Números 24

1 Balaão, vendo que era do agrado do Senhor que abençoasse Israel, não foi como antes ao encontro de agouros. Voltou-se para o deserto

2 e, levantando os olhos, viu Israel acampado nas tendas segundo as suas tribos. O Espírito de Deus veio sobre ele,

3 e pronunciou o oráculo seguinte: "Oráculo de Balaão, filho de Beor, oráculo do homem que tem o olho fechado,

4 oráculo daquele que ouve as palavras de Deus, desfruta a visão do Todo-poderoso, e se lhe abrem os olhos quando se prostra:

5 Quão formosas tuas tendas, Jacó, tuas moradas, Israel!

6 Elas se estendem como vales, como jardins à beira do rio, como aloés plantados pelo Senhor, como cedros junto das águas.

7 Jorram águas de seus jarros, suas sementeiras são copiosamente irrigadas. Seu rei é mais poderoso que Agag, de sublime realeza.

8 Deus os retirou do Egito, e lhes deu o vigor do búfalo. Devora os povos inimigos; quebra-lhes os ossos e criva-os de flechas.

9 Deita-se, descansa como um leão, como uma leoa: quem o despertará? Bendito seja quem te abençoar, maldito, quem te amaldiçoar!"

10 Balac, encolerizado contra Balaão, bateu as mãos e disse-lhe: "Foi para amaldiçoar os meus inimigos que te chamei, e eis que já pela terceira vez os abençoas.

11 Agora, vai-te depressa para a tua casa. Pensei em cumular-te de honras, mas o Senhor tas recusou."

12 "Pois não disse eu aos teus mensageiros, respondeu Balaão:

13 mesmo que Balac me desse a sua casa cheia de prata e de ouro, eu não poderia transgredir a ordem do Senhor, nem fazer o que quer que seja por minha própria conta; somente diria o que o Senhor me ordenasse?

14 Pois bem; volto para o meu povo. Vem, pois quero anunciar-te o que esse povo fará ao teu no decurso dos tempos."

15 E Balaão pronunciou o oráculo seguinte: "Oráculo de Balaão, filho de Beor, oráculo do homem que tem o olho fechado,

16 oráculo daquele que ouve as palavras de Deus, conhece a ciência do Altíssimo, desfruta a visão do Todo-poderoso e se lhe abrem os olhos quando se prostra:

17 Eu o vejo, mas não é para agora, percebo-o, mas não de perto: um astro sai de Jacó, um cetro levanta-se de Israel, que fratura a cabeça de Moab, o crânio dessa raça guerreira.

18 Edom é sua conquista, Seir, seu inimigo, é sua presa. Israel ostenta a sua força.

19 De Jacó virá um dominador que há de exterminar os sobreviventes da cidade."

20 Ao ver Amalec, Balaão pronunciou este oráculo: "Amalec é a primeira das nações, mas seu fim será o extermínio."

21 Depois, ao ver os quenitas, pronunciou o seguinte oráculo: "Sólida é a tua morada, teu ninho está posto na rocha.

22 Mas o quenita será aniquilado; Assur te levará ao cativeiro."

23 E, por fim, acrescentou este oráculo: "Povos vivem ao norte. Navios hão de aportar das costas de Citim,

24 e oprimirão Assur, e oprimirão Heber, pois, também este perecerá para sempre."

25 E depois disto Balaão partiu para a sua terra, enquanto Balac voltou pelo caminho por onde tinha vindo.

1 Cumque vidisset Balaam quod placeret Domino, ut be nediceret Israeli, nequaquam abiit, ut ante perrexerat, ut augurium quaereret; sed dirigens contra desertum vultum suum

2 et elevans oculos vidit Israel commorantem per tribus suas et, irruente in se spiritu Dei,

3 assumpta parabola sua, ait:" Dixit Balaam filius Beor,dixit homo, cuius apertus est oculus,

4 dixit auditor sermonum Dei,qui visionem Omnipotentis intuitus est,qui cadit, et sic aperiuntur oculi eius.

5 Quam pulchra tabernacula tua, Iacob,et tentoria tua, Israel!

6 Ut valles dilatantur,ut horti iuxta fluvios irrigui,ut aloe, quam plantavit Dominus,quasi cedri prope aquas.

7 Fluet aqua de situlis eius,et semen illius erit in aquis multis. Extolletur super Agag rex eius,et elevabitur regnum illius.

8 Deus eduxit illum de Aegypto,sicut cornua bubali est ei.Devorabit gentes, hostes suos,ossaque eorum confringetet perforabit sagittis.

9 Accubans dormit ut leo,et quasi leaena, quis suscitare illum audebit?Qui benedixerit tibi, erit et ipse benedictus;qui maledixerit tibi, maledictus erit! ".

10 Iratusque Balac contra Balaam, complosis manibus, ait: " Ad maledicendum inimicis meis vocavi te, quibus iam tertio benedixisti!

11 Revertere nunc ad locum tuum! Decreveram quidem magnifice honorare te, sed Dominus privavit te honore disposito ".

12 Respondit Balaam ad Balac: " Nonne iam nuntiis tuis, quos misisti ad me, dixi:

13 Si dederit mihi Balac plenam domum suam argenti et auri, non potero praeterire sermonem Domini, ut vel boni quid vel mali proferam ex corde meo, sed, quidquid Dominus dixerit, hoc loquar?

14 Et nunc, pergens ad populum meum dabo consilium, quid populus hic populo tuo faciat extremo tempore ".

15 Sumpta igitur parabola sua, rursum ait:" Dixit Balaam filius Beor,dixit homo, cuius apertus est oculus,

16 dixit auditor sermonum Dei,qui novit doctrinam Altissimiet visiones Omnipotentis videt,qui cadens apertos habet oculos.

17 Video eum, sed non modo;intueor illum, sed non prope.Oritur stella ex Iacob,et consurgit virga de Israel;et percutit tempora Moabet verticem omnium filiorum Seth.

18 Et erit Idumaea possessio eius,et hereditas eius Seir, inimicus eius; Israel vero fortiter aget.

19 De Iacob erit, qui domineturet perdat reliquias civitatis ".

20 Cumque vidisset Amalec, assumens parabolam suam ait:" Principium gentium Amalec,cuius extrema perdentur ".

21 Vidit quoque Cinaeum et, assumpta parabola sua, ait:" Robustum quidem est habitaculum tuum,et in petra positus nidus tuus.

22 Erit in combustionem Cain,donec Assur capiat te ".

23 Assumptaque parabola sua, iterum locutus est:" Heu! Quis vivet,quando ista faciet Deus?

24 Venient naves de Cetthim,superabunt Assyrios vastabuntque Heber;et ad extremum etiam ipsi peribunt ".Surrexitque Balaam et reversus est in locum suum; Balac quoque via, qua venerat, rediit.