Salmos 109

1 Ó Deus, a quem eu louvo, não permaneças calado,

2 enquanto os perversos me caluniam e falam mentiras a meu respeito.

3 Eles me cercam de palavras odiosas e me atacam sem motivo.

4 Retribuem meu amor com acusações, mesmo enquanto oro por eles.

5 Pagam-me o bem com o mal, e o amor, com o ódio.

6 Que um perverso testemunhe contra ele, e um acusador o leve a julgamento.

7 Quando julgarem sua causa, que o declarem culpado; considerem pecado suas orações.

8 Que sua vida seja curta, e outro ocupe seu lugar.

9 Que seus filhos se tornem órfãos, e sua esposa, viúva.

10 Que seus filhos andem sem rumo, como mendigos, e sejam expulsos de suas casas em ruínas.

11 Que os credores tomem todos os seus bens, e estranhos levem o fruto de seu trabalho.

12 Que ninguém o trate com bondade, nem tenha compaixão de seus órfãos.

13 Que todos os seus descendentes morram; que o nome de sua família seja apagado na geração seguinte.

14 Que o Senhor nunca se esqueça dos pecados de seus antepassados; que os pecados de sua mãe jamais sejam apagados.

15 Que o Senhor se lembre sempre de sua culpa; que seu nome seja de todo esquecido.

16 Pois não quis ser bondoso com os outros; foi no encalço dos pobres e necessitados e perseguiu até a morte os de coração quebrantado.

17 Gostava de amaldiçoar; agora, que ele próprio seja amaldiçoado. Não tinha prazer em abençoar; agora, que ele não seja abençoado.

18 Para ele, amaldiçoar é como a roupa que ele veste, como a água que bebe, como os alimentos saborosos que come.

19 Agora, que suas maldições voltem para ele; apeguem-se a seu corpo como roupas, amarrem-se em torno dele como um cinto.

20 Que essas maldições se tornem castigo do Senhor para meus acusadores, para os que falam mal de mim.

21 Quanto a mim, ó Senhor Soberano, trata-me bem, por causa do teu nome; livra-me, porque és fiel e bom.

22 Pois sou pobre e necessitado, e meu coração está ferido.

23 Vou desaparecendo, como a sombra ao entardecer; sou lançado para longe, como um gafanhoto.

24 De tanto jejuar, meus joelhos estão fracos; não passo de pele e osso.

25 Sou motivo de zombaria em todo lugar; quando me veem, balançam a cabeça em desprezo.

26 Ajuda-me, Senhor, meu Deus; salva-me por causa do teu amor!

27 Que eles reconheçam que isso veio de ti, que tu mesmo o fizeste, Senhor.

28 Que importa se me amaldiçoarem? Tu me abençoarás! Quando me atacarem, serão envergonhados; mas eu, teu servo, continuarei a me alegrar!

29 Que meus acusadores sejam vestidos de humilhação, que a vergonha os cubra como um manto.

30 Eu, porém, sempre darei graças ao Senhor; louvarei seu nome diante de todos.

31 Pois ele está junto aos necessitados, pronto para salvá-los dos que os condenam.

Copyright© 2017 por Editora Mundo Cristão. Todos os direitos reservados em língua portuguesa. A Nova Versão Transformadora (NVT) e seu logotipo são marcas registradas. Usados com permissão.