Eclesiastes 11

1 Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás.

2 Reparte com sete, e ainda até com oito, porque não sabes que mal haverá sobre a terra.

3 Estando as nuvens cheias, derramam a chuva sobre a terra, e caindo a árvore para o sul, ou para o norte, no lugar em que a árvore cair ali ficará.

4 Quem observa o vento, nunca semeará, e o que olha para as nuvens nunca segará.

5 Assim como tu não sabes qual o caminho do vento, nem como se formam os ossos no ventre da mulher grávida, assim também não sabes as obras de Deus, que faz todas as coisas.

6 Pela manhã semeia a tua semente, e à tarde não retires a tua mão, porque tu não sabes qual prosperará, se esta, se aquela, ou se ambas serão igualmente boas.

7 Certamente suave é a luz, e agradável é aos olhos ver o sol.

8 Porém, se o homem viver muitos anos, e em todos eles se alegrar, também se deve lembrar dos dias das trevas, porque hão de ser muitos. Tudo quanto sucede é vaidade.

9 Alegra-te, jovem, na tua mocidade, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade, e anda pelos caminhos do teu coração, e pela vista dos teus olhos; sabe, porém, que por todas estas coisas te trará Deus a juízo.

10 Afasta, pois, a ira do teu coração, e remove da tua carne o mal, porque a adolescência e a juventude são vaidade.

1 Mitte panem tuum super transeuntes aquas, quia post tempora multa invenies illum.

2 Da partem septem necnon et octo, quia ignoras, quid futurum sit mali super terram.

3 Si repletae fuerint nubes,imbrem super terram effundent;si ceciderit lignum ad austrum aut ad aquilonem,in quocumque loco ceciderit, ibi erit.

4 Qui observat ventum, non seminat, et, qui considerat nubes, numquam metet.

5 Quomodo ignoras, quae sit via spiritus, et qua ratione compingantur ossa in ventre praegnantis, sic nescis opera Dei, qui fabricator est omnium.

6 Mane semina semen tuum,et vespere ne cesset manus tua,quia nescis quid magis prosit,hoc aut illud,et si utrumque simul melius erit.

7 Dulce lumen,et delectabile est oculis videre solem.

8 Si annis multis vixerit homoet in his omnibus laetatus fuerit,meminisse debet tenebrosi temporis, quod multum erit:omne, quod venerit, vanitas.

9 Laetare ergo, iuvenis, in adulescentia tua,et in bono sit cor tuum in diebus iuventutis tuae,et ambula in viis cordis tuiet in intuitu oculorum tuorumet scito quod pro omnibus hisadducet te Deus in iudicium.

10 Aufer curam a corde tuoet amove malum a carne tua;adulescentia enim et iuventus vanae sunt.