Salmos 119

1 Bem-aventurados os retos em seus caminhos, que andam na lei do Senhor.

2 Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, e que o buscam com todo o coração.

3 E não praticam iniqüidade, mas andam nos seus caminhos.

4 Tu ordenaste os teus mandamentos, para que diligentemente os observássemos.

5 Quem dera que os meus caminhos fossem dirigidos a observar os teus mandamentos.

6 Então não ficaria confundido, atentando eu para todos os teus mandamentos.

7 Louvar-te-ei com retidão de coração quando tiver aprendido os teus justos juízos.

8 Observarei os teus estatutos; não me desampares totalmente.

9 Com que purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra.

10 Com todo o meu coração te busquei; não me deixes desviar dos teus mandamentos.

11 Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.

12 Bendito és tu, ó Senhor; ensina-me os teus estatutos.

13 Com os meus lábios declarei todos os juízos da tua boca.

14 Folguei tanto no caminho dos teus testemunhos, como em todas as riquezas.

15 Meditarei nos teus preceitos, e terei respeito aos teus caminhos.

16 Recrear-me-ei nos teus estatutos; não me esquecerei da tua palavra.

17 Faze bem ao teu servo, para que viva e observe a tua palavra.

18 Abre tu os meus olhos, para que veja as maravilhas da tua lei.

19 Sou peregrino na terra; não escondas de mim os teus mandamentos.

20 A minha alma está quebrantada de desejar os teus juízos em todo o tempo.

21 Tu repreendeste asperamente os soberbos que são amaldiçoa-dos, que se desviam dos teus mandamentos.

22 Tira de sobre mim o opróbrio e o desprezo, pois guardei os teus testemunhos.

23 Príncipes também se assentaram, e falaram contra mim, mas o teu servo meditou nos teus estatutos.

24 Também os teus testemunhos são o meu prazer e os meus conselheiros.

25 A minha alma está pegada ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra.

26 Eu te contei os meus caminhos, e tu me ouviste; ensina-me os teus estatutos.

27 Faze-me entender o caminho dos teus preceitos; assim falarei das tuas maravilhas.

28 A minha alma consome-se de tristeza; fortalece-me segundo a tua palavra.

29 Desvia de mim o caminho da falsidade, e concede-me piedosamente a tua lei.

30 Escolhi o caminho da verdade; propus-me seguir os teus juízos.

31 Apego-me aos teus testemunhos; ó Senhor, não me confundas.

32 Correrei pelo caminho dos teus mandamentos, quando dilatares o meu coração.

33 Ensina-me, ó Senhor, o caminho dos teus estatutos, e guardá-lo-ei até o fim.

34 Dá-me entendimento, e guardarei a tua lei, e observá-la-ei de todo o meu coração.

35 Faze-me andar na vereda dos teus mandamentos, porque nela tenho prazer.

36 Inclina o meu coração aos teus testemunhos, e não à cobiça.

37 Desvia os meus olhos de contemplarem a vaidade, e vivifica-me no teu caminho.

38 Confirma a tua palavra ao teu servo, que é dedicado ao teu temor.

39 Desvia de mim o opróbrio que temo, pois os teus juízos são bons.

40 Eis que tenho desejado os teus preceitos; vivifica-me na tua justiça.

41 Venham sobre mim também as tuas misericórdias, ó Senhor, e a tua salvação segundo a tua palavra.

42 Assim terei que responder ao que me afronta, pois confio na tua palavra.

43 E não tires totalmente a palavra de verdade da minha boca, pois tenho esperado nos teus juízos.

44 Assim observarei de contínuo a tua lei para sempre e eternamente.

45 E andarei em liberdade; pois busco os teus preceitos.

46 Também falarei dos teus testemunhos perante os reis, e não me envergonharei.

47 E recrear-me-ei em teus mandamentos, que tenho amado.

48 Também levantarei as minhas mãos para os teus mandamentos, que amei, e meditarei nos teus estatutos.

49 Lembra-te da palavra dada ao teu servo, na qual me fizeste esperar.

50 Isto é a minha consolação na minha aflição, porque a tua palavra me vivificou.

51 Os soberbos zombaram grandemente de mim; contudo não me desviei da tua lei.

52 Lembrei-me dos teus juízos antiqüíssimos, ó Senhor, e assim me consolei.

53 Grande indignação se apoderou de mim por causa dos ímpios que abandonam a tua lei.

54 Os teus estatutos têm sido os meus cânticos na casa da minha peregrinação.

55 Lembrei-me do teu nome, ó Senhor, de noite, e observei a tua lei.

56 Isto fiz eu, porque guardei os teus mandamentos.

57 O Senhor é a minha porção; eu disse que observaria as tuas palavras.

58 Roguei deveras o teu favor com todo o meu coração; tem piedade de mim, segundo a tua palavra.

59 Considerei os meus caminhos, e voltei os meus pés para os teus testemunhos.

60 Apressei-me, e não me detive, a observar os teus mandamentos.

61 Bandos de ímpios me despojaram, mas eu não me esqueci da tua lei.

62 À meia-noite me levantarei para te louvar, pelos teus justos juízos.

63 Companheiro sou de todos os que te temem e dos que guardam os teus preceitos.

64 A terra, ó Senhor, está cheia da tua benignidade; ensina-me os teus estatutos.

65 Fizeste bem ao teu servo, Senhor, segundo a tua palavra.

66 Ensina-me bom juízo e ciência, pois cri nos teus mandamentos.

67 Antes de ser afligido andava errado; mas agora tenho guardado a tua palavra.

68 Tu és bom e fazes bem; ensina-me os teus estatutos.

69 Os soberbos forjaram mentiras contra mim; mas eu com todo o meu coração guardarei os teus preceitos.

70 Engrossa-se-lhes o coração como gordura, mas eu me recreio na tua lei.

71 Foi-me bom ter sido afligido, para que aprendesse os teus estatutos.

72 Melhor é para mim a lei da tua boca do que milhares de ouro ou prata.

73 As tuas mãos me fizeram e me formaram; dá-me inteligência para entender os teus mandamentos.

74 Os que te temem alegraram-se quando me viram, porque tenho esperado na tua palavra.

75 Bem sei eu, ó Senhor, que os teus juízos são justos, e que segundo a tua fidelidade me afligiste.

76 Sirva pois a tua benignidade para me consolar, segundo a palavra que deste ao teu servo.

77 Venham sobre mim as tuas misericórdias, para que viva, pois a tua lei é a minha delícia.

78 Confundam-se os soberbos, pois me trataram duma maneira perversa, sem causa; mas eu meditarei nos teus preceitos.

79 Voltem-se para mim os que te temem, e aqueles que têm conhecido os teus testemunhos.

80 Seja reto o meu coração nos teus estatutos, para que não seja confundido.

81 Desfalece a minha alma pela tua salvação, mas espero na tua palavra.

82 Os meus olhos desfalecem pela tua palavra; entrementes dizia: Quando me consolarás tu?

83 Pois estou como odre na fumaça; contudo não me esqueço dos teus estatutos.

84 Quantos serão os dias do teu servo? Quando me farás justiça contra os que me perseguem?

85 Os soberbos me cavaram covas, o que não é conforme a tua lei.

86 Todos os teus mandamentos são verdade. Com mentiras me perseguem; ajuda-me.

87 Quase que me têm consumido sobre a terra, mas eu não deixei os teus preceitos.

88 Vivifica-me segundo a tua benignidade; assim guardarei o testemunho da tua boca.

89 Para sempre, ó Senhor, a tua palavra permanece no céu.

90 A tua fidelidade dura de geração em geração; tu firmaste a terra, e ela permanece firme.

91 Eles continuam até ao dia de hoje, segundo as tuas ordenações; porque todos são teus servos.

92 Se a tua lei não fora toda a minha recreação, há muito que pereceria na minha aflição.

93 Nunca me esquecerei dos teus preceitos; pois por eles me tens vivificado.

94 Sou teu, salva-me; pois tenho buscado os teus preceitos.

95 Os ímpios me esperam para me destruírem, mas eu considerarei os teus testemunhos.

96 Tenho visto fim a toda a perfeição, mas o teu mandamento é amplíssimo.

97 Oh! quanto amo a tua lei! É a minha meditação em todo o dia.

98 Tu, pelos teus mandamentos, me fazes mais sábio do que os meus inimigos; pois estão sempre comigo.

99 Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres, porque os teus testemunhos são a minha meditação.

100 Entendo mais do que os antigos; porque guardo os teus preceitos.

101 Desviei os meus pés de todo caminho mau, para guardar a tua palavra.

102 Não me apartei dos teus juízos, pois tu me ensinaste.

103 Oh! quão doces são as tuas palavras ao meu paladar, mais doces do que o mel à minha boca.

104 Pelos teus mandamentos alcancei entendimento; por isso odeio todo falso caminho.

105 Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho.

106 Jurei, e o cumprirei, que guardarei os teus justos juízos.

107 Estou aflitíssimo; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua palavra.

108 Aceita, eu te rogo, as oferendas voluntárias da minha boca, ó Senhor; ensina-me os teus juízos.

109 A minha alma está de contínuo nas minhas mãos; todavia não me esqueço da tua lei.

110 Os ímpios me armaram laço; contudo não me desviei dos teus preceitos.

111 Os teus testemunhos tenho eu tomado por herança para sempre, pois são o gozo do meu coração.

112 Inclinei o meu coração a guardar os teus estatutos, para sempre, até ao fim.

113 Odeio os pensamentos vãos, mas amo a tua lei.

114 Tu és o meu refúgio e o meu escudo; espero na tua palavra.

115 Apartai-vos de mim, malfeitores, pois guardarei os mandamentos do meu Deus.

116 Sustenta-me conforme a tua palavra, para que viva, e não me deixes envergonhado da minha esperança.

117 Sustenta-me, e serei salvo, e de contínuo terei respeito aos teus estatutos.

118 Tu tens pisado aos pés todos os que se desviam dos teus estatutos, pois o engano deles é falsidade.

119 Tu tiraste da terra todos os ímpios, como a escória, por isso amo os teus testemunhos.

120 O meu corpo se arrepiou com temor de ti, e temi os teus juízos.

121 Fiz juízo e justiça; não me entregues aos meus opressores.

122 Fica por fiador do teu servo para o bem; não deixes que os soberbos me oprimam.

123 Os meus olhos desfaleceram pela tua salvação e pela promessa da tua justiça.

124 Usa com o teu servo segundo a tua benignidade, e ensina-me os teus estatutos.

125 Sou teu servo; dá-me inteligência, para entender os teus testemunhos.

126 Já é tempo de operares, ó Senhor, pois eles têm quebrantado a tua lei.

127 Por isso amo os teus mandamentos mais do que o ouro, e ainda mais do que o ouro fino.

128 Por isso estimo todos os teus preceitos acerca de tudo, como retos, e odeio toda falsa vereda.

129 Maravilhosos são os teus testemunhos; portanto, a minha alma os guarda.

130 A entrada das tuas palavras dá luz, dá entendimento aos símplices.

131 Abri a minha boca, e respirei, pois que desejei os teus mandamentos.

132 Olha para mim, e tem piedade de mim, conforme usas com os que amam o teu nome.

133 Ordena os meus passos na tua palavra, e não se apodere de mim iniqüidade alguma.

134 Livra-me da opressão do homem; assim guardarei os teus preceitos.

135 Faze resplandecer o teu rosto sobre o teu servo, e ensina-me os teus estatutos.

136 Rios de águas correm dos meus olhos, porque não guardam a tua lei.

137 Justo és, ó Senhor, e retos são os teus juízos.

138 Os teus testemunhos que ordenaste são retos e muito fiéis.

139 O meu zelo me consumiu, porque os meus inimigos se esqueceram da tua palavra.

140 A tua palavra é muito pura; portanto, o teu servo a ama.

141 Pequeno sou e desprezado, porém não me esqueço dos teus mandamentos.

142 A tua justiça é uma justiça eterna, e a tua lei é a verdade.

143 Aflição e angústia se apoderam de mim; contudo os teus mandamentos são o meu prazer.

144 A justiça dos teus testemunhos é eterna; dá-me inteligência, e viverei.

145 Clamei de todo o meu coração; escuta-me, Senhor, e guardarei os teus estatutos.

146 A ti te invoquei; salva-me, e guardarei os teus testemunhos.

147 Antecipei o cair da noite, e clamei; esperei na tua palavra.

148 Os meus olhos anteciparam as vigílias da noite, para meditar na tua palavra.

149 Ouve a minha voz, segundo a tua benignidade; vivifica-me, ó Senhor, segundo o teu juízo.

150 Aproximam-se os que se dão a maus tratos; afastam-se da tua lei.

151 Tu estás perto, ó Senhor, e todos os teus mandamentos são a verdade.

152 Acerca dos teus testemunhos soube, desde a antiguidade, que tu os fundaste para sempre.

153 Olha para a minha aflição, e livra-me, pois não me esqueci da tua lei.

154 Pleiteia a minha causa, e livra-me; vivifica-me segundo a tua palavra.

155 A salvação está longe dos ímpios, pois não buscam os teus estatutos.

156 Muitas são, ó Senhor, as tuas misericórdias; vivifica-me segundo os teus juízos.

157 Muitos são os meus perseguidores e os meus inimigos; mas não me desvio dos teus testemunhos.

158 Vi os transgressores, e me afligi, porque não observam a tua palavra.

159 Considera como amo os teus preceitos; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua benignidade.

160 A tua palavra é a verdade desde o princípio, e cada um dos teus juízos dura para sempre.

161 Príncipes me perseguiram sem causa, mas o meu coração temeu a tua palavra.

162 Folgo com a tua palavra, como aquele que acha um grande despojo.

163 Abomino e odeio a mentira; mas amo a tua lei.

164 Sete vezes no dia te louvo pelos juízos da tua justiça.

165 Muita paz têm os que amam a tua lei, e para eles não há tropeço.

166 Senhor, tenho esperado na tua salvação, e tenho cumprido os teus mandamentos.

167 A minha alma tem observado os teus testemunhos; amo-os excessivamente.

168 Tenho observado os teus preceitos, e os teus testemunhos, porque todos os meus caminhos estão diante de ti.

169 Chegue a ti o meu clamor, ó Senhor; dá-me entendimento conforme a tua palavra.

170 Chegue a minha súplica perante a tua face; livra-me segundo a tua palavra.

171 Os meus lábios proferiram o louvor, quando me ensinaste os teus estatutos.

172 A minha língua falará da tua palavra, pois todos os teus mandamentos são justiça.

173 Venha a tua mão socorrer-me, pois escolhi os teus preceitos.

174 Tenho desejado a tua salvação, ó Senhor; a tua lei é todo o meu prazer.

175 Viva a minha alma, e louvar-te-á; ajudem-me os teus juízos.

176 Desgarrei-me como a ovelha perdida; busca o teu servo, pois não me esqueci dos teus mandamentos.

1 Salmo. Felizes aqueles cuja vida é pura, e seguem a lei do Senhor.

2 Felizes os que guardam com esmero seus preceitos e o procuram de todo o coração;

3 e os que não praticam o mal, mas andam em seus caminhos.

4 Impusestes vossos preceitos, para serem observados fielmente;

5 oxalá se firmem os meus passos na observância de vossas leis.

6 Não serei então confundido, se fixar os olhos nos vossos mandamentos.

7 Louvar-vos-ei com reto coração, uma vez instruído em vossos justos decretos.

8 Guardarei as vossas leis; não me abandoneis jamais.

9 Como um jovem manterá pura a sua vida? Sendo fiel às vossas palavras.

10 De todo o coração eu vos procuro; não permitais que eu me aparte de vossos mandamentos.

11 Guardo no fundo do meu coração a vossa palavra, para não vos ofender.

12 Sede bendito, Senhor; ensinai-me vossas leis.

13 Meus lábios enumeram todos os decretos de vossa boca.

14 Na observância de vossas ordens eu me alegro, muito mais do que em todas as riquezas.

15 Sobre os vossos preceitos meditarei, e considerarei vossos caminhos.

16 Hei de deleitar-me em vossas leis; jamais esquecerei vossas palavras.

17 Concedei a vosso servo esta graça: que eu viva guardando vossas palavras.

18 Abri meus olhos, para que veja as maravilhas de vossa lei.

19 Peregrino sou na terra, não me oculteis os vossos mandamentos.

20 Consome-se minha alma no desejo perpétuo de observar vossos decretos.

21 Repreendestes os soberbos, malditos os que se apartam de vossos mandamentos.

22 Livrai-me do opróbrio e do desprezo, pois observo as vossas ordens.

23 Mesmo que os príncipes conspirem contra mim, vosso servo meditará em vossas leis.

24 Vossos preceitos são minhas delícias, meus conselheiros são as vossas leis.

25 Prostrada no pó está minha alma, restituí-me a vida conforme vossa promessa.

26 Eu vos exponho a minha vida, para que me atendais: ensinai-me as vossas leis.

27 Mostrai-me o caminho de vossos preceitos, e meditarei em vossas maravilhas.

28 Chora de tristeza a minha alma; reconfortai-me segundo vossa promessa.

29 Afastai-me do caminho da mentira, e fazei-me fiel à vossa lei.

30 Escolhi o caminho da verdade, impus-me os vossos decretos.

31 Apego-me a vossas ordens, Senhor. Não permitais que eu seja confundido.

32 Correrei pelo caminho de vossos mandamentos, porque sois vós que dilatais meu coração.

33 Mostrai-me, Senhor, o caminho de vossas leis, para que eu nele permaneça com fidelidade.

34 Ensinai-me a observar a vossa lei e a guardá-la de todo o coração.

35 Conduzi-me pelas sendas de vossas leis, porque nelas estão minhas delícias.

36 Inclinai-me o coração às vossas ordens e não para a avareza.

37 Não permitais que meus olhos vejam a vaidade, fazei-me viver em vossos caminhos.

38 Cumpri a promessa para com vosso servo, que fizestes àqueles que vos temem.

39 Afastai de mim a vergonha que receio, pois são agradáveis os vossos decretos.

40 Anseio pelos vossos preceitos; dai-me que viva segundo vossa justiça.

41 Desçam a mim as vossas misericórdias, Senhor, e a vossa salvação, conforme vossa promessa.

42 Saberei o que responder aos que me ultrajam, porque tenho confiança em vossa palavra.

43 Não me tireis jamais da boca a palavra da verdade, porque tenho confiança em vossos decretos.

44 Guardarei constantemente a vossa lei, para sempre e pelos séculos dos séculos.

45 Andarei por um caminho seguro, porque procuro os vossos preceitos.

46 Diante dos reis falarei de vossas prescrições, e não me envergonharei.

47 Encontrarei minhas delícias em vossos mandamentos, porque os amo.

48 Erguerei as mãos para executar vossos mandamentos, e meditarei em vossas leis.

49 Lembrai-vos da palavra empenhada ao vosso servo, na qual me fizestes encontrar esperança.

50 O único consolo em minha aflição é que vossa palavra me dá vida.

51 De sarcasmos cumulam-me os soberbos, mas de vossa lei não me afasto.

52 Lembro-me de vossos juízos de outrora, e isso me consola.

53 Revolto-me à vista dos pecadores, que abandonam a vossa lei.

54 Vossas leis são objeto de meus cantares no lugar de meu exílio.

55 De noite, lembro-me, Senhor, de vosso nome; guardarei a vossa lei.

56 Escolhi, como parte que me toca, observar vossos preceitos.

57 Minha partilha, Senhor, eu o declaro, é guardar as vossas palavras.

58 De todo o coração imploro em vossa presença: tende piedade de mim como haveis prometido.

59 Considero os meus atos, e regulo meus passos conforme as vossas ordens.

60 Apresso-me, sem hesitação, em observar os vossos mandamentos.

61 As malhas dos ímpios me cercaram, mas eu não esqueço a vossa lei.

62 Em meio à noite levanto-me para vos louvar pelos vossos decretos cheios de justiça.

63 Sou amigo de todos os que vos temem e dos que seguem vossos preceitos.

64 De vossa bondade, Senhor, está cheia a terra; ensinai-me as vossas leis.

65 Tratastes com benevolência o vosso servo, Senhor, segundo a vossa palavra.

66 Dai-me o juízo reto e a sabedoria, porque confio em vossos mandamentos.

67 Antes de ser afligido pela provação, errei; mas agora guardo a vossa palavra.

68 Vós que sois bom e benfazejo, ensinai-me as vossas leis.

69 Contra mim os soberbos maquinam caluniosamente, mas eu, de todo o coração, fico fiel aos vossos preceitos.

70 Seu espírito tornou-se espesso como sebo; eu, porém, me deleito em vossa lei.

71 Foi bom para mim ser afligido, a fim de aprender vossos decretos.

72 Mais vale para mim a lei de vossa boca que montes de ouro e prata.

73 Formaram-me e plasmaram-me vossas mãos, dai-me a sabedoria para aprender os vossos mandamentos.

74 Aqueles que vos temem alegrem-se ao me ver, porque em vossa palavra pus minha esperança.

75 Sei, Senhor, que são justos os vossos decretos e que com razão vós me provastes.

76 Venha-me em auxílio a vossa misericórdia, e console-me segundo a promessa feita a vosso servo.

77 Venham sobre mim as vossas misericórdias, para que eu viva, porque a vossa lei são as minhas delícias.

78 Sejam confundidos esses orgulhosos que sem razão me afligem; porque medito em vossos preceitos.

79 Voltem para mim os que vos temem e os que observam as vossas prescrições.

80 Seja perfeito meu coração na observância de vossas leis, a fim de que eu não seja confundido.

81 Desfalece-me a alma ansiando por vosso auxílio; em vossa palavra ponho minha esperança.

82 Enlanguescem-me os olhos desejando a vossa palavra; quando vireis consolar-me?

83 Assemelho-me a um odre exposto ao fumeiro, e, contudo, não me esqueci de vossas leis.

84 Por quantos dias fareis esperar o vosso servo? Quando lhe fareis justiça de seus perseguidores?

85 Para mim cavaram fossas os orgulhosos, que não guardam a vossa lei.

86 Todos os vossos mandamentos são justos; sem razão me perseguem; ajudai-me.

87 Por pouco não me exterminaram da terra; eu, porém, não abandonei vossos preceitos.

88 Conservai-me vivo em vossa misericórdia, para que eu observe as prescrições de vossa boca.

89 É eterna, Senhor, vossa palavra, tão estável como o céu.

90 Vossa verdade dura de geração em geração, tão estável como a terra que criastes.

91 Tudo subsiste perpetuamente pelos vossos decretos, porque o universo vos é sujeito.

92 Se em vossa lei não tivesse encontrado as minhas delícias, já teria perecido em minha aflição.

93 Jamais esquecerei vossos preceitos, porque por eles é que me dais a vida.

94 Sou vosso, salvai-me, porquanto busco vossos preceitos.

95 Espreitam-me os pecadores para me perder, mas eu atendo às vossas ordens.

96 Vi que há um termo em toda perfeição, mas vossa lei se estende sem limites.

97 Ah, quanto amo, Senhor, a vossa lei! Durante o dia todo eu a medito.

98 Mais sábio que meus inimigos me fizeram os vossos mandamentos, pois eles me acompanham sempre.

99 Sou mais prudente do que todos os meus mestres, porque vossas prescrições são o único objeto de minha meditação.

100 Sou mais sensato do que os anciãos, porque observo os vossos preceitos.

101 Dos maus caminhos desvio os meus pés, para poder guardar vossas palavras.

102 De vossos decretos eu não me desvio, porque vós mos ensinastes.

103 Quão saborosas são para mim vossas palavras! São mais doces que o mel à minha boca.

104 Vossos preceitos me fizeram sábio, por isso odeio toda senda iníqua.

105 Vossa palavra é um facho que ilumina meus passos, uma luz em meu caminho.

106 Faço juramento e me obrigo a guardar os vossos justos decretos.

107 Estou extremamente aflito, Senhor; conservai-me a vida como prometestes.

108 Aceitai, Senhor, a oferenda da minha promessa e ensinai-me as vossas ordens.

109 Em constante perigo está a minha vida, mas não me esqueço de vossa lei.

110 Armaram-me laços os pecadores, mas não fugi de vossos preceitos.

111 Minha herança eterna são as vossas prescrições, porque fazem a alegria de meu coração.

112 Inclinei o meu coração à prática de vossas ordens, perpetuamente e com exatidão.

113 Odeio os homens hipócritas, mas amo a vossa lei.

114 Vós sois meu abrigo e meu escudo; vossa palavra é minha esperança.

115 Afastai-vos de mim, homens malignos! E guardarei os mandamentos de meu Deus.

116 Sustentai-me pela vossa promessa, para que eu viva, não queirais confundir minha esperança.

117 Ajudai-me para que me salve, e sempre atenderei a vossos decretos.

118 Desprezais os que se apartam de vossas leis, porque mentirosos são seus pensamentos.

119 Como escória reputais os pecadores, por isso eu amo as vossas prescrições.

120 O respeito que tenho por vós me faz estremecer e vossos decretos inspiram-me temor.

121 Pratico o direito e a justiça; não me entregueis aos que me querem oprimir.

122 Sede fiador de vosso servo para a sua segurança, a fim de que os orgulhosos não me oprimam.

123 Desfalecem-me os olhos desejando vossa ajuda e na espera de vossas promessas de felicidade.

124 Tratai vosso servo segundo vossa bondade, e ensinai-me vossas leis.

125 Sou vosso servo: ensinai-me a sabedoria, para que conheça as vossas prescrições.

126 Senhor, é tempo de vós intervirdes, porque violaram as vossas leis.

127 Por isso amo os vossos mandamentos, mais que o ouro, mesmo o ouro mais fino.

128 Por isso escolhi as vossas leis como partilha, e detesto o caminho da mentira.

129 São admiráveis as vossas prescrições, por isso minha alma as observa.

130 Vossas palavras são uma verdadeira luz, que dá sabedoria aos simples.

131 Abro a boca para aspirar, num intenso amor de vossa lei.

132 Voltai-vos para mim e mostrai-me vossa misericórdia, como fazeis sempre para com os que amam o vosso nome.

133 Dirigi meus passos segundo a vossa palavra, a fim de que jamais o pecado reine sobre mim.

134 Livrai-me da opressão dos homens, para que possa guardar as vossas ordens.

135 Fazei brilhar sobre o vosso servo o esplendor da vossa face, e ensinai-me as vossas leis.

136 Muitas lágrimas correram de meus olhos, por não ver observada a vossa lei.

137 Justo sois, Senhor, e retos os vossos juízos.

138 Promulgastes vossas prescrições com toda a justiça, em toda a verdade.

139 Sinto-me consumido pela dor ao ver meus inimigos negligenciar vossas palavras.

140 Vossa palavra é isenta de toda a impureza, vosso servo a ama com fervor.

141 Sou pequeno e desprezado, mas não esqueço os vossos preceitos!

142 Vossa justiça é justiça eterna; e firme, a vossa lei.

143 Apesar da angústia e da tribulação que caíram sobre mim, vossos mandamentos continuam a ser minhas delícias.

144 Eterna é a justiça das vossas prescrições; dai-me a compreensão delas para que eu viva.

145 De todo o coração eu clamo. Ouvi-me, Senhor; e observarei as vossas leis.

146 Clamo a vós: salvai-me, para que eu guarde as vossas prescrições.

147 Já desde a aurora imploro vosso auxílio; nas vossas palavras ponho minha esperança.

148 Meus olhos se antecipam às vigílias da noite, para meditarem em vossa palavra.

149 Conforme vossa misericórdia, ouvi, Senhor, a minha voz; e dai-me a vida, segundo vossa promessa.

150 Aproximam-se os que me perseguem sem razão, eles estão longe de vossa lei.

151 Mas vós, Senhor, estais bem perto, e os vossos mandamentos são a verdade.

152 De há muito sei que vossas prescrições, vós as estabelecestes desde toda a eternidade.

153 Vede a minha aflição e libertai-me, porque não me esqueci de vossa lei.

154 Tomai em vossas mãos a minha causa e vingai-me; como prometestes, dai-me a vida.

155 Longe dos pecadores está a salvação, daqueles que não observam as vossas leis.

156 São muitas, Senhor, as vossas misericórdias; dai-me a vida segundo as vossas decisões.

157 Apesar do número dos que me perseguem e oprimem, não me aparto em nada de vossos preceitos.

158 Ao ver os prevaricadores sinto desgosto, porque eles não observam a vossa palavra.

159 Vede, Senhor, como amo vossos preceitos; conservai-me vivo segundo vossa promessa.

160 O sumário da vossa palavra é a verdade, eternos são os decretos de vossa justiça.

161 Perseguem-me sem razão os poderosos; meu coração só reverencia vossas palavras.

162 Encontro minha alegria na vossa palavra, como a de quem encontra um imenso tesouro.

163 Odeio o mal, eu o detesto; mas amo a vossa lei.

164 Sete vezes ao dia publico vossos louvores, por causa da justiça de vossos juízos.

165 Grande paz têm aqueles que amam vossa lei: não há para eles nada que os perturbe.

166 Espero, Senhor, o vosso auxílio, e cumpro os vossos mandamentos.

167 Minha alma é fiel às vossas prescrições, e eu as amo com fervor.

168 Guardo os vossos preceitos e as vossas ordens, porque ante vossos olhos está minha vida inteira.

169 Chegue até vós, Senhor, o meu clamor; instruí-me segundo a vossa palavra.

170 Chegue até vós a minha prece; livrai-me segundo a vossa palavra.

171 Meus lábios cantem a vós um cântico, por me haverdes ensinado as vossas leis.

172 Cante minha língua as vossas palavras, porque justos são os vossos mandamentos.

173 Estenda-se a vossa mão e me socorra, porque escolhi vossos preceitos.

174 Suspiro, Senhor, pela vossa salvação, e a vossa lei são as minhas delícias.

175 Viva a minha alma para vos louvar, e ajudem-me os vossos decretos.

176 Ando errante como ovelha tresmalhada; vinde em busca do vosso servo, porque não me esqueci de vossos mandamentos!