Salmos 35

1 Ó Senhor, defende-me dos que me acusam; luta contra os que lutam contra mim.

2 Põe tua armadura e toma teu escudo, prepara-te para a batalha e vem me socorrer.

3 Levanta tua lança e teu dardo contra aqueles que me perseguem. Que eu te ouça dizer: “Eu lhe darei vitória!”.

4 Sejam derrotados e humilhados os que procuram me matar, recuem envergonhados os que planejam me prejudicar.

5 Sopra-os para longe, como palha ao vento, e que o anjo do Senhor os disperse.

6 Torna o caminho deles escuro e escorregadio, e que o anjo do Senhor os persiga.

7 Não lhes fiz mal algum, mas eles me prepararam uma armadilha; sem motivo, abriram uma cova para me pegar.

8 Portanto, que venha sobre eles destruição repentina! Sejam pegos na armadilha que me prepararam, sejam destruídos na cova que abriram para mim.

9 Então me alegrarei no Senhor, exultarei porque ele me salva.

10 Eu o louvarei com todos os ossos de meu corpo: “Senhor, quem se compara a ti? Quem além de ti resgata o indefeso das mãos do forte? Quem protege o pobre e o humilde daqueles que os exploram?”.

11 Testemunhas maldosas depõem contra mim e me acusam de crimes que não cometi.

12 Pagam-me o bem com o mal; estou desesperado!

13 Quando eles ficavam doentes, eu lamentava; humilhava-me com jejuns por eles, mas minhas orações não eram respondidas.

14 Como se fossem meus amigos ou familiares, eu me entristecia, como se lamentasse por minha própria mãe.

15 Mas agora, em minha aflição, eles se alegram; triunfantes, juntam-se contra mim. Pessoas que nem conheço me atacam, agridem-me sem cessar.

16 Zombam de mim e me insultam, rosnam e me mostram os dentes.

17 Até quando, Senhor, ficarás olhando? Salva-me de seus ataques ferozes, livra-me desses leões!

18 Então te darei graças diante da comunidade e te louvarei perante todo o povo.

19 Não permitas que meus inimigos traiçoeiros riam de mim, não deixes que me desprezem os que me odeiam sem razão.

20 Não falam de paz; tramam contra os que vivem tranquilos na terra.

21 Gritam: “Ah! Agora o pegamos! Nós o vimos com os próprios olhos!”.

22 Viste tudo isso, Senhor; não permaneças calado, Senhor, e não me abandones agora.

23 Desperta! Levanta-te para me fazeres justiça! Defende minha causa, meu Deus e meu Senhor.

24 Julga-me, Senhor, meu Deus, conforme a tua justiça; não permitas que meus inimigos riam às minhas custas.

25 Não deixes que digam: “Conseguimos o que queríamos! Agora vamos acabar com ele!”.

26 Sejam envergonhados e humilhados os que se alegram com a minha desgraça. Sejam cobertos de vergonha e desonra os que triunfam sobre mim.

27 Exultem e alegrem-se, porém, os que me defendem; que eles digam sempre: “Grande é o Senhor, que se agrada de abençoar seu servo com paz!”.

28 Então proclamarei tua justiça e te louvarei o dia todo.

Copyright© 2017 por Editora Mundo Cristão. Todos os direitos reservados em língua portuguesa. A Nova Versão Transformadora (NVT) e seu logotipo são marcas registradas. Usados com permissão.