Juízes 5

1 E cantou Débora e Baraque, filho de Abinoão, naquele mesmo dia, dizendo:

2 Louvai ao Senhor pela vingança de Israel, quando o povo se ofereceu voluntariamente.

3 Ouvi, reis; dai ouvidos, príncipes; eu, eu cantarei ao Senhor; salmodiarei ao Senhor Deus de Israel.

4 Ó Senhor, saindo tu de Seir, caminhando tu desde o campo de Edom, a terra estremeceu; até os céus gotejaram; até as nuvens gotejaram águas.

5 Os montes se derreteram diante do Senhor, e até Sinai diante do Senhor Deus de Israel.

6 Nos dias de Sangar, filho de Anate, nos dias de Jael cessaram os caminhos; e os que andavam por veredas iam por caminhos torcidos.

7 Cessaram as aldeias em Israel, cessaram; até que eu, Débora, me levantei, por mãe em Israel me levantei.

8 E se escolhia deuses novos, logo a guerra estava às portas; via-se por isso escudo ou lança entre quarenta mil em Israel?

9 Meu coração é para os legisladores de Israel, que voluntariamente se ofereceram entre o povo; bendizei ao Senhor.

10 Vós os que cavalgais sobre jumentas brancas, que vos assentais em juízo, que andais pelo caminho, falai disto.

11 Donde se ouve o estrondo dos flecheiros, entre os lugares onde se tiram águas, ali falai das justiças do Senhor, das justiças que fez às suas aldeias em Israel; então o povo do Senhor descia às portas.

12 Desperta, desperta, Débora, desperta, desperta, entoa um cântico; levanta-te, Baraque, e leva presos os teus cativos, tu, filho de Abinoão.

13 Então fez dominar sobre os nobres entre o povo, aos que restaram; fez-me o Senhor dominar sobre os poderosos.

14 De Efraim saiu a sua raiz contra Amaleque; e depois de ti vinha Benjamim dentre os teus povos; de Maquir desceram os legisladores, e de Zebulom os que levaram a cana do escriba.

15 Também os principais de Issacar foram com Débora; e como Issacar, assim também Baraque, foi enviado a pé para o vale; nas divisões de Rúben foram grandes as resoluções do coração.

16 Por que ficaste tu entre os currais para ouvires os balidos dos rebanhos? Nas divisões de Rúben tiveram grandes esquadrinhações do coração.

17 Gileade ficou além do Jordão, e Dã por que se deteve nos navios? Aser se assentou na beira dos mares, e ficou junto às suas baías.

18 Zebulom é um povo que expôs a sua vida à morte, como também Naftali, nas alturas do campo.

19 Vieram reis, pelejaram; então pelejaram os reis de Canaã em Taanaque, junto às águas de Megido; não tomaram despojo de prata.

20 Desde os céus pelejaram; até as estrelas desde os lugares dos seus cursos pelejaram contra Sísera.

21 O ribeiro de Quisom os arrastou, aquele antigo ribeiro, o ribeiro de Quisom. Pisaste, ó minha alma, à força.

22 Então os cascos dos cavalos se despedaçaram; pelo galopar, o galopar dos seus valentes.

23 Amaldiçoai a Meroz, diz o anjo do Senhor, acremente amaldiçoai aos seus moradores; porquanto não vieram ao socorro do Senhor, ao socorro do Senhor com os valorosos.

24 Bendita seja entre as mulheres, Jael, mulher de Héber, o queneu; bendita seja entre as mulheres nas tendas.

25 Água pediu ele, leite lhe deu ela; em prato de nobres lhe ofereceu manteiga.

26 À estaca estendeu a sua mão esquerda, e ao martelo dos trabalhadores a sua direita; e matou a Sísera, e rachou-lhe a cabeça, quando lhe pregou e atravessou as fontes.

27 Entre os seus pés se encurvou, caiu, ficou estirado; entre os seus pés se encurvou, caiu; onde se encurvou, ali ficou abatido.

28 A mãe de Sísera olhava pela janela, e exclamava pela grade: Por que tarda em vir o seu carro? Por que se demoram os ruídos dos seus carros?

29 As mais sábias das suas damas responderam; e até ela respondia a si mesma:

30 Porventura não achariam e repartiriam despojos? Uma ou duas moças a cada homem? Para Sísera despojos de estofos coloridos, despojos de estofos coloridos bordados; de estofos coloridos bordados de ambos os lados como despojo para os pescoços.

31 Assim, ó Senhor, pereçam todos os teus inimigos! Porém os que te amam sejam como o sol quando sai na sua força.

32 E sossegou a terra quarenta anos.

1 Cecineruntque Debora et Barac filius Abinoem in die illo dicen tes:

2 " Quia comae excussae sunt in Israel,cum sponte se obtulit populus,benedicite Domino!

3 Audite, reges, percipite auribus, principes;ego sum, ego sum, quae Domino canam,psallam Domino, Deo Israel!

4 Domine, cum exires de Seir,incederes de regione Edom,terra mota est, caelique stillaverunt, ac nubes stillaverunt aquis;

5 montes fluxerunt a facie Domini Sinai,a facie Domini, Dei Israel.

6 In diebus Samgar filii Anath,in diebus Iahel quieverunt semitae; et, qui ingrediebantur per eas,ambulaverunt per calles devios.

7 Cessaverunt fortes in Israel et quieverunt,donec surgeres, Debora,surgeres mater in Israel.

8 Elegerunt deos novos;tunc erat pugna in portis.Clipeus et hasta non apparueruntin quadraginta milibus Israel.

9 Cor meum diligit principes Israel.Qui sponte obtulistis vos in populo, benedicite Domino!

10 Qui ascenditis super nitentes asinaset sedetis super tapetiaet ambulatis in via, loquimini.

11 Ad vocem eorum,qui distribuunt aquas ad canales,ibi narrant iustitias Domini,iustitias fortitudinis eius in Israel:tunc descendit populus Domini ad portas.

12 Surge, surge, Debora;surge, surge et loquere canticum!Surge, Barac, et apprehende captivos tuos,fili Abinoem!

13 Tunc descenderunt reliquiae ad inclitos,populus Domini descendit pro eo in fortibus.

14 Ex Ephraim venerunt principes in vallempost te, Beniamin, in populis tuis.De Machir principes descenderunt, et de Zabulon, qui tenent sceptrum, praefecti.

15 Duces Issachar fuere cum Debora;sic Barac in vallem missus cum peditibus suis.In pagis Ruben magna consilia cordis.

16 Quare sedebas inter caulas,ut audires sibilos tibiae apud greges?Pagis Ruben magnae investigationes cordis.

17 Galaad trans Iordanem quiescebat;et Dan cur peregrinus vacabat navibus?Aser habitabat in litore mariset in portibus morabatur.

18 Zabulon vero obtulit animam suam morti,et Nephthali super excelsa regionis.

19 Venerunt reges et pugnaverunt,pugnaverunt reges Chanaanin Thanach iuxta aquas Mageddo, praedam argenti non tulere!

20 De caelo dimicaverunt stellae,cursu suo adversus Sisaram pugnaverunt.

21 Torrens Cison traxit cadavera eorum,torrens proeliorum, torrens Cison; incede, anima mea, fortiter.

22 Tunc calcaverunt ungulae equorumin cursu praecipiti fortium suorum.

23 Maledicite, Meroz, dixit angelus Domini,maledicite habitatoribus eius,quia non venerunt ad auxilium Domini,in adiutorium Domini in fortibus.

24 Benedicta prae mulieribus Iahel uxor Haber Cinaei,prae mulieribus tabernaculi benedicatur!

25 Aquam petenti lac deditet in phiala principum obtulit butyrum.

26 Sinistram manum misit ad clavumet dextram ad fabrorum malleum:percussitque Sisaram quaerens in capite vulneri locumet tempus valide perforans.

27 Inter pedes eius ruit, cecidit, iacebat;inter pedes eius ruit, cecidit;ubi ruit, ibi iacebat exanimis.

28 Per fenestram prospiciens eiulabatmater Sisarae per cancellos:Cur moratur regredi currus eius? Quare tardant rotae quadrigarum illius?".

29 Una sapientior ceteris uxoribus respondit ei,et ipsa sibi repetit verba illius:

30 "Certo nunc dividunt inventa spolia, unam, duas feminas singulis viris;duas vestes diversorum colorumSisarae in praedam;unam, duas texturas discolorescollo meo in praedam".

31 Sic pereant omnes inimici tui, Domine!Qui autem diligunt eum, rutilent,sicut sol in ortu suo splendet ".

32 Quievitque terra per quadraginta annos.