram.

31 Os iusti germinabit sapientiam,lingua prava abscindetur.

32 Labia iusti considerant placita,et os impiorum perversa.