Isaías 51

1 Ouvi-me, vós os que seguis a justiça, os que buscais ao SENHOR. Olhai para a rocha de onde fostes cortados, e para a caverna do poço de onde fostes cavados.

2 Olhai para Abraão, vosso pai, e para Sara, que vos deu à luz; porque, sendo ele só, o chamei, e o abençoei e o multipliquei.

3 Porque o Senhor consolará a Sião; consolará a todos os seus lugares assolados, e fará o seu deserto como o Éden, e a sua solidão como o jardim do Senhor; gozo e alegria se achará nela, ação de graças, e voz de melodia.

4 Atendei-me, povo meu, e nação minha, inclinai os ouvidos para mim; porque de mim sairá a lei, e o meu juízo farei repousar para a luz dos povos.

5 Perto está a minha justiça, vem saindo a minha salvação, e os meus braços julgarão os povos; as ilhas me aguardarão, e no meu braço esperarão.

6 Levantai os vossos olhos para os céus, e olhai para a terra em baixo, porque os céus desaparecerão como a fumaça, e a terra se envelhecerá como roupa, e os seus moradores morrerão semelhantemente; porém a minha salvação durará para sempre, e a minha justiça não será abolida.

7 Ouvi-me, vós que conheceis a justiça, povo em cujo coração está a minha lei; não temais o opróbrio dos homens, nem vos turbeis pelas suas injúrias.

8 Porque a traça os roerá como a roupa, e o bicho os comerá como a lã; mas a minha justiça durará para sempre, e a minha salvação de geração em geração.

9 Desperta, desperta, veste-te de força, ó braço do Senhor; desperta como nos dias passados, como nas gerações antigas. Não és tu aquele que cortou em pedaços a Raabe, o que feriu ao chacal?

10 Não és tu aquele que secou o mar, as águas do grande abismo? O que fez o caminho no fundo do mar, para que passassem os remidos?

11 Assim voltarão os resgatados do Senhor, e virão a Sião com júbilo, e perpétua alegria haverá sobre as suas cabeças; gozo e alegria alcançarão, a tristeza e o gemido fugirão.

12 Eu, eu sou aquele que vos consola; quem, pois, és tu para que temas o homem que é mortal, ou o filho do homem, que se tornará em erva?

13 E te esqueces do Senhor que te criou, que estendeu os céus, e fundou a terra, e temes continuamente todo o dia o furor do angustiador, quando se prepara para destruir; pois onde está o furor do que te atribulava?

14 O exilado cativo depressa será solto, e não morrerá na caverna, e o seu pão não lhe faltará.

15 Porque eu sou o Senhor teu Deus, que agito o mar, de modo que bramem as suas ondas. O Senhor dos Exércitos é o seu nome.

16 E ponho as minhas palavras na tua boca, e te cubro com a sombra da minha mão; para plantar os céus, e para fundar a terra, e para dizer a Sião: Tu és o meu povo.

17 Desperta, desperta, levanta-te, ó Jerusalém, que bebeste da mão do Senhor o cálice do seu furor; bebeste e sorveste os sedimentos do cálice do atordoamento.

18 De todos os filhos que ela teve, nenhum há que a guie mansamente; e de todos os filhos que criou, nenhum há que a tome pela mão.

19 Estas duas coisas te aconteceram; quem terá compaixão de ti? A assolação, e o quebrantamento, e a fome, e a espada! Por quem te consolarei?

20 Os teus filhos já desmaiaram, jazem nas entradas de todos os caminhos, como o antílope na rede; cheios estão do furor do Senhor e da repreensão do teu Deus.

21 Portanto agora ouve isto, ó aflita, e embriagada, mas não de vinho.

22 Assim diz o teu Senhor o Senhor, e o teu Deus, que pleiteará a causa do seu povo: Eis que eu tomo da tua mão o cálice do atordoamento, os sedimentos do cálice do meu furor, nunca mais dele beberás.

23 Porém, pô-lo-ei nas mãos dos que te entristeceram, que disseram à tua alma: Abaixa-te, e passaremos sobre ti; e tu puseste as tuas costas como chão, e como caminho, aos viandantes.

1 Audite me, qui sequimini iustitiam,qui quaeritis Dominum;attendite ad petram, unde excisi estis,et ad cavernam laci, de qua praecisi estis.

2 Attendite ad Abraham patrem vestrumet ad Saram, quae peperit vos;quia unum vocavi eumet benedixi ei et multiplicavi eum.

3 Consolatur enim Dominus Sion,consolatur omnes ruinas eius;et ponit desertum eius quasi Edenet solitudinem eius quasi hortum Domini.Gaudium et laetitia invenietur in ea,gratiarum actio et vox laudis.

4 Attendite ad me, popule meus;et nationes, me audite,quia lex a me exiet,et iudicium meum in lucem populorum statuam.

5 Prope est iustitia mea,egressa est salus mea,et brachia mea populos iudicabunt;in me insulae sperabuntet ad brachium meum attendent.

6 Levate in caelum oculos vestroset inspicite in terram deorsum,quia caeli sicut fumus liquescent,et terra sicut vestimentum atteretur,et habitatores eius sicut haec interibunt.Salus autem mea in sempiternum erit,et iustitia mea non deficiet.

7 Audite me, qui scitis iustitiam,popule, in cuius corde est lex mea:nolite timere opprobrium hominumet blasphemias eorum ne metuatis.

8 Sicut enim vestimentum sic comedet eos vermis,et sicut lanam sic devorabit eos tinea;iustitia autem mea in sempiternum erit,et salus mea in generationes generationum.

9 Consurge, consurge, induere fortitudinem,brachium Domini;consurge sicut in diebus antiquis,in generationibus saeculorum.Numquid non tu percussisti Rahab,vulnerasti draconem?

10 Numquid non tu siccasti mare,aquam abyssi vehementis,qui posuisti profundum maris viam,ut transirent liberati?

11 Et redempti a Domino revertenturet venient in Sion laudantes;et laetitia sempiterna super capita eorum,gaudium et laetitiam obtinebunt;fugiet dolor et gemitus.

12 Ego, ego ipse consolator vester.Quis tu, ut timeas ab homine mortaliet a filio hominis, qui quasi fenum ita arescet?

13 Et oblitus es Domini factoris tui,qui tetendit caelos et fundavit terram;et formidasti iugiter tota diea facie furoris eius, qui te tribulabat,cum parabat ad perdendum.Ubi nunc est furor tribulantis?

14 Cito captivus liberabituret non morietur in fovea,nec deficiet panis eius.

15 Ego enim sum Dominus Deus tuus,qui conturbo mare,et intumescunt fluctus eius;Dominus exercituum nomen eius.

16 Posui verba mea in ore tuoet in umbra manus meae protexi te,cum extendebam caelos et fundabam terramet dicebam ad Sion: "Populus meus es tu ".

17 Elevare, elevare, consurge, Ierusalem,quae bibisti de manu Domini calicem irae eius;poculum soporis bibisti,epotasti.

18 Non est qui sustentet eamex omnibus filiis, quos genuit;et non est qui apprehendat manum eiusex omnibus filiis, quos enutrivit.

19 Duo sunt quae occurrerunt tibi;quis contristabitur super te?Vastitas et contritio et fames et gladius;quis consolabitur te?

20 Filii tui defecerunt,iacent in capite omnium viarumsicut oryx illaqueatus,pleni indignatione Domini,increpatione Dei tui.

21 Idcirco audi hoc, pauperculaet ebria, sed non a vino.

22 Haec dicit dominator tuus,Dominus et Deus tuus, qui contendit pro populo suo: Ecce tuli de manu tua calicem soporis,poculum indignationis meae;non adicies, ut bibas illum ultra.

23 Et ponam illum in manu eorum, qui te humiliaveruntet dixerunt tibi: "Incurvare, ut transeamus";et ponebas ut terram dorsum tuumet quasi viam transeuntibus ".