Salmos 141

1 Ó Senhor, eu clamo a ti; vem depressa! Ouve quando peço tua ajuda.

2 Aceita minha oração, como incenso oferecido a ti, e minhas mãos levantadas, como oferta da tarde.

3 Assume o controle do que eu digo, Senhor, e guarda meus lábios.

4 Não permitas que eu me desvie para o mal, ou me envolva em atos perversos. Não deixes que eu participe dos banquetes dos que praticam o mal.

5 Firam-me os justos! Será um favor! Se eles me corrigirem, será remédio que dá alívio; não permitas que eu o recuse. Contudo, oro constantemente, contra os perversos e tudo que eles fazem.

6 Quando seus líderes forem lançados num precipício, ouvirão minhas palavras e saberão que são verdadeiras.

7 Como pedras que o arado traz à superfície, seus ossos ficarão espalhados, sem que ninguém os enterre.

8 Espero por tua ajuda, Senhor Soberano! És meu refúgio; não permitas que me matem.

9 Guarda-me das armadilhas que me prepararam, dos laços dos que praticam o mal.

10 Que os perversos caiam em suas próprias redes, mas que eu consiga escapar.

Copyright© 2017 por Editora Mundo Cristão. Todos os direitos reservados em língua portuguesa. A Nova Versão Transformadora (NVT) e seu logotipo são marcas registradas. Usados com permissão.