Provérbios 11

1 O uso de balanças desonestas é detestável para o Senhor, mas ele se alegra com pesos exatos.

2 O orgulho leva à desgraça, mas com a humildade vem a sabedoria.

3 A honestidade guia os justos; a desonestidade destrói os desleais.

4 As riquezas de nada ajudarão no dia do juízo, mas uma vida justa livra da morte.

5 A integridade dirige os passos do justo, mas o peso do pecado cai sob os perversos.

6 A justiça dos justos os livra; a ambição dos desleais os apanha numa armadilha.

7 Quando o perverso morre, sua esperança morre com ele, pois confiou na própria força.

8 O justo é salvo da angústia, mas o perverso a recebe em lugar dele.

9 O hipócrita, com suas palavras, destrói seus amigos, mas o conhecimento livra os justos.

10 A cidade inteira comemora o sucesso dos justos; todos gritam de alegria quando morrem os perversos.

11 A cidade prospera pelos benefícios que os justos trazem, mas as palavras dos perversos a destroem.

12 É falta de bom senso desprezar o próximo; a pessoa sensata permanece calada.

13 O fofoqueiro espalha segredos, mas a pessoa confiável sabe guardar confidências.

14 Sem uma liderança sábia, a nação cai; ter muitos conselheiros lhe dá segurança.

15 Quem aceita ser fiador terá problemas; quem evita esse compromisso está seguro.

16 A mulher bondosa ganha respeito; tudo que os homens cruéis obtêm é riqueza.

17 Quem faz o bem beneficia a si mesmo; quem pratica o mal só se prejudica.

18 A riqueza do perverso dura apenas um momento, mas a recompensa do justo é duradoura.

19 O justo encontra a vida; o perverso encontra a morte.

20 Os perversos de coração são detestáveis para o Senhor, mas ele se alegra com os que andam em integridade.

21 O perverso certamente será castigado, mas os justos serão poupados.

22 A mulher bonita, mas indiscreta, é como anel de ouro em focinho de porco.

23 Os justos têm a expectativa de uma recompensa, enquanto os perversos só podem esperar o juízo.

24 Quem dá com generosidade se torna mais rico, mas o mesquinho perde tudo.

25 O generoso prospera; quem revigora outros será revigorado.

26 O povo amaldiçoa quem esconde os cereais, mas abençoa quem os vende no tempo de necessidade.

27 Quem procura o bem encontra favor; quem procura o mal será encontrado por ele.

28 Quem confia em seu dinheiro cairá, mas o justo floresce como a verde folhagem.

29 Quem causa problemas à família herda o vento; o insensato se torna servo do sábio.

30 O fruto do justo é árvore de vida; o sábio conquista pessoas.

31 Se o justo recebe o que merece aqui na terra, quanto mais o pecador perverso.

Copyright© 2017 por Editora Mundo Cristão. Todos os direitos reservados em língua portuguesa. A Nova Versão Transformadora (NVT) e seu logotipo são marcas registradas. Usados com permissão.