Salmos 31

1 Ao mestre de canto. Salmo de Davi. Junto de vós, Senhor, me refugio. Não seja eu confundido para sempre; por vossa justiça, livrai-me!

2 Inclinai para mim vossos ouvidos, apressai-vos em me libertar. Sede para mim uma rocha de refúgio, uma fortaleza bem armada para me salvar.

3 Pois só vós sois minha rocha e fortaleza: haveis de me guiar e dirigir, por amor de vosso nome.

4 Vós me livrareis das ciladas que me armaram, porque sois minha defesa.

5 Em vossas mãos entrego meu espírito; livrai-me, ó Senhor, Deus fiel.

6 Detestais os que adoram ídolos vãos. Eu, porém, confio no Senhor.

7 Exultarei e me alegrarei pela vossa compaixão, porque olhastes para minha miséria e ajudastes minha alma angustiada.

8 Não me entregastes às mãos do inimigo, mas alargastes o caminho sob meus pés.

9 Tende piedade de mim, Senhor, porque vivo atribulado, de tristeza definham meus olhos, minha alma e minhas entranhas.

10 Realmente, minha vida se consome em amargura, e meus anos em gemidos. Minhas forças se esgotaram na aflição, mirraram-se os meus ossos.

11 Tornei-me objeto de opróbrio para todos os inimigos, ludíbrio dos vizinhos e pavor dos conhecidos. Fogem de mim os que me vêem na rua.

12 Fui esquecido dos corações como um morto, fiquei rejeitado como um vaso partido.

13 Sim, eu ouvi o vozerio da multidão; em toda parte, o terror! Conspirando contra mim, tramam como me tirar a vida.

14 Mas eu, Senhor, em vós confio. Digo: Sois vós o meu Deus.

15 Meu destino está nas vossas mãos. Livrai-me do poder de meus inimigos e perseguidores.

16 Mostrai semblante sereno ao vosso servo, salvai-me pela vossa misericórdia.

17 Senhor, não fique eu envergonhado, porque vos invoquei: Confundidos sejam os ímpios e, mudos, lançados na região dos mortos.

18 Fazei calar os lábios mentirosos que falam contra o justo com insolência, desprezo e arrogância.

19 Quão grande é, Senhor, vossa bondade, que reservastes para os que vos temem e com que tratais aos que se refugiam em vós, aos olhos de todos.

20 Sob a proteção de vossa face os defendeis contra as conspirações dos homens. Vós os ocultais em vossa tenda contra as línguas maldizentes.

21 Bendito seja o Senhor, que usou de maravilhosa bondade, abrigando-me em cidade fortificada.

22 Eu, porém, tinha dito no meu temor: Fui rejeitado de vossa presença. Mas ouvistes antes o brado de minhas súplicas, quando clamava a vós.

23 Amai o Senhor todos os seus servos! Ele protege os que lhe são fiéis. Sabe, porém, retribuir, castigando com rigor aos que procedem com soberba.

24 Animai-vos e sede fortes de coração todos vós, que esperais no Senhor.

1 Magistro chori. PSALMUS. David.

2 In te, Domine, speravi, non confundar in aeternum;in iustitia tua libera me.

3 Inclina ad me aurem tuam,accelera, ut eruas me.Esto mihi in rupem praesidiiet in domum munitam, ut salvum me facias.

4 Quoniam fortitudo mea et refugium meum es tuet propter nomen tuum deduces me et pasces me.

5 Educes me de laqueo, quem absconderunt mihi,quoniam tu es fortitudo mea.

6 In manus tuas commendo spiritum meum;redemisti me, Domine, Deus veritatis.

7 Odisti observantes vanitates supervacuas,ego autem in Domino speravi.

8 Exsultabo et laetabor in misericordia tua,quoniam respexisti humilitatem meam;agnovisti necessitates animae meae

9 nec conclusisti me in manibus inimici;statuisti in loco spatioso pedes meos.

10 Miserere mei, Domine, quoniam tribulor;conturbatus est in maerore oculus meus,anima mea et venter meus.

11 Quoniam defecit in dolore vita mea,et anni mei in gemitibus;infirmata est in paupertate virtus mea,et ossa mea contabuerunt.

12 Apud omnes inimicos meos factus sum opprobriumet vicinis meis valde et timor notis meis:qui videbant me foras, fugiebant a me.

13 Oblivioni a corde datus sum tamquam mortuus;factus sum tamquam vas perditum.

14 Quoniam audivi vituperationem multorum: horror in circuitu;in eo dum convenirent simul adversum me,auferre animam meam consiliati sunt.

15 Ego autem in te speravi, Domine;dixi: " Deus meus es tu,

16 in manibus tuis sortes meae ".Eripe me de manu inimicorum meorumet a persequentibus me;

17 illustra faciem tuam super servum tuum,salvum me fac in misericordia tua.

18 Domine, non confundar, quoniam invocavi te;erubescant impii et obmutescant in inferno.

19 Muta fiant labia dolosa,quae loquuntur adversus iustum protervain superbia et in abusione.

20 Quam magna multitudo dulcedinis tuae, Domine,quam abscondisti timentibus te.Perfecisti eis, qui sperant in te,in conspectu filiorum hominum.

21 Abscondes eos in abscondito faciei tuaea conturbatione hominum;proteges eos in tabernaculoa contradictione linguarum.

22 Benedictus Dominus,quoniam mirificavit misericordiam suam mihi in civitate munita.

23 Ego autem dixi in trepidatione mea: Praecisus sum a conspectu oculorum tuorum ".Verumtamen exaudisti vocem orationis meae,dum clamarem ad te.

24 Diligite Dominum, omnes sancti eius:fideles conservat Dominuset retribuit abundanter facientibus superbiam.

25 Viriliter agite, et confortetur cor vestrum,omnes, qui speratis in Domino.