Deuteronômio 14

1 “Uma vez que vocês são filhos do Senhor, seu Deus, não se cortem, nem raspem o cabelo acima da testa em sinal de luto.

2 Vocês são um povo consagrado ao Senhor, seu Deus, e ele os escolheu dentre todas as nações da terra para serem sua propriedade especial.

3 “Não comam animais detestáveis, cerimonialmente impuros.

4 São estes os animais que vocês podem comer: o boi, a ovelha, o bode,

5 o veado, a gazela, a corça, a cabra-selvagem, o íbex, o antílope e a ovelha montês.

6 “Vocês podem comer qualquer animal que tenha os cascos divididos em duas partes e que rumine,

7 mas, se o animal não apresentar essas duas características, não pode ser consumido. Não comam, portanto, o camelo, nem a lebre, nem o coelho silvestre. Eles ruminam, mas não têm os cascos divididos, de modo que são impuros para vocês.

8 Também não comam o porco, pois, embora tenha os cascos divididos, não rumina e, portanto, é impuro para vocês. Não comam a carne desses animais nem toquem em seu cadáver.

9 “De todos os animais que vivem nas águas, vocês podem comer qualquer um que tenha barbatanas e escamas.

10 Não comam, porém, animais que vivem nas águas, mas não têm barbatanas e escamas. Eles são impuros para vocês.

11 “Vocês podem comer qualquer criatura voadora que seja cerimonialmente pura.

12 Estas são as criaturas voadoras que vocês não podem comer: o abutre-fouveiro, o abutre-barbudo, o abutre-fusco,

13 o milhafre, o falcão e todas as espécies de condores,

14 todas as espécies de corvos,

15 a coruja-de-chifres, a coruja-do-campo, a gaivota, todas as espécies de gaviões,

16 o mocho-galego, o corujão, a coruja-das-torres,

17 a coruja-do-deserto, o abutre-do-egito, o cormorão,

18 a cegonha, todas as espécies de garças, a poupa e o morcego.

19 “Todos os insetos alados que rastejam pelo chão são impuros para vocês, de modo que não podem comê-los.

20 Contudo, podem comer qualquer criatura voadora que seja cerimonialmente pura.

21 “Não comam animal algum que tenha morrido de causas naturais. Podem dá-lo a um estrangeiro que vive em sua cidade ou vendê-lo a outros estrangeiros. Vocês mesmos, porém, não o comerão, pois são um povo consagrado ao Senhor, seu Deus. “Não cozinhem o cabrito no leite da mãe dele.”

22 “Separem o dízimo de suas colheitas, um décimo de toda a sua safra anual.

23 Levem o dízimo ao lugar que o Senhor, seu Deus, escolher para estabelecer seu nome e comam o dízimo ali, na presença do Senhor. Isso se aplica aos dízimos de cereais, do vinho novo, do azeite e dos machos das primeiras crias do gado e dos rebanhos. Com isso, aprenderão a sempre temer o Senhor, seu Deus.

24 “Se o Senhor, seu Deus, os abençoar com uma boa colheita, mas o lugar que ele escolher para habitação do seu nome for distante demais para vocês levarem o dízimo,

25 vendam a décima parte de suas colheitas e rebanhos, coloquem o dinheiro numa bolsa e levem-no ao lugar que o Senhor, seu Deus, escolheu.

26 Quando chegarem, usem o dinheiro para comprar o tipo de alimento que desejarem: bois, ovelhas, vinho ou qualquer outra bebida fermentada. Então, na presença do Senhor, seu Deus, comam e alegrem-se com toda a sua família.

27 E não se esqueçam de cuidar dos levitas de sua cidade, pois eles não receberão porção alguma de terra como herança entre vocês.

28 “Ao final de cada três anos, levem todo o dízimo da colheita daquele ano à cidade mais próxima e armazenem-no ali.

29 Entreguem o dízimo aos levitas, que não receberão porção alguma de terra como herança entre vocês, e também aos estrangeiros que vivem entre vocês, e aos órfãos e às viúvas de suas cidades, para que eles comam até se saciarem. Então o Senhor, seu Deus, os abençoará em todo o seu trabalho.”

Copyright© 2017 por Editora Mundo Cristão. Todos os direitos reservados em língua portuguesa. A Nova Versão Transformadora (NVT) e seu logotipo são marcas registradas. Usados com permissão.