Salmos 48

1 Grande é o SENHOR e mui digno de louvor, na cidade do nosso Deus, no seu monte santo.

2 Formoso de sítio, e alegria de toda a terra é o monte Sião sobre os lados do norte, a cidade do grande Rei.

3 Deus é conhecido nos seus palácios por um alto refúgio.

4 Porque eis que os reis se ajuntaram; eles passaram juntos.

5 Viram-no e ficaram maravilhados; ficaram assombrados e se apressaram em fugir.

6 Tremor ali os tomou, e dores como de mulher de parto.

7 Tu quebras as naus de Társis com um vento oriental.

8 Como o ouvimos, assim o vimos na cidade do Senhor dos Exércitos, na cidade do nosso Deus. Deus a confirmará para sempre. (Selá.)

9 Lembramo-nos, ó Deus, da tua benignidade, no meio do teu templo.

10 Segundo é o teu nome, ó Deus, assim é o teu louvor, até aos fins da terra; a tua mão direita está cheia de justiça.

11 Alegre-se o monte de Sião; alegrem-se as filhas de Judá por causa dos teus juízos.

12 Rodeai Sião, e cercai-a, contai as suas torres.

13 Marcai bem os seus antemuros, considerai os seus palácios, para que o conteis à geração seguinte.

14 Porque este Deus é o nosso Deus para sempre; ele será nosso guia até à morte.

1 Grande é o Senhor e mui digno de ser louvado, na cidade do nosso Deus, no seu monte santo.

2 De bela e alta situação, alegria de toda terra é o monte Sião aos lados do norte, a cidade do grande Rei.

3 Nos palácios dela Deus se fez conhecer como alto refúgio.

4 Pois eis que os reis conspiraram; juntos vieram chegando.

5 Viram-na, e então ficaram maravilhados; ficaram assombrados e se apressaram em fugir.

6 Aí se apoderou deles o tremor, sentiram dores como as de uma parturiente.

7 Com um vento oriental quebraste as naus de Társis.

8 Como temos ouvido, assim vimos na cidade do Senhor dos exércitos, na cidade do nosso Deus; Deus a estabelece para sempre.

9 Temos meditado, ó Deus, na tua benignidade no meio do teu templo.

10 Como é o teu nome, ó Deus, assim é o teu louvor até os confins da terra; de retidão está cheia a tua destra.

11 Alegre-se o monte Sião, regozijem-se as filhas de Judá, por causa dos teus juízos.

12 Dai voltas a Sião, ide ao redor dela; contai as suas torres.

13 Notai bem os seus antemuros, percorrei os seus palácios, para que tudo narreis à geração seguinte.

14 Porque este Deus é o nosso Deus para todo o sempre; ele será nosso guia até a morte.