12

1 Jó tomou a palavra nestes termos:

2 Sois mesmo gente muito hábil, e convosco morrerá a sabedoria.

3 Tenho também o espírito como o vosso {não vos sou inferior}: quem, pois, ignoraria o que sabeis?

4 Os amigos escarnecem daquele que invoca Deus para que ele lhe responda, e zombam do justo e do inocente.

5 Vergonha para a infelicidade! É o modo de pensar do infeliz; só há desprezo para aquele cujo pé fraqueja.

6 As tendas dos bandidos gozam de paz; segurança para aqueles que provocam Deus, que não têm outro Deus senão o próprio braço.

7 Pergunta, pois, aos animais e eles te ensinarão; às aves do céu e elas te instruirão.

8 Fala {aos répteis} da terra, e eles te responderão, e aos peixes do mar, e eles te darão lições.

9 Entre todos esses seres quem não sabe que a mão de Deus fez tudo isso,

10 ele que tem em mãos a alma de tudo o que vive, e o sopro de vida de todos os humanos?

11 Não discerne o ouvido as palavras como o paladar discerne o sabor das iguarias?

12 A sabedoria pertence aos cabelos brancos, a longa vida confere a inteligência.

13 Em {Deus} residem sabedoria e poder; ele possui o conselho e a inteligência.

14 O que ele destrói não será reconstruído; se aprisionar um homem, ninguém há que o solte.

15 Quando faz as águas pararem, há seca; se as soltar, submergirão a terra.

16 Nele há força e prudência; ele conhece o que engana e o enganado;

17 faz os árbitros andarem descalços, torna os juízes estúpidos;

18 desata a cinta dos reis e cinge-lhes os rins com uma corda;

19 faz os sacerdotes andarem descalços, e abate os poderosos;

20 tira a palavra aos mais seguros de si mesmos e retira a sabedoria dos velhos;

21 derrama o desprezo sobre os nobres, afrouxa a cinta dos fortes,

22 põe a claro os segredos das trevas, e traz à luz a sombra da morte.

23 Torna grandes as nações, e as destrói; multiplica os povos, depois os suprime.

24 Tira a razão dos chefes da terra e os deixa perdidos num deserto sem pista;

25 andam às apalpadelas nas trevas, sem luz; tropeçam como um embriagado.