Provérbios 31

1 Palavras do rei Lemuel, a profecia que lhe ensinou a sua mãe.

2 Como, filho meu? e como, filho do meu ventre? e como, filho dos meus votos?

3 Não dês às mulheres a tua força, nem os teus caminhos ao que destrói os reis.

4 Não é próprio dos reis, ó Lemuel, não é próprio dos reis beber vinho, nem dos príncipes o desejar bebida forte;

5 Para que bebendo, se esqueçam da lei, e pervertam o direito de todos os aflitos.

6 Dai bebida forte ao que está prestes a perecer, e o vinho aos amargurados de espírito.

7 Que beba, e esqueça da sua pobreza, e da sua miséria não se lembre mais.

8 Abre a tua boca a favor do mudo, pela causa de todos que são designados à destruição.

9 Abre a tua boca; julga retamente; e faze justiça aos pobres e aos necessitados.

10 Mulher virtuosa quem a achará? O seu valor muito excede ao de rubis.

11 O coração do seu marido está nela confiado; assim ele não necessitará de despojo.

12 Ela só lhe faz bem, e não mal, todos os dias da sua vida.

13 Busca lã e linho, e trabalha de boa vontade com suas mãos.

14 Como o navio mercante, ela traz de longe o seu pão.

15 Levanta-se, mesmo à noite, para dar de comer aos da casa, e distribuir a tarefa das servas.

16 Examina uma propriedade e adquire-a; planta uma vinha com o fruto de suas mãos.

17 Cinge os seus lombos de força, e fortalece os seus braços.

18 Vê que é boa a sua mercadoria; e a sua lâmpada não se apaga de noite.

19 Estende as suas mãos ao fuso, e suas mãos pegam na roca.

20 Abre a sua mão ao pobre, e estende as suas mãos ao necessitado.

21 Não teme a neve na sua casa, porque toda a sua família está vestida de escarlata.

22 Faz para si cobertas de tapeçaria; seu vestido é de seda e de púrpura.

23 Seu marido é conhecido nas portas, e assenta-se entre os anciãos da terra.

24 Faz panos de linho fino e vende-os, e entrega cintos aos mercadores.

25 A força e a honra são seu vestido, e se alegrará com o dia futuro.

26 Abre a sua boca com sabedoria, e a lei da beneficência está na sua língua.

27 Está atenta ao andamento da casa, e não come o pão da preguiça.

28 Levantam-se seus filhos e chamam-na bem-aventurada; seu marido também, e ele a louva.

29 Muitas filhas têm procedido virtuosamente, mas tu és, de todas, a mais excelente!

30 Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa sim será louvada.

31 Dai-lhe do fruto das suas mãos, e deixe o seu próprio trabalho louvá-la nas portas.

1 Verba Lamuelis regis Massa, quae erudivit eum mater eius.

2 Quid, fili mi? Quid, fili uteri mei?Quid, fili votorum meorum?

3 Ne dederis mulieribus substantiam tuamet vias tuas illis, quae delent reges.

4 Non decet reges, o Lamuel, non decet reges bibere vinum,nec magistratus desiderare siceram,

5 ne forte bibant et obliviscantur iudiciorumet mutent causam omnium filiorum pauperis.

6 Date siceram pereuntiet vinum his, qui amaro sunt animo:

7 bibat et obliviscatur egestatis suaeet doloris sui non recordetur amplius.

8 Aperi os tuum pro mutoet causis omnium filiorum, qui pereunt;

9 aperi os tuum, decerne, quod iustum est,et iudica inopem et pauperem.

10 ALEPH. Mulierem fortem quis inveniet?Longe super gemmas pretium eius.

11 BETH. Confidit in ea cor viri sui et spoliis non indigebit.

12 GHIMEL. Reddet ei bonum et non malum omnibus diebus vitae suae.

13 DALETH. Quaesivit lanam et linumet operata est delectatione manuum suarum.

14 HE. Facta est quasi navis institorisde longe portans panem suum.

15 VAU. Et de nocte surrexitdeditque praedam domesticis suiset cibaria ancillis suis.

16 ZAIN. Consideravit agrum et emit eum;de fructu manuum suarum plantavit vineam.

17 HETH. Accinxit fortitudine lumbos suoset roboravit brachium suum.

18 TETH. Gustavit et vidit quia bona est negotiatio eius;non exstinguetur in nocte lucerna eius.

19 IOD. Manum suam misit ad colos,et digiti eius apprehenderunt fusum.

20 CAPH. Palmas suas aperuit inopiet manum suam extendit ad pauperem.

21 LAMED. Non timebit domui suae a frigoribus nivis:omnes enim domestici eius vestiti sunt duplicibus.

22 MEM. Stragulatam vestem fecit sibi;byssus et purpura indumentum eius.

23 NUN. Nobilis in portis vir eius,quando sederit cum senatoribus terrae.

24 SAMECH. Sindonem fecit et vendiditet cingulum tradidit Chananaeo.

25 Ain. Fortitudo et decor indumentum eius,et ridebit in die novissimo.

26 PHE. Os suum aperuit sapientiae,et lex clementiae in lingua eius.

27 SADE. Consideravit semitas domus suaeet panem otiosa non comedit.

28 COPH. Surrexerunt filii eius et beatissimam praedicaverunt,vir eius et laudavit eam:

29 RES. " Multae filiae fortiter operatae sunt,tu supergressa es universas ".

30 SIN. Fallax gratia et vana est pulchritudo;mulier timens Dominum ipsa laudabitur.

31 TAU. Date ei de fructu manuum suarum,et laudent eam in portis opera eius.