Salmos 107

1 Louvai ao SENHOR, porque ele é bom, porque a sua benignidade dura para sempre.

2 Digam-no os remidos do Senhor, os que remiu da mão do inimigo,

3 E os que congregou das terras do oriente e do ocidente, do norte e do sul.

4 Andaram desgarrados pelo deserto, por caminhos solitários; não acharam cidade para habitarem.

5 Famintos e sedentos, a sua alma neles desfalecia.

6 E clamaram ao Senhor na sua angústia, e os livrou das suas dificuldades.

7 E os levou por caminho direito, para irem a uma cidade de habitação.

8 Louvem ao Senhor pela sua bondade, e pelas suas maravilhas para com os filhos dos homens.

9 Pois fartou a alma sedenta, e encheu de bens a alma faminta.

10 Tal como a que se assenta nas trevas e sombra da morte, presa em aflição e em ferro;

11 Porquanto se rebelaram contra as palavras de Deus, e desprezaram o conselho do Altíssimo.

12 Portanto, lhes abateu o coração com trabalho; tropeçaram, e não houve quem os ajudasse.

13 Então clamaram ao Senhor na sua angústia, e os livrou das suas dificuldades.

14 Tirou-os das trevas e sombra da morte; e quebrou as suas prisões.

15 Louvem ao Senhor pela sua bondade, e pelas suas maravilhas para com os filhos dos homens.

16 Pois quebrou as portas de bronze, e despedaçou os ferrolhos de ferro.

17 Os loucos, por causa da sua transgressão, e por causa das suas iniqüidades, são aflitos.

18 A sua alma aborreceu toda a comida, e chegaram até às portas da morte.

19 Então clamaram ao Senhor na sua angústia, e ele os livrou das suas dificuldades.

20 Enviou a sua palavra, e os sarou; e os livrou da sua destruição.

21 Louvem ao Senhor pela sua bondade, e pelas suas maravilhas para com os filhos dos homens.

22 E ofereçam os sacrifícios de louvor, e relatem as suas obras com regozijo.

23 Os que descem ao mar em navios, mercando nas grandes águas.

24 Esses vêem as obras do Senhor, e as suas maravilhas no profundo.

25 Pois ele manda, e se levanta o vento tempestuoso que eleva as suas ondas.

26 Sobem aos céus; descem aos abismos, e a sua alma se derrete em angústias.

27 Andam e cambaleiam como ébrios, e perderam todo o tino.

28 Então clamam ao Senhor na sua angústia; e ele os livra das suas dificuldades.

29 Faz cessar a tormenta, e acalmam-se as suas ondas.

30 Então se alegram, porque se aquietaram; assim os leva ao seu porto desejado.

31 Louvem ao Senhor pela sua bondade, e pelas suas maravilhas para com os filhos dos homens.

32 Exaltem-no na congregação do povo, e glorifiquem-no na assembléia dos anciãos.

33 Ele converte os rios em um deserto, e as fontes em terra sedenta;

34 A terra frutífera em estéril, pela maldade dos que nela habitam.

35 Converte o deserto em lagoa, e a terra seca em fontes.

36 E faz habitar ali os famintos, para que edifiquem cidade para habitação;

37 E semeiam os campos e plantam vinhas, que produzem fruto abundante.

38 Também os abençoa, de modo que se multiplicam muito; e o seu gado não diminui.

39 Depois se diminuem e se abatem, pela opressão, e aflição e tristeza.

40 Derrama o desprezo sobre os príncipes, e os faz andar desgarrados pelo deserto, onde não há caminho.

41 Porém livra ao necessitado da opressão, em um lugar alto, e multiplica as famílias como rebanhos.

42 Os retos o verão, e se alegrarão, e toda a iniqüidade tapará a boca.

43 Quem é sábio observará estas coisas, e eles compreenderão as benignidades do Senhor.

1 Dêem graças ao Senhor porque ele é bom; o seu amor dura para sempre.

2 Assim o digam os que o Senhor resgatou, os que livrou das mãos do adversário,

3 e reuniu de outras terras, do Oriente e do Ocidente, do Norte e do Sul.

4 Perambularam pelo deserto e por terras áridas sem encontrar cidade habitada.

5 Estavam famintos e sedentos; suas vidas iam-se esvaindo.

6 Na sua aflição, clamaram ao Senhor, e ele os livrou da tribulação em que se encontravam

7 e os conduziu por caminho seguro a uma cidade habitada.

8 Que eles dêem graças ao Senhor por seu amor leal e por suas maravilhas em favor dos homens,

9 porque ele sacia o sedento e satisfaz plenamente o faminto.

10 Assentaram-se nas trevas e na sombra mortal, aflitos, acorrentados,

11 pois se rebelaram contra as palavras de Deus e desprezaram os desígnios do Altíssimo.

12 Por isso ele os sujeitou a trabalhos pesados; eles tropeçaram, e não houve quem os ajudasse.

13 Na sua aflição, clamaram ao Senhor, e eles os salvou da tribulação em que se encontravam.

14 Ele os tirou das trevas e da sombra mortal, e quebrou as correntes que os prendiam.

15 Que eles dêem graças ao Senhor, por seu amor leal e por suas maravilhas em favor dos homens,

16 porque despedaçou as portas de bronze e rompeu as trancas de ferro.

17 Tornaram-se tolos por causa dos seus caminhos rebeldes, e sofreram por causa das suas maldades.

18 Sentiram repugnância por toda comida e chegaram perto das portas da morte.

19 Na sua aflição, clamaram ao Senhor, e ele os salvou da tribulação em que se encontravam.

20 Ele enviou a sua palavra e os curou, e os livrou da morte.

21 Que eles dêem graças ao Senhor, por seu amor leal e por suas maravilhas em favor dos homens.

22 Que eles ofereçam sacrifícios de ação de graças e anunciem as suas obras com cânticos de alegria.

23 Fizeram-se ao mar em navios, para negócios na imensidão das águas,

24 e viram as obras do Senhor, as suas maravilhas nas profundezas.

25 Deus falou e provocou um vendaval que levantava as ondas.

26 Subiam aos céus e desciam aos abismos; diante de tal perigo, perderam a coragem.

27 Cambaleavam, tontos como bêbados, e toda a sua habilidade foi inútil.

28 Na sua aflição, clamaram ao Senhor, e ele os tirou da tribulação em que se encontravam.

29 Reduziu a tempestade a uma brisa e serenou as ondas.

30 As ondas sossegaram, ele se alegraram, e Deus os guiou ao porto almejado.

31 Que eles dêem graças ao Senhor por seu amor leal e por suas maravilhas em favor dos homens,

32 Que o exaltem na assembléia do povo e o louvem na reunião dos líderes.

33 Ele transforma os rios em deserto e as fontes em terra seca,

34 faz da terra fértil um solo estéril, por causa da maldade dos seus moradores.

35 Transforma o deserto em açudes e a terra ressecada, em fontes.

36 Ali ele assenta os famintos, para fundar uma cidade habitável,

37 semear lavouras, plantar vinhas e colher uma grande safra.

38 Ele os abençoa, e eles se multiplicam; e não deixa que diminuam os seus rebanhos.

39 Quando, porém, reduzidos, são humilhados com opressão, desgraça e tristeza.

40 Deus derrama desprezo sobre os nobres e os faz vagar num deserto sem caminhos.

41 Mas tira os pobres da miséria e aumenta as suas famílias como rebanhos.

42 Os justos vêem tudo isso e se alegram, mas todos os perversos se calam.

43 Reflitam nisso os sábios e considerem a bondade do Senhor.