Provérbios 1

1 Estes são os provérbios de Salomão, filho de Davi, rei de Israel.

2 Sua finalidade é ensinar sabedoria e disciplina às pessoas e ajudá-las a compreender as instruções dos sábios.

3 Sua finalidade é ensinar-lhes uma vida disciplinada e bem-sucedida e ajudá-las a fazer o que é certo, justo e imparcial.

4 Estes provérbios darão juízo aos ingênuos e conhecimento e discernimento aos jovens.

5 O sábio que os ouvir se tornará ainda mais sábio. Quem tem entendimento receberá orientação,

6 ao examinar o significado destes provérbios e parábolas, das palavras dos sábios e seus enigmas.

7 O temor do Senhor é o princípio do conhecimento, mas os tolos desprezam a sabedoria e a disciplina.

8 Meu filho, preste atenção à correção de seu pai e não deixe de lado a instrução de sua mãe.

9 O que aprender com eles será coroa de graça em sua cabeça e colar de honra em seu pescoço.

10 Meu filho, se pecadores quiserem seduzi-lo, não permita que isso aconteça.

11 Talvez lhe digam: “Venha conosco! Vamos nos esconder e matar alguém. Armaremos emboscada contra inocentes, só para passar o tempo.

12 Vamos engoli-los vivos, como a sepultura; vamos engoli-los inteiros, como os que descem à cova.

13 Encontraremos todo tipo de riquezas e encheremos nossas casas com tudo que roubarmos.

14 Venha, junte-se a nós! Dividiremos igualmente os despojos”.

15 Meu filho, não vá com eles! Afaste-se de seus caminhos.

16 Eles correm para fazer o mal; apressam-se em derramar sangue.

17 Se um pássaro vê alguém montar a armadilha, sabe que não deve se aproximar.

18 Eles, porém, armam emboscadas para si mesmos; tentam acabar com a própria vida.

19 Esse é o destino de todos os gananciosos; sua própria cobiça os destrói.

20 A Sabedoria grita nas ruas e levanta a voz na praça pública.

21 Sim, proclama nas avenidas e anuncia em frente à porta da cidade:

22 “Até quando vocês, ingênuos, insistirão em sua ingenuidade? Até quando vocês, zombadores, terão prazer na zombaria? Até quando vocês, tolos, detestarão o conhecimento?

23 Venham e ouçam minhas advertências; abrirei meu coração para vocês e os tornarei sábios.

24 “Muitas vezes eu os chamei, mas não quiseram vir; estendi-lhes a mão, mas não me deram atenção.

25 Desprezaram meu conselho e rejeitaram minha repreensão.

26 Por isso, rirei quando estiverem em dificuldades; zombarei quando estiverem em apuros,

27 quando a calamidade lhes sobrevier como a tempestade, e a desgraça os envolver como o furacão, e a angústia e a aflição os dominarem.

28 “Quando clamarem por socorro, não responderei; ainda que me procurem, não me encontrarão.

29 Porque detestaram o conhecimento e escolheram não temer o Senhor.

30 Rejeitaram meu conselho e ignoraram minha repreensão.

31 Portanto, comerão os frutos amargos de seu estilo de vida e engasgarão em suas próprias intrigas.

32 Pois os ingênuos se afastam de mim e rumam para a morte; os tolos são destruídos por sua própria acomodação.

33 Os que me ouvem, porém, viverão em paz, tranquilos e sem temer o mal”.

Copyright© 2017 por Editora Mundo Cristão. Todos os direitos reservados em língua portuguesa. A Nova Versão Transformadora (NVT) e seu logotipo são marcas registradas. Usados com permissão.