Salmos 140

1 Livra-me, ó SENHOR, do homem mau; guarda-me do homem violento,

2 Que pensa o mal no coração; continuamente se ajuntam para a guerra.

3 Aguçaram as línguas como a serpente; o veneno das víboras está debaixo dos seus lábios. (Selá.)

4 Guarda-me, ó Senhor, das mãos do ímpio; guarda-me do homem violento; os quais se propuseram transtornar os meus passos.

5 Os soberbos armaram-me laços e cordas; estenderam a rede ao lado do caminho; armaram-me laços corrediços. (Selá.)

6 Eu disse ao Senhor: Tu és o meu Deus; ouve a voz das minhas súplicas, ó Senhor.

7 Ó Deus o Senhor, fortaleza da minha salvação, tu cobriste a minha cabeça no dia da batalha.

8 Não concedas, ó Senhor, ao ímpio os seus desejos; não promovas o seu mau propósito, para que não se exalte. (Selá.)

9 Quanto à cabeça dos que me cercam, cubra-os a maldade dos seus lábios.

10 Caiam sobre eles brasas vivas; sejam lançados no fogo, em covas profundas, para que se não tornem a levantar.

11 Não terá firmeza na terra o homem de má língua; o mal perseguirá o homem violento até que seja desterrado.

12 Sei que o Senhor sustentará a causa do oprimido, e o direito do necessitado.

13 Assim os justos louvarão o teu nome; os retos habitarão na tua presença.

1 Ao mestre de canto. Salmo de Davi. Livrai-me, Senhor, do homem mau; preservai-me do homem violento,

2 daqueles que tramam o mal no coração, que provocam discórdias diariamente,

3 que aguçam a língua qual serpente, que ocultam nos lábios veneno viperino.

4 Salvai-me, Senhor, das mãos do ímpio; preservai-me do homem violento, daqueles que tramam minha queda.

5 Orgulhosos, armam laços contra mim e estendem suas redes, e junto ao caminho me colocam ciladas.

6 Digo ao Senhor: Vós sois o meu Deus. Escutai, Senhor, a voz de minha súplica.

7 Senhor Deus, meu poderoso apoio! Vós protegeis minha fronte no dia do combate.

8 Não atendais, Senhor, os desejos do ímpio, não deixeis que se cumpram seus desígnios.

9 Que não levantem a cabeça os que me cercam; sobre eles recaia a malícia de seus lábios.

10 Carvões ardentes chovam sobre eles: sejam lançados numa fossa de onde não se ergam mais.

11 Não terá duração na terra a má língua; o infortúnio surpreenderá o homem violento.

12 Sei que o Senhor defende o desvalido, e faz justiça aos pobres.

13 Sim, os justos celebrarão o vosso nome, e os retos poderão viver em vossa presença.