Salmos 17

1 Ouve, SENHOR, a justiça; atende ao meu clamor; dá ouvidos à minha oração, que não é feita com lábios enganosos.

2 Saia a minha sentença de diante do teu rosto; atendam os teus olhos à razão.

3 Provaste o meu coração; visitaste-me de noite; examinaste-me, e nada achaste; propus que a minha boca não transgredirá.

4 Quanto ao trato dos homens, pela palavra dos teus lábios me guardei das veredas do destruidor.

5 Dirige os meus passos nos teus caminhos, para que as minhas pegadas não vacilem.

6 Eu te invoquei, ó Deus, pois me queres ouvir; inclina para mim os teus ouvidos, e escuta as minhas palavras.

7 Faze maravilhosas as tuas beneficências, ó tu que livras aqueles que em ti confiam dos que se levantam contra a tua destra.

8 Guarda-me como à menina do olho; esconde-me debaixo da sombra das tuas asas,

9 Dos ímpios que me oprimem, dos meus inimigos mortais que me andam cercando.

10 Na sua gordura se encerram, com a boca falam soberbamente.

11 Têm-nos cercado agora nossos passos; e baixaram os seus olhos para a terra;

12 Parecem-se com o leão que deseja arrebatar a sua presa, e com o leãozinho que se põe em esconderijos.

13 Levanta-te, Senhor, detém-no, derriba-o, livra a minha alma do ímpio, com a tua espada;

14 Dos homens com a tua mão, Senhor, dos homens do mundo, cuja porção está nesta vida, e cujo ventre enches do teu tesouro oculto. Estão fartos de filhos e dão os seus sobejos às suas crianças.

15 Quanto a mim, contemplarei a tua face na justiça; eu me satisfarei da tua semelhança quando acordar.

1 Precatio. David.Exaudi, Domine, iustitiam meam,intende deprecationem meam.Auribus percipe orationem meam, non in labiis dolosis.

2 De vultu tuo iudicium meum prodeat;oculi tui videant aequitates.

3 Proba cor meum et visita nocte;igne me examina, et non invenies in me iniquitatem.

4 Non transgreditur os meum ad opera hominum,propter verba labiorum tuorum custodivi me a viis violenti.

5 Retine gressus meos in semitis tuis,ut non moveantur vestigia mea.

6 Ego ad te clamavi, quoniam exaudis me, Deus;inclina aurem tuam mihi et exaudi verba mea.

7 Mirifica misericordias tuas,qui salvos facis ab insurgentibussperantes in dextera tua.

8 Custodi me ut pupillam oculi,sub umbra alarum tuarum protege me

9 a facie impiorum, qui me afflixerunt.Inimici mei in furore circumdederunt me,

10 adipem suum concluserunt;os eorum locutum est superbiam.

11 Incedentes nunc circumdederunt me,oculos suos statuerunt prosternere in terram.

12 Aspectus eorum quasi leonis parati ad praedamet sicut catuli leonis recubantis in abditis.

13 Exsurge, Domine, praeveni eum, supplanta eum;eripe animam meam ab impio framea tua,

14 a mortuis manu tua, Domine,a mortuis, quorum defecit portio vitae.De reconditis tuis adimpleas ventrem eorum,saturentur filii et dimittant reliquias parvulis suis.

15 Ego autem in iustitia videbo faciem tuam;satiabor, cum evigilavero, conspectu tuo.