Busca por "ensine o seu filho no caminho em que deve andar"

Eis que Deus é excelso em seu poder; quem ensina como ele?

Eis que este é a alegria do seu caminho, e outros brotarão do pó.

Quem acusará diante dele o seu caminho, e quem lhe dará o pago do que faz?

Eis que ensinaste a muitos, e tens fortalecido as mãos fracas.

Porventura a Deus se ensinaria ciência, a ele que julga os excelsos?

Na verdade, que devíeis dizer: Por que o perseguimos? Pois a raiz da acusação se acha em mim.

Deus entende o seu caminho, e ele sabe o seu lugar.

Porventura não te ensinarão eles, e não te falarão, e do seu coração não tirarão palavras?

Eis que isto são apenas as orlas dos seus caminhos; e quão pouco é o que temos ouvido dele! Quem, pois, entenderia o trovão do seu poder?

Eu escolhia o seu caminho, assentava-me como chefe, e habitava como rei entre as suas tropas; como aquele que consola os que pranteiam.

Ao que está aflito devia o amigo mostrar compaixão, ainda ao que deixasse o temor do Todo-Poderoso.

Que nos ensina mais do que aos animais da terra e nos faz mais sábios do que as aves dos céus?

O que não vejo, ensina-me tu; se fiz alguma maldade, nunca mais a hei de fazer?

Ensinar-vos-ei acerca da mão de Deus, e não vos encobrirei o que está com o Todo-Poderoso.

Ensina-nos o que lhe diremos: porque nós nada poderemos pôr em boa ordem, por causa das trevas.

E o justo seguirá o seu caminho firmemente, e o puro de mãos irá crescendo em força.

E sucedeu um dia, em que seus filhos e suas filhas comiam, e bebiam vinho, na casa de seu irmão primogênito,

Quem lhe prescreveu o seu caminho? Ou, quem lhe dirá: Tu cometeste maldade?

Onde está o caminho onde mora a luz? E, quanto às trevas, onde está o seu lugar;

Nas suas pisadas os meus pés se afirmaram; guardei o seu caminho, e não me desviei dele.

Juntas vieram as suas tropas, e prepararam contra mim o seu caminho, e se acamparam ao redor da minha tenda.

Porque, segundo a obra do homem, ele lhe paga; e faz a cada um segundo o seu caminho.

E caminha em companhia dos que praticam a iniqüidade, e anda com homens ímpios?

Por que se dá luz ao homem, cujo caminho é oculto, e a quem Deus o encobriu?

Ele é obra-prima dos caminhos de Deus; o que o fez o proveu da sua espada.

Onde está o caminho em que se reparte a luz, e se espalha o vento oriental sobre a terra?

Porventura não perguntastes aos que passam pelo caminho, e não conheceis os seus sinais,

Ainda que ele me mate, nele esperarei; contudo os meus caminhos defenderei diante dele.

Eles estão entre os que se opõem à luz; não conhecem os seus caminhos, e não permanecem nas suas veredas.

Tomai, pois, sete bezerros e sete carneiros, e ide ao meu servo Jó, e oferecei holocaustos por vós, e o meu servo Jó orará por vós; porque deveras a ele aceitarei, para que eu não vos trate conforme a vossa loucura; porque vós não falastes de mim o que era reto como o meu servo Jó.

Porque por seus próprios pés é lançado na rede, e andará nos fios enredados.

Ou produzir as constelações a seu tempo, e guiar a Ursa com seus filhos?

Deveras estou cercado de zombadores, e os meus olhos contemplam as suas provocações.

Dizia eu: Falem os dias, e a multidão dos anos ensine a sabedoria.

Ou tem o Todo-Poderoso prazer em que tu sejas justo, ou algum lucro em que tu faças perfeitos os teus caminhos?

Se deveras vos quereis engrandecer contra mim, e argüir-me pelo meu opróbrio,

Sucedia, pois, que, decorrido o turno de dias de seus banquetes, enviava Jó, e os santificava, e se levantava de madrugada, e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles; porque dizia Jó: Porventura pecaram meus filhos, e amaldiçoaram a Deus no seu coração. Assim fazia Jó continuamente.

Ou fala com a terra, e ela te ensinará; até os peixes do mar te contarão.

Se não, escuta-me tu; cala-te, e ensinar-te-ei a sabedoria.

Estando ainda este falando, veio outro, e disse: Estando teus filhos e tuas filhas comendo e bebendo vinho, em casa de seu irmão primogênito,

Escuta-me, pois, e eu falarei; eu te perguntarei, e tu me ensinarás.

Não terá filho nem neto entre o seu povo, e nem quem lhe suceda nas suas moradas.

Eis que a sua força está nos seus lombos, e o seu poder nos músculos do seu ventre.

Deveras orará a Deus, o qual se agradará dele, e verá a sua face com júbilo, e restituirá ao homem a sua justiça.

Agora cinge os teus lombos, como homem; e perguntar-te-ei, e tu me ensinarás.

Endurece-se para com seus filhos, como se não fossem seus; debalde é seu trabalho, mas ela está sem temor,

O que sacode a terra do seu lugar, e as suas colunas estremecem.

Desembainhará a espada que sairá do seu corpo, e resplandecendo virá do seu fel; e haverá sobre ele assombros.

Ele é o que remove os montes, sem que o saibam, e o que os transtorna no seu furor.

Com ele está a força e a sabedoria; seu é o que erra e o que o faz errar.