Isaías 63

1 Quem é este que vem de Edom, da cidade de Bozra, com as roupas manchadas de vermelho? Quem é este vestido de trajes reais, que marcha em sua grande força? “Sou eu, o Senhor, anunciando sua justiça! Sou eu, o Senhor, poderoso para salvar!”

2 Por que suas roupas estão vermelhas, como se você tivesse pisado uvas?

3 “Pisei uvas sozinho no tanque de prensar; não havia ninguém para me ajudar. Em minha ira, esmaguei meus inimigos como se fossem uvas. Em minha fúria, pisoteei meus adversários; seu sangue manchou minhas roupas.

4 Chegou a hora de vingar meu povo, de resgatá-los de seus opressores.

5 Admirei-me porque ninguém se apresentou para ajudar os oprimidos. Então eu mesmo intervim para salvá-los com meu braço forte, e minha fúria me susteve.

6 Em minha ira, esmaguei as nações; eu as fiz cambalear e cair e derramei seu sangue na terra.”

7 Falarei do amor do Senhor, louvarei o Senhor por tudo que tem feito. Eu me alegrarei em sua grande bondade por Israel, que ele concedeu conforme sua misericórdia e seu imenso amor.

8 Ele disse: “São meu próprio povo; certamente não me trairão outra vez”; por isso ele se tornou seu Salvador.

9 Em todo o sofrimento deles, ele também sofreu e ele mesmo os salvou. Em seu amor e misericórdia, ele os resgatou; levantou-os e nos braços os carregou ao longo dos anos.

10 Mas eles se rebelaram e entristeceram seu Espírito Santo. Por isso ele se tornou seu inimigo e lutou contra eles.

11 Então eles se lembraram dos dias passados, quando Moisés tirou o povo do Egito. Clamaram: “Onde está aquele que conduziu Israel através do mar, com Moisés como pastor? Onde está aquele que enviou seu Espírito Santo para estar no meio de seu povo?

12 Onde está aquele que manifestou seu poder quando Moisés levantou a mão, que dividiu o mar diante deles e assim tornou seu nome conhecido para sempre?

13 Onde está aquele que os conduziu pelo fundo do mar? Eram como magníficos cavalos selvagens, correndo pelo deserto sem tropeçar.

14 Como o gado que desce para um vale tranquilo, o Espírito do Senhor lhes deu descanso. Sim, tu conduziste teu povo e tornaste teu nome glorioso”.

15 Ó Senhor, olha dos céus! Olha para nós de tua santa e gloriosa habitação! Onde estão o zelo e o poder que costumavas mostrar em nosso favor? Onde estão tua misericórdia e compaixão?

16 Certamente ainda és nosso Pai! Ainda que Abraão e Jacó nos deserdassem, continuarias, Senhor, a ser nosso Pai; és nosso Redentor desde as eras passadas.

17 Por que permitiste, Senhor, que nos desviássemos de teus caminhos? Por que nos endureceste o coração, para que deixássemos de te temer? Volta, pois somos teus servos, as tribos que são tua propriedade.

18 Por pouco tempo teu povo santo possuiu teu lugar santo; agora nossos inimigos o destruíram.

19 Parece que nunca pertencemos a ti; é como se nunca tivéssemos sido teu povo.

Copyright© 2017 por Editora Mundo Cristão. Todos os direitos reservados em língua portuguesa. A Nova Versão Transformadora (NVT) e seu logotipo são marcas registradas. Usados com permissão.