Salmos 21

1 O rei se alegra em tua força, SENHOR; e na tua salvação grandemente se regozija.

2 Cumpriste-lhe o desejo do seu coração, e não negaste as súplicas dos seus lábios. (Selá.)

3 Pois vais ao seu encontro com as bênçãos de bondade; pões na sua cabeça uma coroa de ouro fino.

4 Vida te pediu, e lha deste, mesmo longura de dias para sempre e eternamente.

5 Grande é a sua glória pela tua salvação; glória e majestade puseste sobre ele.

6 Pois o abençoaste para sempre; tu o enches de gozo com a tua face.

7 Porque o rei confia no Senhor, e pela misericórdia do Altíssimo nunca vacilará.

8 A tua mão alcançará todos os teus inimigos, a tua mão direita alcançará aqueles que te odeiam.

9 Tu os farás como um forno de fogo no tempo da tua ira; o Senhor os devorará na sua indignação, e o fogo os consumirá.

10 Seu fruto destruirás da terra, e a sua semente dentre os filhos dos homens.

11 Porque intentaram o mal contra ti; maquinaram um ardil, mas não prevalecerão.

12 Assim que tu lhes farás voltar as costas; e com tuas flechas postas nas cordas lhes apontarás ao rosto.

13 Exalta-te, Senhor, na tua força; então cantaremos e louvaremos o teu poder.

1 Ao mestre de canto. Salmo de Davi. Senhor, alegra-se o rei com o vosso poder, e muito exulta com o vosso auxílio!

2 Realizastes os anseios de seu coração, não rejeitastes a prece de seus lábios.

3 Com preciosas bênçãos fostes-lhe ao encontro, pusestes-lhe na cabeça coroa de puríssimo ouro.

4 Ele vos pediu a vida, vós lha concedestes, uma vida cujos dias serão eternos.

5 Grande é a sua glória, devida à vossa proteção; vós o cobristes de majestade e esplendor.

6 Sim, fizestes dele o objeto de vossas eternas bênçãos, de alegria o cobristes com a vossa presença,

7 pois o rei confiou no Senhor. Graças ao Altíssimo não será abalado.

8 Que tua mão, ó rei, apanhe teus inimigos, que tua mão atinja os que te odeiam.

9 Tu os tornarás como fornalha ardente, quando apareceres diante deles. Que o Senhor em sua cólera os consuma, e que o fogo os devore.

10 Faze desaparecer da terra a posteridade deles e a sua descendência dentre os filhos dos homens.

11 Se intentarem fazer-te mal, tramando algum plano, não o conseguirão,

12 porque os porás em fuga, dirigindo teu arco contra a face deles.

13 Erguei-vos, Senhor, em vossa potência! Cantaremos e celebraremos o vosso poder.