Provérbios 27

1 Não conte vantagem a respeito do futuro, pois você não sabe o que o amanhã trará.

2 Deixe que outro o elogie, e não sua própria boca; alguém desconhecido, e não seus próprios lábios.

3 A pedra é pesada, e a areia também, mas pesa ainda mais o ressentimento causado pelo insensato.

4 A ira é cruel, e a fúria, como a inundação, mas a inveja é ainda mais perigosa.

5 A repreensão franca é melhor que o amor escondido.

6 As feridas feitas por um amigo sincero são melhores que os beijos de um inimigo.

7 Quem está satisfeito recusa o mel, mas para o faminto até o alimento amargo é doce.

8 Quem anda distante de casa é como pássaro longe do ninho.

9 O conselho sincero de um amigo é agradável como perfume e incenso.

10 Jamais abandone um amigo, nem o seu nem o de seu pai. Quando vier a calamidade, não peça ajuda a seu irmão; é melhor recorrer a um vizinho próximo que a um irmão distante.

11 Meu filho, seja sábio e alegre meu coração; então poderei responder aos que me criticam.

12 O prudente antevê o perigo e toma precauções; o ingênuo avança às cegas e sofre as consequências.

13 Quem aceita ser fiador de um desconhecido perderá a roupa do corpo; ela ficará como pagamento de quem garante a dívida do estranho.

14 A saudação ruidosa logo cedo será recebida como maldição.

15 A esposa briguenta é irritante como a goteira num dia de chuva.

16 Tentar contê-la é como deter o vento ou agarrar o óleo com a mão.

17 Como o ferro afia o ferro, assim um amigo afia o outro.

18 Quem cuida da figueira comerá de seus frutos; quem protege os interesses de seu senhor será recompensado.

19 Como a água reflete o rosto, assim o coração reflete quem a pessoa é.

20 Como a Morte e a Destruição nunca se satisfazem, assim os desejos do homem nunca são saciados.

21 O fogo prova a pureza da prata e do ouro, mas a pessoa é provada pelos elogios que recebe.

22 Ainda que se moa o insensato como cereal no pilão, é impossível separá-lo de sua insensatez.

23 Tome conhecimento do estado de suas ovelhas e dedique-se a cuidar de seus rebanhos,

24 pois a riqueza não dura para sempre, e pode ser que a coroa não passe para a geração seguinte.

25 Depois de recolhido o feno, geminada a nova plantação e reunido o capim dos montes,

26 os carneiros darão lã para suas roupas e os bodes poderão ser vendidos pelo preço de um campo.

27 Você terá leite de cabra suficiente para si, para sua família e para suas servas.

Copyright© 2017 por Editora Mundo Cristão. Todos os direitos reservados em língua portuguesa. A Nova Versão Transformadora (NVT) e seu logotipo são marcas registradas. Usados com permissão.