Provérbios 28

1 Os perversos fogem mesmo quando ninguém os persegue, mas o justo é valente como o leão.

2 A corrupção moral de uma nação faz cair seu governo, mas o líder sábio e prudente traz estabilidade.

3 O pobre que oprime os pobres é como a chuva torrencial que destrói a plantação.

4 Quem despreza a lei exalta os perversos; quem obedece à lei luta contra eles.

5 Os que praticam o mal não compreendem a justiça, mas os que buscam o Senhor a entendem plenamente.

6 É melhor ser pobre e honesto que ser rico e desonesto.

7 O filho que obedece à lei demonstra prudência; aquele que anda com libertinos envergonha seu pai.

8 O lucro obtido da cobrança de juros altos terminará no bolso de alguém que trata os pobres com bondade.

9 As orações de quem se recusa a ouvir a lei são detestáveis para Deus.

10 Quem leva os justos para o mau caminho cairá na própria armadilha, mas os íntegros herdarão o bem.

11 O rico pode se considerar sábio, mas não engana o pobre que tem discernimento.

12 Quando os justos são bem-sucedidos, todos se alegram; quando os perversos assumem o poder, as pessoas se escondem.

13 Quem oculta seus pecados não prospera; quem os confessa e os abandona recebe misericórdia.

14 Quem teme fazer o mal é feliz, mas quem endurece o coração cai em desgraça.

15 O governante perverso é tão perigoso para os pobres quanto o leão que ruge ou o urso que ataca.

16 O governante que não tem entendimento oprime seu povo, mas o que odeia a corrupção tem vida longa.

17 A consciência atormentada do assassino o levará à sepultura; ninguém tente detê-lo.

18 O íntegro será salvo do perigo, mas o perverso será destruído repentinamente.

19 Quem trabalha com dedicação tem fartura de alimento, mas quem corre atrás de fantasias acaba na miséria.

20 A pessoa fiel obterá grande recompensa, mas o que deseja enriquecer depressa se meterá em apuros.

21 Nunca é bom agir com parcialidade, mas há quem faça o mal até por um pedaço de pão.

22 O ganancioso tenta enriquecer depressa, mas não percebe que caminha para a pobreza.

23 No fim, as pessoas apreciam a crítica honesta muito mais que a bajulação.

24 Quem rouba de seu pai e de sua mãe e diz: “Que mal há nisso?”, não é melhor que o assassino.

25 A ganância provoca brigas; a confiança no Senhor conduz à prosperidade.

26 Quem confia no próprio entendimento é tolo; quem anda com sabedoria está seguro.

27 Quem ajuda os pobres não passará necessidade, mas quem fecha os olhos para a pobreza será amaldiçoado.

28 Quando os perversos assumem o poder, as pessoas se escondem; quando eles são destruídos, os justos prosperam.

Copyright© 2017 por Editora Mundo Cristão. Todos os direitos reservados em língua portuguesa. A Nova Versão Transformadora (NVT) e seu logotipo são marcas registradas. Usados com permissão.