Provérbios 30

1 Os ditados de Agur, filho de Jaque, contêm esta mensagem: Estou cansado, ó Deus; estou cansado e exausto, ó Deus.

2 Sou o mais tolo dos homens; não tenho discernimento.

3 Não aprendi a sabedoria humana, nem tenho conhecimento do Santo.

4 Quem é capaz de subir aos céus e descer? Quem segura o vento nas mãos? Quem envolve os oceanos em sua capa? Quem criou o mundo inteiro? Qual é seu nome? E qual é o nome de seu filho? Diga-me, se é que sabe!

5 Toda palavra de Deus se prova verdadeira; ele é escudo para quem busca sua proteção.

6 Não acrescente nada às palavras dele; se o fizer, ele o repreenderá e mostrará que você é mentiroso.

7 Ó Deus, eu te peço dois favores; concede-os antes que eu morra.

8 Primeiro, ajuda-me a ficar longe da falsidade e da mentira. Segundo, não me dês nem pobreza nem riqueza; dá-me apenas o que for necessário.

9 Pois, se eu ficar rico, pode ser que te negue e diga: “Quem é o Senhor?”. E, se eu for pobre demais, pode ser que roube e, com isso, desonre o nome do meu Deus.

10 Não fale mal do servo a seu senhor; do contrário, o servo o amaldiçoará, e você sofrerá as consequências.

11 Alguns amaldiçoam o pai e são ingratos com a mãe.

12 Consideram-se puros, mas são imundos e nunca foram lavados.

13 Olham ao redor com orgulho e lançam olhares de desprezo.

14 Seus dentes são como espadas, e suas presas, como facas. Devoram da terra os pobres e, da humanidade, os necessitados.

15 A sanguessuga tem duas bocas que dizem: “Mais, mais!”. Há três coisas que nunca se satisfazem, ou melhor, quatro que nunca dizem: “É suficiente!”:

16 a sepultura, o ventre estéril, o deserto sedento e o fogo abrasador.

17 O olho de quem zomba do pai e despreza as instruções da mãe será arrancado pelos corvos do vale e devorado pelos abutres.

18 Há três coisas que me deixam maravilhado, ou melhor, quatro coisas que não entendo:

19 como a águia plana no céu, como a serpente rasteja sobre a rocha, como a embarcação navega no mar, e como o homem ama a mulher.

20 A mulher adúltera devora o homem, depois limpa a boca e diz: “Não fiz nada de errado”.

21 Há três coisas que fazem a terra estremecer, ou melhor, quatro que ela não pode suportar:

22 o servo que se torna rei, o tolo arrogante que prospera,

23 a mulher amargurada que enfim arranja um marido, e a serva que toma o lugar de sua senhora.

24 Quatro coisas na terra são pequenas, mas muito sábias:

25 as formigas, que, embora não sejam fortes, armazenam alimento no verão,

26 os coelhos silvestres, que, embora não sejam poderosos, fazem sua toca nas rochas,

27 os gafanhotos, que, embora não tenham rei, marcham em fileira,

28 e as lagartixas, que, embora sejam fáceis de apanhar, vivem até nos palácios dos reis.

29 Há três seres vivos que caminham com passo elegante, ou melhor, quatro que se movem de modo imponente:

30 o leão, rei dos animais, que não abre caminho para ninguém,

31 o galo, que anda de peito estufado, o bode, e o rei à frente de seu exército.

32 Se você agiu como tolo e foi orgulhoso ou tramou o mal, tape a boca em sinal de vergonha.

33 Como bater o leite produz manteiga, e um soco no nariz o faz sangrar, provocar a ira resulta em brigas.

Copyright© 2017 por Editora Mundo Cristão. Todos os direitos reservados em língua portuguesa. A Nova Versão Transformadora (NVT) e seu logotipo são marcas registradas. Usados com permissão.