Lucas 19

1 Jesus entrou em Jericó e atravessava a cidade.

2 Havia ali um homem rico chamado Zaqueu, chefe dos cobradores de impostos.

3 Tentava ver Jesus, mas era baixo demais e não conseguia olhar por cima da multidão.

4 Por isso, correu adiante e subiu numa figueira-brava, no caminho por onde Jesus passaria.

5 Quando Jesus chegou ali, olhou para cima e disse: “Zaqueu, desça depressa! Hoje devo hospedar-me em sua casa”.

6 Sem demora, Zaqueu desceu e, com alegria, recebeu Jesus em sua casa.

7 Ao ver isso, o povo começou a se queixar: “Ele foi se hospedar na casa de um pecador!”.

8 Enquanto isso, Zaqueu se levantou e disse: “Senhor, darei metade das minhas riquezas aos pobres. E, se explorei alguém na cobrança de impostos, devolverei quatro vezes mais!”.

9 Jesus respondeu: “Hoje chegou a salvação a esta casa, pois este homem também é filho de Abraão.

10 Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar os perdidos”.

11 A multidão estava atenta ao que Jesus dizia. Então, como ele se aproximava de Jerusalém, contou-lhes uma parábola, pois o povo achava que o reino de Deus começaria de imediato.

12 Disse ele: “Um nobre foi chamado a um país distante para ser coroado rei e depois voltar.

13 Antes de partir, reuniu dez de seus servos e deu a cada um deles dez moedas de prata, dizendo: ‘Invistam esse dinheiro enquanto eu estiver fora’.

14 Seu povo, porém, o odiava, e enviou uma delegação atrás dele para dizer: ‘Não queremos que ele seja nosso rei’.

15 “Depois de ser coroado, ele voltou e chamou os servos aos quais tinha confiado o dinheiro, pois queria saber quanto haviam lucrado.

16 O primeiro servo informou: ‘Senhor, investi seu dinheiro, e ele rendeu dez vezes a quantia recebida.

17 “‘Muito bem!’, disse o rei. ‘Você é um bom servo. Foi fiel no pouco que lhe confiei e, como recompensa, governará dez cidades.’

18 “O servo seguinte informou: ‘Senhor, investi seu dinheiro, e ele rendeu cinco vezes a quantia recebida’.

19 “‘Muito bem!’, disse o rei. ‘Você governará cinco cidades.’

20 “O terceiro servo, porém, trouxe de volta apenas a quantia recebida e disse: ‘Senhor, escondi seu dinheiro para mantê-lo seguro.

21 Tive medo, pois o senhor é um homem severo. Toma o que não lhe pertence e colhe o que não plantou’.

22 “‘Servo mau!’, exclamou o senhor. ‘Suas próprias palavras o condenam. Se você sabia que sou homem severo, que tomo o que não me pertence e colho o que não plantei,

23 por que não depositou meu dinheiro? Pelo menos eu teria recebido os juros.’

24 “Então, voltando-se para os outros que estavam ali perto, o rei ordenou: ‘Tomem o dinheiro deste servo e deem ao que tem dez moedas.

25 “‘Mas senhor!’, disseram eles. ‘Ele já tem dez!’

26 “Então o rei respondeu: ‘Sim, ao que tem, mais lhe será dado; mas do que nada tem, até o que tem lhe será tomado.

27 E, quanto a esses meus inimigos que não queriam que eu fosse seu rei, tragam-nos aqui e executem-nos na minha presença’”.

28 Depois de contar essa história, Jesus prosseguiu rumo a Jerusalém.

29 Quando chegou a Betfagé e Betânia, próximo ao monte das Oliveiras, enviou dois de seus discípulos.

30 “Vão àquele povoado adiante”, disse ele. “Assim que entrarem, verão amarrado ali um jumentinho no qual ninguém jamais montou. Desamarrem-no e tragam-no para cá.

31 Se alguém perguntar: ‘Por que estão soltando o jumentinho?’, respondam apenas: ‘O Senhor precisa dele’.”

32 Eles foram e encontraram o jumentinho, exatamente como Jesus tinha dito.

33 E, enquanto o desamarravam, seus donos perguntaram: “Por que estão soltando o jumentinho?”.

34 Os discípulos responderam: “O Senhor precisa dele”.

35 Então trouxeram o jumentinho e lançaram seus mantos sobre o animal, para que Jesus montasse nele.

36 À medida que Jesus ia passando, as multidões espalhavam seus mantos ao longo do caminho diante dele.

37 Quando ele chegou próximo à descida do monte das Oliveiras, seus seguidores começaram a gritar e a cantar enquanto o acompanhavam, louvando a Deus por todos os milagres maravilhosos que tinham visto.

38 “Bendito é o Rei que vem em nome do Senhor! Paz no céu e glória nas maiores alturas!”.

39 Alguns dos fariseus que estavam entre a multidão disseram: “Mestre, repreenda seus seguidores por dizerem estas coisas!”.

40 Ele, porém, respondeu: “Se eles se calarem, as próprias pedras clamarão!”.

41 Quando Jesus se aproximou de Jerusalém e viu a cidade, começou a chorar.

42 “Como eu gostaria que hoje você compreendesse o caminho para a paz!”, disse ele. “Agora, porém, isso está oculto a seus olhos.

43 Chegará o tempo em que seus inimigos construirão rampas para atacar seus muros e a rodearão e apertarão o cerco por todos os lados.

44 Esmagarão você e seus filhos e não deixarão pedra sobre pedra, pois você não reconheceu que Deus a visitou.”

45 Então Jesus entrou no templo e começou a expulsar os que ali vendiam,

46 dizendo: “As Escrituras declaram: ‘Meu templo será casa de oração’, mas vocês o transformaram num esconderijo de ladrões!”.

47 Jesus ensinava todos os dias no templo, mas os principais sacerdotes, os mestres da lei e outros líderes do povo planejavam matá-lo.

48 Contudo, não conseguiam pensar num modo de fazê-lo, pois o povo ouvia atentamente tudo que ele dizia.

Copyright© 2017 por Editora Mundo Cristão. Todos os direitos reservados em língua portuguesa. A Nova Versão Transformadora (NVT) e seu logotipo são marcas registradas. Usados com permissão.