Sofonias 2

1 Curvai-vos, curvai-vos, gente sem pudor,

2 antes que nasça a sentença e o dia passe como a palha; antes que caia sobre vós o ardor da ira do Senhor; antes que caia sobre vós o dia da indignação do Senhor!

3 Buscai o Senhor, vós todos, humildes da terra, que observais a sua lei; buscai a justiça e a humildade: talvez assim estareis ao abrigo no dia da cólera do Senhor.

4 Com efeito, Gaza tornar-se-á um deserto, e Ascalon uma solidão. Os habitantes de Azot serão expulsos em pleno meio-dia, e os de Acaron serão exterminados.

5 Ai dos habitantes da costa do mar! Ai do povo dos cretenses! A palavra do Senhor foi pronunciada contra vós, Canaã, terra dos filisteus: Destruir-te-ei de tal forma que ninguém te habitará mais.

6 A região do mar servirá de pasto para os pastores e de aprisco para os rebanhos.

7 Esta casa pertencerá ao resto da casa de Judá; eles apascentarão ali os seus rebanhos. À noite, descansarão nas casas de Ascalon, porque o Senhor, seu Deus, os visitará e os restabelecerá.

8 Ouvi os insultos de Moab e os ultrajes dos amonitas, que saciaram o meu povo de injúrias, e tomaram uma atitude insolente contra a sua terra.

9 Por isso, juro por minha vida - oráculo do Senhor dos exércitos, o Deus de Israel -, Moab será como Sodoma, e os amonitas como Gomorra: um campo de urtigas, uma região de sal, um deserto eterno. Os sobreviventes do meu povo os saquearão, os que restarem da minha gente serão seus herdeiros.

10 Tal será o preço do seu orgulho, por terem alardeado grandeza e insolência com o povo do Senhor dos exércitos.

11 O Senhor lhes será um objeto de terror, porque aniquilará todos os deuses da terra, e virão prostrar-se diante dele - cada um na sua terra - todos os habitantes das ilhas das nações.

12 Também vós, ó etíopes, sereis traspassados com minha espada!

13 Estenderá também a sua mão contra o norte, destruirá Assur, e reduzirá Nínive a um deserto árido como a estepe.

14 Rebanhos virão descansar ali, e animais dos vales; nos seus capitéis virão alojar-se o pelicano e o ouriço. Ouvir-se-á um murmúrio nas janelas, haverá desolação nos seus limiares, porque foi posto a descoberto o madeiramento de cedro.

15 Ei-la, a cidade alegre e cheia de confiança em si mesma, que dizia em seu coração: Eu, e só eu! Como se tornou ela um deserto, um covil de feras? Todo o que passar por ela assobiará e agitará a mão.

1 Convenite, congregamini,gens non amabilis,

2 priusquam dispergaminiquasi pulvis transeuntes,antequam veniat super vosira furoris Domini,antequam veniat super vosdies furoris Domini.

3 Quaerite Dominum,omnes mansueti terrae,qui iudicium eius estis operati;quaerite iustitiam, quaerite mansuetudinem,si quomodo abscondaminiin die furoris Domini.

4 Quia Gaza deserta erit,et Ascalon desolata,Azotum in meridie eicient,et Accaron eradicabitur.

5 Vae, qui habitatis funiculum maris, gens Cretensium!Verbum Domini super vos,Chanaan, terra Philisthinorum: Disperdam te,ita ut non sit inhabitator ".

6 Et erit funiculus marisrequies pastorum et caulae pecorum.

7 Et erit funiculus marisreliquiis domus Iudae:ibi pascentur,in domibus Ascalonis ad vesperam requiescent,quia visitabit eos Dominus Deus eorumet convertet sortem eorum.

8 " Audivi opprobrium Moabet blasphemias filiorum Ammon, qui exprobraverunt populo meoet magnificati sunt super terminos eorum.

9 Propterea vivo ego,dicit Dominus exercituum, Deus Israel,quia Moab ut Sodoma erit,et filii Ammon quasi Gomorra,possessio spinarum et acervi saliset desertum usque in aeternum;reliquiae populi mei diripient eos,et residui gentis meae possidebunt illos ".

10 Hoc eis eveniet pro superbia sua, quia blasphemaverunt et magnificati suntsuper populum Domini exercituum.

11 Horribilis Dominus super eos,quia attenuabit omnes deos terrae;et adorabunt eum, singuli de loco suo,omnes insulae gentium.

12 " Sed et vos, Aethiopes,interfecti gladio meo eritis ".

13 Et extendet manum suam super aquilonemet perdet Assyriam;et ponet Nineven in solitudinemet in aridam, quasi desertum.

14 Et accubabunt in medio eius greges,omne genus animalium.Et onocrotalus et ululain capitellis eius morabuntur;vox cantat in fenestra,corvus in limine,quoniam tabulatum cedrinum sublatum est.

15 Haec est civitas exsultans,habitans in confidentia,quae dicebat in corde suo: Ego sum, et extra me non est alia amplius! ".Quomodo facta est in desertum,cubile bestiae?Omnis, qui transit per eam,sibilabit et movebit manum suam.