Salmos 69

1 Salva-me, ó Deus, pois as águas subiram até meu pescoço.

2 Afundo cada vez mais na lama e não tenho onde apoiar os pés. Entrei em águas profundas, e as correntezas me cobrem.

3 Estou exausto de tanto clamar; minha garganta está seca. Meus olhos estão inchados de tanto chorar, à espera de meu Deus.

4 Os que me odeiam sem razão são mais numerosos que os cabelos de minha cabeça. Muitos inimigos tentam me destruir com mentiras; exigem que eu devolva o que não roubei.

5 Ó Deus, tu sabes como sou tolo; é impossível esconder de ti meus pecados.

6 Não permitas que por minha causa sejam envergonhados os que em ti confiam, ó Soberano Senhor dos Exércitos. Não deixes que por minha causa sejam humilhados, ó Deus de Israel.

7 Pois, por tua causa, suporto insultos; meu rosto está coberto de vergonha.

8 Até meus irmãos fingem não me conhecer; tratam-me como um desconhecido.

9 O zelo por tua casa me consome; os insultos dos que te insultam caíram sobre mim.

10 Quando choro e jejuo, eles zombam de mim.

11 Quando visto pano de saco, eles riem de mim.

12 Sou o assunto principal de suas conversas, e os bêbados cantam a meu respeito.

13 Eu, porém, continuo orando a ti, Senhor, na esperança de que, desta vez, mostrarás teu favor. Responde-me, ó Deus, por teu grande amor; salva-me por tua fidelidade.

14 Livra-me do atoleiro, não permitas que eu afunde ainda mais. Salva-me dos que me odeiam, tira-me destas águas profundas.

15 Não deixes que as correntezas me cubram, nem que as águas profundas me engulam, nem que a cova da morte me devore.

16 Responde às minhas orações, ó Senhor, pois o teu amor é bom. Cuida de mim, pois a tua misericórdia é imensa.

17 Não te escondas de teu servo; responde-me sem demora, pois estou aflito.

18 Vem e resgata-me; livra-me de meus inimigos!

19 Tu sabes que sofro zombaria, vergonha e humilhação; vês tudo que meus inimigos fazem.

20 Os insultos deles me partiram o coração; estou desesperado! Se ao menos alguém tivesse piedade de mim; quem dera viessem me consolar.

21 Em vez disso, põem veneno em minha comida; oferecem vinagre para matar minha sede.

22 Que a mesa farta diante deles se transforme em laço, e que sua prosperidade se torne armadilha.

23 Que seus olhos se escureçam para que não vejam, e que seu corpo trema sem parar.

24 Derrama tua fúria sobre eles, consome-os com o ardor de tua ira.

25 Que as casas deles fiquem desoladas, e que não reste ninguém em suas tendas.

26 Pois insultam aquele a quem castigaste, acrescentam dor a quem feriste.

27 Amontoa uns sobre os outros os pecados deles; não permitas que sejam absolvidos.

28 Apaga o nome deles do Livro da Vida; não deixes que sejam incluídos entre os justos.

29 Estou aflito e sofro; socorre-me, ó Deus, com tua salvação!

30 Então louvarei o nome de Deus com cânticos e o exaltarei com ações de graças.

31 Pois isso agrada o Senhor mais que sacrifícios de bois, mais que ofertas de touros com chifres e cascos.

32 Os humildes verão Deus agir e se alegrarão; animem-se todos que buscam socorro em Deus.

33 Pois o Senhor ouve o clamor dos pobres; não despreza seu povo aprisionado.

34 Louvem-no, céus e terra, os mares e tudo que neles se move.

35 Pois Deus salvará Sião e reconstruirá as cidades de Judá. Seu povo viverá ali e em sua própria terra se estabelecerá.

36 Os descendentes dos que o servem herdarão a terra, e os que o amam ali viverão, em segurança.

Copyright© 2017 por Editora Mundo Cristão. Todos os direitos reservados em língua portuguesa. A Nova Versão Transformadora (NVT) e seu logotipo são marcas registradas. Usados com permissão.