Salmos 2

1 Por que se amotinam os gentios, e os povos imaginam coisas vàs?

2 Os reis da terra se levantam e os governos consultam juntamente contra o Senhor e contra o seu ungido, dizendo:

3 Rompamos as suas ataduras, e sacudamos de nós as suas cordas.

4 Aquele que habita nos céus se rirá; o Senhor zombará deles.

5 Então lhes falará na sua ira, e no seu furor os turbará.

6 Eu, porém, ungi o meu Rei sobre o meu santo monte de Sião.

7 Proclamarei o decreto: o Senhor me disse: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei.

8 Pede-me, e eu te darei os gentios por herança, e os fins da terra por tua possessão.

9 Tu os esmigalharás com uma vara de ferro; tu os despedaçarás como a um vaso de oleiro.

10 Agora, pois, ó reis, sede prudentes; deixai-vos instruir, juízes da terra.

11 Servi ao Senhor com temor, e alegrai-vos com tremor.

12 Beijai o Filho, para que se não ire, e pereçais no caminho, quando em breve se acender a sua ira; bem-aventurados todos aqueles que nele confiam.

1 Por que se amotinam as nações e os povos tramam em vão?

2 Os reis da terra tomam posição e os governantes conspiram unidos contra o Senhor e contra o seu ungido, e dizem:

3 "Façamos em pedaços as suas correntes, lancemos de nós as suas algemas! "

4 Do seu trono nos céus o Senhor põe-se a rir e caçoa deles.

5 Em sua ira os repreende e em seu furor os aterroriza, dizendo:

6 "Eu mesmo estabeleci o meu rei em Sião, no meu santo monte".

7 Proclamarei o decreto do Senhor: Ele me disse: "Tu és meu filho; eu hoje te gerei.

8 Pede-me, e te darei as nações como herança e os confins da terra como tua propriedade.

9 Tu as quebrarás com vara de ferro e as despedaçarás como a um vaso de barro".

10 Por isso, ó reis, sejam prudentes; aceitem a advertência, autoridades da terra.

11 Adorem ao Senhor com temor; exultem com tremor.

12 Beijem o filho, para que ele não se ire e vocês não sejam destruídos de repente, pois num instante acende-se a sua ira. Como são felizes todos os que nele se refugiam!