Lamentações 4

1 Alef. Como escureceu o ouro, como se alterou o ouro fino! Foram dispersadas as pedras sagradas por todos os cantos da rua?

2 Bet. Os nobres filhos de Sião, tão estimados quanto o ouro fino, ei-los contados como vasos, obra de um oleiro!

3 Guimel. Mesmo chacais dão a mama a fim de aleitar suas crias; mas a filha do meu povo é cruel, qual avestruz do deserto.

4 Dalet. A língua dos bebês, de tanta sede, se lhes prega ao palato! As crianças reclamam pão. E ninguém lho dá.

5 He. Aqueles que em comidas finas se compraziam definham pelas ruas. E os que foram educados no fausto têm por leito o esterco.

6 Vau. O castigo da filha do meu povo é maior que o pecado de Sodoma, num momento destruída sem que ninguém lhe lançasse a mão.

7 Zain. Os príncipes brilhavam mais que a neve, mais brancos do que o leite. Seus corpos eram mais vermelhos que o coral, e era de safira o seu aspecto.

8 Het. Agora, seus rostos ficaram mais sombrios do que a fuligem; pelas ruas, são irreconhecíveis. A pele se lhes colou aos ossos, e qual madeira ressecou-se.

9 Tet. As vítimas do gládio são mais felizes do que as da fome, que lentamente se esgotam pela falta dos produtos da terra.

10 Iod. Mãos de mulheres, cheias de ternura, cozinharam os filhos, a fim de servirem de alimento, quando da ruína da filha de meu povo.

11 Caf. O Senhor saciou o seu furor, e derramou o ardor de sua cólera, acendendo um fogo em Sião que a devorou até os alicerces.

12 Lamed. Não podiam acreditar os reis da terra, e todos os habitantes do mundo, que o inimigo opressor transporia as portas de Jerusalém.

13 Mem. Foi por causa dos pecados de seus profetas e das iniqüidades dos sacerdotes, que derramavam em seus muros o sangue dos justos.

14 Nun. Quais cegos erravam pelas ruas, vertendo sangue a tal ponto que ninguém ousava tocar em suas vestes.

15 Samec. Para trás! É um impuro! - lhes gritavam. Para trás! Para trás! Não toqueis! E quando fugiam, errantes entre os pagãos, todos diziam: Aqui não ficarão.

16 Pe. A face do Senhor dispersou-os e para eles não olha mais: nenhuma deferência aos sacerdotes, nem piedade com os anciãos.

17 Ain. Nossos olhos se consumiam, na esperança de um vão socorro. Espreitávamos do alto das torres a vinda de um povo incapaz de nos livrar.

18 Sade. Espreitavam os nossos passos; nem mais podíamos andar pela rua. Nosso fim se aproxima. Terminam nossos dias. Sim! Chegou o nosso termo.

19 Cof. Os que nos perseguiam eram mais velozes que as águias do céu. Seguiram-nos pelos montes e nos armaram ciladas no deserto.

20 Res. O sopro de nossa vida o ungido do Senhor, caiu em suas ciladas. De quem dizíamos: À sua sombra viveremos entre as nações.

21 Sin. Exulta, alegra-te, filha de Edom, habitante da terra de Hus! A ti também será passado o cálice, e embriagada descobrirás tua nudez.

22 Tau. Findou teu castigo, filha de Sião {Deus} não mais te exilará. É a teus crimes que ele vai castigar, filha de Edom, e descobrir os teus pecados.

1 ALEPH. Quomodo obscuratum est aurum,mutatum est obryzum optimum!Dispersi sunt lapides sanctiin capite omnium platearum.

2 BETH. Filii Sion inclitiet ponderati auro primo,quomodo reputati sunt in vasa testea,opus manuum figuli!

3 GHIMEL. Sed et thoes nudaverunt mammam,lactaverunt catulos suos;filia populi mei crudelisquasi struthio in deserto.

4 DALETH. Adhaesit lingua lactantisad palatum eius in siti;parvuli petierunt panem,et non erat qui frangeret eis.

5 HE. Qui vescebantur voluptuose,interierunt in viis;qui nutriebantur in coccinis,amplexati sunt stercora.

6 VAU. Et maior effecta est iniquitas filiae populi meipeccato Sodomae,quae subversa est in momento,et non laborabant in ea manus.

7 ZAIN. Candidiores nazaraei eius nive,nitidiores lacte,rubicundiores in corpore coralliis,sapphirus aspectus eorum.

8 HETH. Denigrata est super carbones facies eorum,et non sunt cogniti in plateis:adhaesit cutis eorum ossibus,aruit et facta est quasi lignum.

9 TETH. Melius fuit occisis gladioquam interfectis fame,quoniam isti extabuerunt consumptia sterilitate terrae.

10 IOD. Manus mulierum misericordiumcoxerunt filios suos:facti sunt cibus earumin contritione filiae populi mei.

11 CAPH. Complevit Dominus furorem suum,effudit iram indignationis suae;et succendit ignem in Sion,qui devoravit fundamenta eius.

12 LAMED. Non crediderunt reges terraeet universi habitatores orbis,quoniam ingrederetur hostis et inimicusper portas Ierusalem.

13 MEM. Propter peccata prophetarum eiuset iniquitates sacerdotum eius,qui effuderunt in medio eiussanguinem iustorum.

14 NUN. Erraverunt caeci in plateis,polluti sunt in sanguine,ita ut nemo posset attingerelacinias eorum.

15 SAMECH. " Recedite! Pollutus est ", clamaverunt eis; Recedite, abite, nolite tangere! ".Cum fugerent et errarent, dixerunt inter gentes: Non addent ultra ut incolant ".

16 PHE. Facies Domini dispersit eos,non addet ut respiciat eos;facies sacerdotum non respexeruntneque senum miserti sunt.

17 AIN. Adhuc deficiunt oculi nostriad auxilium nostrum vanum?In specula nostra respeximusad gentem, quae salvare non potest.

18 SADE. Insidiati sunt vestigiis nostris,ne iremus per plateas nostras. Appropinquavit finis noster, completi sunt dies nostri,quia venit finis noster ".

19 COPH. Velociores fuerunt persecutores nostriaquilis caeli;super montes persecuti sunt nos,in deserto insidiati sunt nobis.

20 RES. Spiritus oris nostri, unctus Domini,captus est in foveis eorum,de quo dicebamus: " Sub umbra suavivemus in gentibus ".

21 SIN. Gaude et laetare, filia Edom,quae habitas in terra Us;ad te quoque perveniet calix,inebriaberis atque nudaberis.

22 THAU. Completa est iniquitas tua, filia Sion,non addet ultra ut transmigret te;visitavit iniquitatem tuam, filia Edom,discooperuit peccata tua.