Provérbios 22

1 Vale mais ter um bom nome do que muitas riquezas; e o ser estimado é melhor do que a riqueza e o ouro.

2 O rico e o pobre se encontram; a todos o Senhor os fez.

3 O prudente prevê o mal, e esconde-se; mas os simples passam e acabam pagando.

4 O galardão da humildade e o temor do Senhor são riquezas, honra e vida.

5 Espinhos e laços há no caminho do perverso; o que guarda a sua alma retira-se para longe dele.

6 Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele.

7 O rico domina sobre os pobres e o que toma emprestado é servo do que empresta.

8 O que semear a perversidade segará males; e com a vara da sua própria indignação será extinto.

9 O que vê com bons olhos será abençoado, porque dá do seu pão ao pobre.

10 Lança fora o escarnecedor, e se irá a contenda; e acabará a questão e a vergonha.

11 O que ama a pureza de coração, e é amável de lábios, será amigo do rei.

12 Os olhos do Senhor conservam o conhecimento, mas as palavras do iníquo ele transtornará.

13 Diz o preguiçoso: Um leão está lá fora; serei morto no meio das ruas.

14 Cova profunda é a boca das mulheres estranhas; aquele contra quem o Senhor se irar, cairá nela.

15 A estultícia está ligada ao coração da criança, mas a vara da correção a afugentará dela.

16 O que oprime ao pobre para se engrandecer a si mesmo, ou o que dá ao rico, certamente empobrecerá.

17 Inclina o teu ouvido e ouve as palavras dos sábios, e aplica o teu coração ao meu conhecimento.

18 Porque te será agradável se as guardares no teu íntimo, se aplicares todas elas aos teus lábios.

19 Para que a tua confiança esteja no Senhor, faço-te sabê-las hoje, a ti mesmo.

20 Porventura não te escrevi excelentes coisas, acerca de todo conselho e conhecimento,

21 Para fazer-te saber a certeza das palavras da verdade, e assim possas responder palavras de verdade aos que te consultarem?

22 Não roubes ao pobre, porque é pobre, nem atropeles na porta o aflito;

23 Porque o Senhor defenderá a sua causa em juízo, e aos que os roubam ele lhes tirará a vida.

24 Não sejas companheiro do homem briguento nem andes com o colérico,

25 Para que não aprendas as suas veredas, e tomes um laço para a tua alma.

26 Não estejas entre os que se comprometem, e entre os que ficam por fiadores de dívidas,

27 Pois se não tens com que pagar, deixarias que te tirassem até a tua cama de debaixo de ti?

28 Não removas os antigos limites que teus pais fizeram.

29 Viste o homem diligente na sua obra? Perante reis será posto; não permanecerá entre os de posição inferior.

1 Melius est nomen bonum quam divitiae multae,super argentum et aurum gratia bona.

2 Dives et pauper obviaverunt sibi:utriusque operator est Dominus.

3 Callidus vidit malum et abscondit se;simplices pertransierunt et afflicti sunt damno.

4 Praemium modestiae timor Domini,divitiae et gloria et vita.

5 Spinae et laquei in via perversi,custos autem animae suae longe recedit ab eis.

6 Institue adulescentem iuxta viam suam;etiam cum senuerit, non recedet ab ea.

7 Dives pauperibus imperat;et, qui accipit mutuum, servus est fenerantis.

8 Qui seminat iniquitatem, metet malaet virga irae suae consummabitur.

9 Qui bono oculo est, benedicetur,de panibus enim suis dedit pauperi.

10 Eice derisorem, et exibit cum eo iurgium;cessabuntque causae et contumeliae.

11 Qui diligit cordis munditiam,propter gratiam labiorum suorum habebit amicum regem.

12 Oculi Domini custodiunt scientiam,et supplantantur verba iniqui.

13 Dicit piger: " Leo est foris,in medio platearum occidendus sum ".

14 Fovea profunda os alienae;cui iratus est Dominus, incidet in eam.

15 Stultitia colligata est in corde pueri,et virga disciplinae fugabit eam.

16 Opprimis pauperem? Ipse augebit divitias suas.Donas ditiori? Ipse egebis.

17 Inclina aurem tuam et audi verba sapientium,appone autem cor ad doctrinam meam,

18 quia pulchra erunt, cum servaveris ea in ventre tuo,et redundabunt in labiis tuis.

19 Ut sit in Domino fiducia tua,ostendi ea tibi hodie.

20 Nonne descripsi ea tibi nudiustertiusin cogitationibus et scientia,

21 ut ostenderem tibi firmitatem verborum veritatis,ut respondeas illi, qui misit te?

22 Non facias violentiam pauperi, quia pauper est,neque conteras egenum in porta,

23 quia iudicabit Dominus causam eorum,et anima spoliabit spoliatores.

24 Noli esse amicus homini iracundoneque ambules cum viro furioso,

25 ne forte discas semitas eiuset sumas scandalum animae tuae.

26 Noli esse cum his, qui iungunt manus suaset qui vades se offerunt pro debitis:

27 si enim non habes unde restituas,quid causae est ut tollat lectum tuum subter te?

28 Ne transferas terminos antiquos,quos posuerunt patres tui.

29 Vidisti virum velocem in opere suo:coram regibus stabit nec erit ante ignobiles.