Salmos 102

1 SENHOR, ouve a minha oração, e chegue a ti o meu clamor.

2 Não escondas de mim o teu rosto no dia da minha angústia, inclina para mim os teus ouvidos; no dia em que eu clamar, ouve-me depressa.

3 Porque os meus dias se consomem como a fumaça, e os meus ossos ardem como lenha.

4 O meu coração está ferido e seco como a erva, por isso me esqueço de comer o meu pão.

5 Por causa da voz do meu gemido os meus ossos se apegam à minha pele.

6 Sou semelhante ao pelicano no deserto; sou como um mocho nas solidões.

7 Vigio, sou como o pardal solitário no telhado.

8 Os meus inimigos me afrontam todo o dia; os que se enfurecem contra mim têm jurado contra mim.

9 Pois tenho comido cinza como pão, e misturado com lágrimas a minha bebida,

10 Por causa da tua ira e da tua indignação, pois tu me levantaste e me arremessaste.

11 Os meus dias são como a sombra que declina, e como a erva me vou secando.

12 Mas tu, Senhor, permanecerás para sempre, a tua memória de geração em geração.

13 Tu te levantarás e terás piedade de Sião; pois o tempo de te compadeceres dela, o tempo determinado, já chegou.

14 Porque os teus servos têm prazer nas suas pedras, e se compadecem do seu pó.

15 Então os gentios temerão o nome do Senhor, e todos os reis da terra a tua glória.

16 Quando o Senhor edificar a Sião, aparecerá na sua glória.

17 Ele atenderá à oração do desamparado, e não desprezará a sua oração.

18 Isto se escreverá para a geração futura; e o povo que se criar louvará ao Senhor.

19 Pois olhou desde o alto do seu santuário, desde os céus o Senhor contemplou a terra,

20 Para ouvir o gemido dos presos, para soltar os sentenciados à morte;

21 Para anunciarem o nome do Senhor em Sião, e o seu louvor em Jerusalém,

22 Quando os povos se ajuntarem, e os reinos, para servirem ao Senhor.

23 Abateu a minha força no caminho; abreviou os meus dias.

24 Dizia eu: Meu Deus, não me leves no meio dos meus dias, os teus anos são por todas as gerações.

25 Desde a antiguidade fundaste a terra, e os céus são obra das tuas mãos.

26 Eles perecerão, mas tu permanecerás; todos eles se envelhecerão como um vestido; como roupa os mudarás, e ficarão mudados.

27 Porém tu és o mesmo, e os teus anos nunca terão fim.

28 Os filhos dos teus servos continuarão, e a sua semente ficará firmada perante ti.

1 Preces afflicti, qui defessusangorem suum ante Dominum profundit.

2 Domine, exaudi orationem meam,et clamor meus ad te veniat.

3 Non abscondas faciem tuam a me;in quacumque die tribulor,inclina ad me aurem tuam.In quacumque die invocavero te,velociter exaudi me.

4 Quia defecerunt sicut fumus dies mei,et ossa mea sicut cremium aruerunt.

5 Percussum est ut fenum et aruit cor meum,etenim oblitus sum comedere panem meum.

6 A voce gemitus meiadhaesit os meum carni meae.

7 Similis factus sum pellicano solitudinis,factus sum sicut nycticorax in ruinis.

8 Vigilavi et factus sum sicut passer solitarius in tecto.

9 Tota die exprobrabant mihi inimici mei,exardescentes in me per me iurabant.

10 Quia cinerem tamquam panem manducabamet potum meum cum fletu miscebam,

11 a facie irae et increpationis tuae,quia elevans allisisti me.

12 Dies mei sicut umbra declinaverunt,et ego sicut fenum arui.

13 Tu autem, Domine, in aeternum permanes,et memoriale tuum in generationem et generationem.

14 Tu exsurgens misereberis Sion,quia tempus miserendi eius,quia venit tempus,

15 quoniam placuerunt servis tuis lapides eius,et pulveris eius miserentur.

16 Et timebunt gentes nomen tuum, Domine,et omnes reges terrae gloriam tuam,

17 quia aedificavit Dominus Sionet apparuit in gloria sua.

18 Respexit in orationem inopumet non sprevit precem eorum.

19 Scribantur haec pro generatione altera,et populus, qui creabitur, laudabit Dominum.

20 Quia prospexit de excelso sanctuario suo,Dominus de caelo in terram aspexit,

21 ut audiret gemitus compeditorum, ut solveret filios mortis;

22 ut annuntient in Sion nomen Dominiet laudem eius in Ierusalem,

23 cum congregati fuerint populi in unumet regna, ut serviant Domino.

24 Humiliavit in via virtutem meam,abbreviavit dies meos.Dicam: " Deus meus,

25 ne auferas me in dimidio dierum meorum;in generationem et generationem sunt anni tui.

26 Initio terram fundasti;et opera manuum tuarum sunt caeli.

27 Ipsi peribunt, tu autem permanes;et omnes sicut vestimentum veterascent,et sicut opertorium mutabis eos, et mutabuntur.

28 Tu autem idem ipse es, et anni tui non deficient.

29 Filii servorum tuorum habitabunt,et semen eorum in conspectu tuo firmabitur ".