Sofonias 3

1 Ai da {cidade} rebelde e abjeta, da cidade tirânica!

2 Ela não ouviu a voz, nem aceitou o aviso; não confiou no Senhor, nem se aproximou do Senhor seu Deus.

3 Seus chefes estão no meio dela como leões que rugem; seus juízes são como os lobos da noite que nada guardam para a manhã seguinte.

4 Seus profetas são jactanciosos e impostores; seus sacerdotes, profanadores de coisas santas e violadores da lei.

5 O Senhor, que reside no meio dela, é justo, nada faz de errado; cada manhã traz ele à luz a sua justiça, sem nunca falhar, jamais. O perverso, porém, não sabe o que é vergonha!

6 Exterminei as nações: seus chefes ficaram atarantados; devastei suas ruas de tal modo que ninguém mais passa por elas; e suas cidades foram de tal forma arrasadas, que já não resta nelas um habitante sequer.

7 Eu dizia: Ao menos {agora} temer-me-ás, e aceitarás o aviso; e sua casa não será destruída, conforme o que eu tinha decidido contra ela. Eles, porém, aplicaram-se ainda mais a perverter os seus caminhos.

8 Por isso, esperai-me - oráculo do Senhor - até o dia em que me levantarei como testemunha, porque resolvi congregar as nações e reunir os reinos, para descarregar sobre eles o meu furor, todo o ardor de minha cólera; porque toda a terra será devorada pelo fogo de meu ressentimento.

9 Então darei aos povos lábios puros, para que invoquem todos o nome do Senhor, e o sirvam num mesmo espírito de zelo.

10 De além dos rios da Etiópia virão os meus adoradores, meus filhos dispersos, trazer-me a sua oferta.

11 Naquele dia, não serás mais confundida por causa de todos os pecados que cometeste contra mim, porque então tirarei do meio de ti teus fanfarrões arrogantes; não te orgulharás mais no meu santo monte.

12 Deixarei subsistir no meio de ti um povo humilde e modesto, que porá sua confiança no nome do Senhor.

13 Os que restarem de Israel se absterão do mal, e não proferirão a mentira; não se achará mais em sua boca língua enganosa, porque serão apascentados e repousarão, sem haver quem os inquiete.

14 Solta gritos de alegria, filha de Sião! Solta gritos de júbilo, ó Israel! Alegra-te e rejubila-te de todo o teu coração, filha de Jerusalém!

15 O Senhor revogou a sentença pronunciada contra ti, e afastou o teu inimigo. O rei de Israel, que é o Senhor, está no meio de ti; não conhecerás mais a desgraça.

16 Naquele dia, dir-se-á em Jerusalém: Não temas, Sião! Não se enfraqueçam os teus braços!

17 O Senhor teu Deus está no meio de ti como herói Salvador! Ele anda em transportes de alegria por causa de ti, e te renova seu amor. Ele exulta de alegria a teu respeito

18 como num dia de festa. Suprimirei os que te feriram, tirarei a vergonha que pesa sobre ti.

19 Exterminarei, naquele dia, todos os teus opressores. Salvarei os coxos, recolherei os dispersos, farei deles um objeto de louvor, e de sua vergonha uma glória para toda a terra,

20 no tempo em que eu vos reconduzir, no tempo em que vos recolher, porque farei de vós um objeto de glória e de louvor entre todos os povos da terra, quando eu tiver realizado a vossa restauração sob os vossos olhos, diz o Senhor.

1 Vae, provocatrix et inquinata,civitas violenta!

2 Non audivit vocem,non suscepit disciplinam;in Domino non est confisa,ad Deum suum non appropiavit.

3 Principes eius in medio eiusleones rugientes;iudices eius lupi deserti,ossa non relinquunt in mane.

4 Prophetae eius vaniloqui,viri fallaces;sacerdotes eius polluerunt sanctum, iniuste egerunt contra legem.

5 Dominus iustus in medio eiusnon faciet iniquitatem;mane, mane iudicium suum dabit, sicut lucem, quae non deficit;nescivit autem iniquus confusionem.

6 " Disperdidi gentes,dissipati sunt anguli earum;desertas feci vias eorum,dum non est qui transeat;desolatae sunt civitates eorum,non remanente viro nec ullo habitatore.

7 Dixi: Nunc timebis me,suscipies disciplinam!Et non evanescent ab oculis eius omnia, in quibus visitavi eam.Verumtamen acceleraverunt corrumpereomnes actiones suas.

8 Quapropter exspecta me,dicit Dominus,in die qua surgam ut testis;quia iudicium meum, ut congregem genteset colligam regna,ut effundam super eas indignationem meam,omnem iram furoris mei;in igne enim zeli meidevorabitur omnis terra.

9 Quia tunc reddam populislabium purum,ut invocent omnes in nomine Dominiet serviant ei umero uno.

10 Ultra flumina Aethiopiae,inde supplices mei,filii dispersorum meorumdeferent munus mihi.

11 In die illa non confunderissuper cunctis actionibus tuis,quibus praevaricata es in me;quia tunc auferam de medio tuimagniloquos superbos tuos,et non adicies exaltari ampliusin monte sancto meo.

12 Et derelinquam in medio tuipopulum pauperem et egenum ".Et sperabunt in nomine Dominireliquiae Israel.

13 Non facient iniquitatemnec loquentur mendacium;et non invenietur in ore eorumlingua dolosa,quoniam ipsi pascentur et accubabunt,et non erit qui exterreat.

14 Lauda, filia Sion;iubilate, Israel!Laetare et exsulta in omni corde,filia Ierusalem!

15 Abstulit Dominus iudicium tuum,avertit inimicos tuos;rex Israel, Dominus, in medio tui,non timebis malum ultra.

16 In die illa dicetur Ierusalem: Noli timere, Sion;ne dissolvantur manus tuae!

17 Dominus Deus tuus in medio tui,fortis ipse salvabit;gaudebit super te in laetitia,commotus in dilectione sua;exsultabit super te in laude

18 sicut in die conventus ". Auferam a te calamitatem,ut non ultra habeas super ea opprobrium.

19 Ecce ego interficiamomnes, qui afflixerunt tein tempore illo;et salvabo claudicantemet eam, quae eiecta fuerat, congregabo;et ponam eos in laudem et in nomen in omni terra confusionis eorum,

20 in tempore illo, quo adducam vos,et in tempore, quo congregabo vos. Dabo enim vos in nomen et in laudemomnibus populis terrae,cum convertero sortem vestramcoram oculis vestris ",dicit Dominus.