Provérbios 11

1 Balança enganosa é abominação para o SENHOR, mas o peso justo é o seu prazer.

2 Em vindo a soberba, virá também a afronta; mas com os humildes está a sabedoria.

3 A sinceridade dos íntegros os guiará, mas a perversidade dos aleivosos os destruirá.

4 De nada aproveitam as riquezas no dia da ira, mas a justiça livra da morte.

5 A justiça do sincero endireitará o seu caminho, mas o perverso pela sua falsidade cairá.

6 A justiça dos virtuosos os livrará, mas na sua perversidade serão apanhados os iníquos.

7 Morrendo o homem perverso perece sua esperança, e acaba-se a expectação de riquezas.

8 O justo é libertado da angústia, e vem o ímpio para o seu lugar.

9 O hipócrita com a boca destrói o seu próximo, mas os justos se libertam pelo conhecimento.

10 No bem dos justos exulta a cidade; e perecendo os ímpios, há júbilo.

11 Pela bênção dos homens de bem a cidade se exalta, mas pela boca dos perversos é derrubada.

12 O que despreza o seu próximo carece de entendimento, mas o homem entendido se mantém calado.

13 O mexeriqueiro revela o segredo, mas o fiel de espírito o mantém em oculto.

14 Não havendo sábios conselhos, o povo cai, mas na multidão de conselhos há segurança.

15 Decerto sofrerá severamente aquele que fica por fiador do estranho, mas o que evita a fiança estará seguro.

16 A mulher graciosa guarda a honra como os violentos guardam as riquezas.

17 O homem bom cuida bem de si mesmo, mas o cruel prejudica o seu corpo.

18 O ímpio faz obra falsa, mas para o que semeia justiça haverá galardão fiel.

19 Como a justiça encaminha para a vida, assim o que segue o mal vai para a sua morte.

20 Abominação ao Senhor são os perversos de coração, mas os de caminho sincero são o seu deleite.

21 Ainda que junte as mãos, o mau não ficará impune, mas a semente dos justos será liberada.

22 Como jóia de ouro no focinho de uma porca, assim é a mulher formosa que não tem discrição.

23 O desejo dos justos é tão somente para o bem, mas a esperança dos ímpios é criar contrariedades.

24 Ao que distribui mais se lhe acrescenta, e ao que retém mais do que é justo, é para a sua perda.

25 A alma generosa prosperará e aquele que atende também será atendido.

26 Ao que retém o trigo o povo amaldiçoa, mas bênção haverá sobre a cabeça do que o vende.

27 O que cedo busca o bem, busca favor, mas o que procura o mal, esse lhe sobrevirá.

28 Aquele que confia nas suas riquezas cairá, mas os justos reverdecerão como a folhagem.

29 O que perturba a sua casa herdará o vento, e o tolo será servo do sábio de coração.

30 O fruto do justo é árvore de vida, e o que ganha almas é sábio.

31 Eis que o justo recebe na terra a retribuição; quanto mais o ímpio e o pecador!

1 Statera dolosa abominatio est apud Dominum,et pondus aequum voluntas eius.

2 Venit superbia, veniet et contumelia;apud humiles autem sapientia.

3 Simplicitas iustorum diriget eos,et supplantatio perversorum vastabit illos.

4 Non proderunt divitiae in die ultionis,iustitia autem liberabit a morte.

5 Iustitia simplicis diriget viam eius,et in impietate sua corruet impius.

6 Iustitia rectorum liberabit eos,et in insidiis suis capientur iniqui.

7 Mortuo homine impio, nulla erit ultra spes;et exspectatio divitiarum peribit.

8 Iustus de angustia liberatus est,et tradetur impius pro eo.

9 Simulator ore decipit amicum suum,iusti autem liberabuntur scientia.

10 In bonis iustorum exsultabit civitas,et in perditione impiorum erit laudatio.

11 Benedictione iustorum exaltabitur civitaset ore impiorum subvertetur.

12 Qui despicit amicum suum, indigens corde est,vir autem prudens tacebit.

13 Qui ambulat susurrans, revelat arcana;qui autem fidelis est animi, celat commissum.

14 Ubi non adsunt dispositiones, populus corruet;salus autem, ubi multa consilia.

15 Affligetur malo, qui fidem facit pro extraneo;qui autem odit sponsores, securus erit.

16 Mulier gratiosa inveniet gloriam,et robusti habebunt divitias.

17 Benefacit animae suae vir misericors;qui autem crudelis est, carnem suam affligit.

18 Impius facit opus fallax,seminanti autem iustitiam merces fidelis.

19 Firmus in iustitia praeparat vitam,et sectator malorum mortem.

20 Abominabile Domino cor pravum,et voluntas eius in iis, qui simpliciter ambulant.

21 Manus in manu, non erit impunitus malus,semen autem iustorum salvabitur.

22 Circulus aureus in naribus suismulier pulchra et fatua.

23 Desiderium iustorum omne bonum est,praestolatio impiorum furor.

24 Alii dividunt propria et ditiores fiunt,alii parciores iusto semper in egestate sunt.

25 Anima, quae benedicit, impinguabitur;et, qui inebriat, ipse quoque inebriatur.

26 Qui abscondit frumenta, maledicetur in populis,benedictio autem super caput vendentium.

27 Qui instanter quaerit bonum, quaerit beneplacitum;qui autem investigator malorum est, haec advenient ei.

28 Qui confidit in divitiis suis, corruet,iusti autem quasi virens folium germinabunt.

29 Qui conturbat domum suam, possidebit ventos;et, qui stultus est, serviet sapienti.

30 Fructus iusti lignum vitae;et suscipit animas, qui sapiens est.

31 Si iustus in terra rependitur,quanto magis impius et peccator.