Isaías 49

1 Ilhas, ouvi-me; povos de longe, prestai atenção! O Senhor chamou-me desde meu nascimento; ainda no seio de minha mãe, ele pronunciou meu nome.

2 Tornou minha boca semelhante a uma espada afiada, cobriu-me com a sombra de sua mão. Fez de mim uma flecha penetrante, guardou-me na sua aljava.

3 E disse-me: Tu és meu servo, {Israel}, em quem me rejubilarei.

4 E eu dizia a mim mesmo: Foi em vão que padeci, foi em vão que gastei minhas forças. Todavia, meu direito estava nas mãos do Senhor, e no meu Deus estava depositada a minha recompensa.

5 E agora o Senhor fala, ele, que me formou desde meu nascimento para ser seu Servo, para trazer-lhe de volta Jacó e reunir-lhe Israel, {porque o Senhor fez-me esta honra, e meu Deus tornou-se minha força}.

6 Disse-me: Não basta que sejas meu servo para restaurar as tribos de Jacó e reconduzir os fugitivos de Israel; vou fazer de ti a luz das nações, para propagar minha salvação até os confins do mundo.

7 Eis o que diz o Senhor, o Redentor, o Santo de Israel, ao objeto de desprezo dos homens e de horror das nações, ao escravo dos tiranos: diante de ti, reis se levantarão e príncipes se prostrarão, por causa do Senhor que é fiel, e do Santo de Israel que te elegeu.

8 Eis o que diz o Senhor: no tempo da graça eu te atenderei, no dia da salvação eu te socorrerei, {Eu te formei e designei para fazer a aliança com os povos}, para restaurar o país e distribuir as heranças devastadas,

9 para dizer aos prisioneiros: Saí! E àqueles que mergulham nas trevas: Vinde à luz! Ao longo de todo o trajeto terão o que comer. Sobre todas as dunas encontrarão seu alimento.

10 Não sentirão fome nem sede; o vento quente e o sol não os castigarão, porque aquele que tem piedade deles os guiará e os conduzirá às fontes.

11 Tornar-lhes-ei acessíveis todas as montanhas, e caminhos atingirão as alturas.

12 Ei-los que vêm de longe, ei-los do norte e do poente, e outros da terra dos sienitas.

13 Cantai, ó céus; terra, exulta de alegria; montanhas, prorrompei em aclamações! Porque o Senhor consolou seu povo, comoveu-se e teve piedade dos seus na aflição.

14 Sião dizia: O Senhor abandonou-me, o Senhor esqueceu-me.

15 Pode uma mulher esquecer-se daquele que amamenta? Não ter ternura pelo fruto de suas entranhas? E mesmo que ela o esquecesse, eu não te esqueceria nunca.

16 Eis que estás gravada na palma de minhas mãos, tenho sempre sob os olhos tuas muralhas.

17 Acorrem já aqueles que vão reconstruir-te, enquanto teus destruidores e devastadores fogem.

18 Lança o olhar à volta e vê: reúnem-se todos e vêm a ti. Por minha vida, diz o Senhor, de gala te revestirás, como uma noiva te cingirás.

19 Teus bairros em ruína e devastados, teu território saqueado serão demasiado estreitos para teus habitantes, após a partida daqueles que se aproveitavam de ti.

20 Teus ouvidos ouvirão ainda de teus filhos, que julgavas perdidos: O espaço é estreito demais para mim; dê-me espaço para que eu me instale!

21 Então dirás a ti mesma: Quem me gerou estes filhos? Não tinha filhos, era estéril: Quem os criou? Eis que eu estava desamparada e só: De onde vieram eles?

22 Eis o que diz o Senhor Deus: com a mão vou fazer sinal às nações, e levantar meu estandarte para alertar os povos. Trarão teus filhos na dobra de seu manto, e em seus ombros carregarão tuas filhas.

23 Reis serão teus aios: prostrados diante de ti, a face contra a terra, lamberão a poeira de teus pés. Saberás então que eu sou o Senhor, e que não serão confundidos os que contam comigo.

24 Acaso tirar-se-á a presa ao forte? Ou o que for tomado por um robusto guerreiro escapar-lhe-á das mãos?

25 Eis o que diz o Senhor: sim, a presa do bravo lhe será retirada, a presa do robusto guerreiro lhe escapará; sustentarei tua causa contra teu adversário, libertarei eu mesmo teus filhos.

26 Farei teus opressores comerem sua própria carne, embriagar-se-ão com seu próprio sangue, como se fosse vinho. E toda criatura saberá que sou eu o Senhor, teu Salvador, teu Redentor, o Poderoso de Jacó.

1 Audite me, insulae, et attendite, populi de longe;Dominus ab utero vocavit me,de ventre matris meae recordatus est nominis mei;

2 et posuit os meum quasi gladium acutum,in umbra manus suae protexit meet posuit me sicut sagittam electam,in pharetra sua abscondit me

3 et dixit mihi: " Servus meus es tu,Israel, in quo gloriabor ".

4 Et ego dixi: " In vacuum laboravi,sine causa et vane fortitudinem meam consumpsi;verumtamen iudicium meum cum Domino,et merces mea cum Deo meo ".

5 Et nunc dicit Dominus,qui formavit me ex utero servum sibi,ut reducerem Iacob ad eum,et Israel ei congregaretur;et glorificatus sum in oculis Domini,et Deus meus factus est fortitudo mea.

6 Et dixit: " Parum est ut sis mihi servusad suscitandas tribus Iacobet reliquias Israel reducendas:dabo te in lucem gentium,ut sit salus mea usque ad extremum terrae ".

7 Haec dicit Dominus,redemptor Israel, Sanctus eius,ad contemptum in anima,ad abominatum in gente,ad servum dominorum: Reges videbunt et consurgent,principes quoque et adorabunt,propter Dominum, quia fidelis est,Sanctum Israel, qui elegit te ".

8 Haec dicit Dominus: In tempore beneplaciti exaudivi teet in die salutis auxiliatus sum tui;et servavi te et dedi te in foedus populi,ut suscitares terramet distribueres hereditates dissipatas;

9 ut diceres his, qui vincti sunt: "Exite",et his, qui in tenebris: "Revelamini".Super vias pascentur,et in omnibus collibus decalvatis pascua eorum;

10 non esurient neque sitient,et non percutiet eos aestus vel sol,quia miserator eorum reget eoset ad fontes aquarum adducet eos.

11 Et ponam omnes montes meos in viam,et semitae meae exaltabuntur.

12 Ecce isti de longe venient,et ecce illi ab aquilone et mari,et isti de terra Sinim ".

13 Laudate, caeli, et exsulta, terra;iubilate, montes, laudem,quia consolatur Dominus populum suumet pauperum suorum miseretur.

14 Et dixit Sion: " Dereliquit me Dominus,et Dominus oblitus est mei ".

15 Numquid oblivisci potest mulier infantem suum,ut non misereatur filio uteri sui?Et si illa oblita fuerit,ego tamen non obliviscar tui.

16 Ecce in manibus meis descripsi te;muri tui coram me semper.

17 Festinant structores tui;destruentes te et dissipantes a te exibunt.

18 Leva in circuitu oculos tuos et vide:omnes isti congregati sunt, venerunt tibi. Vivo ego, dicit Dominus,quia omnibus his velut ornamento vestieriset circumdabis tibi eos quasi sponsa ".

19 Quia ruinae tuae et solitudines tuaeet terra eversa:nunc angusta eris prae habitatoribus;et longe erunt, qui devorabant te.

20 Adhuc dicent in auribus tuisfilii orbitatis tuae: Angustus est mihi locus;fac spatium mihi, ut habitem ".

21 Et dices in corde tuo: Quis genuit mihi istos?Ego orbata et non pariens,transmigrata et captiva;et istos quis enutrivit?Ecce ego relicta eram sola;et isti ubi erant? ".

22 Haec dicit Dominus Deus: Ecce levabo ad gentes manum meamet ad populos exaltabo signum meum;et afferent filios tuos in ulnis,et filiae tuae super umeros portabuntur.

23 Et erunt reges nutricii tui,et reginae nutrices tuae;vultu in terram demisso adorabunt teet pulverem pedum tuorum lingent.Et scies quia ego Dominus:non confundentur, qui sperant in me ".

24 Numquid tolletur a forti praeda,aut, quod captum fuerit, a robusto salvari poterit?

25 Quia haec dicit Dominus: Equidem et captivus a forti tolletur,et, quod ablatum fuerit a robusto, salvabitur;cum his, qui contendebant tecum, ego contendamet filios tuos ego salvabo.

26 Et cibabo hostes tuos carnibus suis,et quasi musto sanguine suo inebriabuntur;et sciet omnis caro quia ego Dominus salvator tuus,et redemptor tuus Fortis Iacob ".