Provérbios 29

1 O Homem que muitas vezes repreendido endurece a cerviz, de repente será destruído sem que haja remédio.

2 Quando os justos se engrandecem, o povo se alegra, mas quando o ímpio domina, o povo geme.

3 O homem que ama a sabedoria alegra a seu pai, mas o companheiro de prostitutas desperdiça os bens.

4 O rei com juízo sustém a terra, mas o amigo de peitas a transtorna.

5 O homem que lisonjeia o seu próximo arma uma rede aos seus passos.

6 Na transgressão do homem mau há laço, mas o justo jubila e se alegra.

7 O justo se informa da causa dos pobres, mas o ímpio nem sequer toma conhecimento.

8 Os homens escarnecedores alvoroçam a cidade, mas os sábios desviam a ira.

9 O homem sábio que pleiteia com o tolo, quer se zangue, quer se ria, não terá descanso.

10 Os homens sanguinários odeiam ao sincero, mas os justos procuram o seu bem.

11 O tolo revela todo o seu pensamento, mas o sábio o guarda até o fim.

12 O governador que dá atenção às palavras mentirosas, achará que todos os seus servos são ímpios.

13 O pobre e o usurário se encontram; o Senhor ilumina os olhos de ambos.

14 O rei que julga os pobres conforme a verdade firmará o seu trono para sempre.

15 A vara e a repreensão dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe.

16 Quando os ímpios se multiplicam, multiplicam-se as transgressões, mas os justos verão a sua queda.

17 Castiga o teu filho, e te dará descanso; e dará delícias à tua alma.

18 Não havendo profecia, o povo perece; porém o que guarda a lei, esse é bem-aventurado.

19 O servo não se emendará com palavras, porque, ainda que entenda, todavia não atenderá.

20 Tens visto um homem precipitado no falar? Maior esperança há para um tolo do que para ele.

21 Quando alguém cria o seu servo com mimos desde a meninice, por fim ele tornar-se-á seu filho.

22 O homem irascível levanta contendas; e o furioso multiplica as transgressões.

23 A soberba do homem o abaterá, mas a honra sustentará o humilde de espírito.

24 O que tem parte com o ladrão odeia a sua própria alma; ouve maldições, e não o denuncia.

25 O temor do homem armará laços, mas o que confia no Senhor será posto em alto retiro.

26 Muitos buscam o favor do poderoso, mas o juízo de cada um vem do Senhor.

27 Abominação é, para os justos, o homem iníquo; mas abominação é, para o iníquo, o de retos caminhos.

1 Aquele que, sendo muitas vezes repreendido, endurece a cerviz, será quebrantado de repente sem que haja cura.

2 Quando os justos governam, alegra-se o povo; mas quando o ímpio domina, o povo geme.

3 O que ama a sabedoria alegra a seu pai; mas o companheiro de prostitutas desperdiça a sua riqueza.

4 O rei pela justiça estabelece a terra; mas o que exige presentes a transtorna.

5 O homem que lisonjeia a seu próximo arma-lhe uma rede aos passos.

6 Na transgressão do homem mau há laço; mas o justo canta e se regozija.

7 O justo toma conhecimento da causa dos pobres; mas o ímpio não tem entendimento para a conhecer.

8 Os escarnecedores abrasam a cidade; mas os sábios desviam a ira.

9 O sábio que pleiteia com o insensato, quer este se agaste quer se ria, não terá descanso.

10 Os homens sanguinários odeiam o íntegro; mas os retos procuram o seu bem.

11 O tolo derrama toda a sua ira; mas o sábio a reprime e aplaca.

12 O governador que dá atenção às palavras mentirosas achará que todos os seus servos são ímpios.

13 O pobre e o opressor se encontram; o Senhor alumia os olhos de ambos.

14 Se o rei julgar os pobres com eqüidade, o seu trono será estabelecido para sempre.

15 A vara e a repreensão dão sabedoria; mas a criança entregue a si mesma envergonha a sua mãe.

16 Quando os ímpios se multiplicam, multiplicam-se as transgressões; mas os justos verão a queda deles.

17 Corrige a teu filho, e ele te dará descanso; sim, deleitará o teu coração.

18 Onde não há profecia, o povo se corrompe; mas o que guarda a lei esse é bem-aventurado.

19 O servo não se emendará com palavras; porque, ainda que entenda, não atenderá.

20 Vês um homem precipitado nas suas palavras? Maior esperança há para o tolo do que para ele.

21 Aquele que cria delicadamente o seu servo desde a meninice, no fim tê-lo-á por herdeiro.

22 O homem iracundo levanta contendas, e o furioso multiplica as transgressões.

23 A soberba do homem o abaterá; mas o humilde de espírito obterá honra.

24 O que é sócio do ladrão odeia a sua própria alma; sendo ajuramentado, nada denuncia.

25 O receio do homem lhe arma laços; mas o que confia no Senhor está seguro.

26 Muitos buscam o favor do príncipe; mas é do Senhor que o homem recebe a justiça.

27 O ímpio é abominação para os justos; e o que é reto no seu caminho é abominação para o ímpio.