Salmos 88

1 SENHOR Deus da minha salvação, diante de ti tenho clamado de dia e de noite.

2 Chegue a minha oração perante a tua face, inclina os teus ouvidos ao meu clamor;

3 Porque a minha alma está cheia de angústia, e a minha vida se aproxima da sepultura.

4 Estou contado com aqueles que descem ao abismo; estou como homem sem forças,

5 Livre entre os mortos, como os feridos de morte que jazem na sepultura, dos quais te não lembras mais, e estão cortados da tua mão.

6 Puseste-me no abismo mais profundo, em trevas e nas profundezas.

7 Sobre mim pesa o teu furor; tu me afligiste com todas as tuas ondas. (Selá.)

8 Alongaste de mim os meus conhecidos, puseste-me em extrema abominação para com eles. Estou fechado, e não posso sair.

9 A minha vista desmaia por causa da aflição. Senhor, tenho clamado a ti todo o dia, tenho estendido para ti as minhas mãos.

10 Mostrarás, tu, maravilhas aos mortos, ou os mortos se levantarão e te louvarão? (Selá.)

11 Será anunciada a tua benignidade na sepultura, ou a tua fidelidade na perdição?

12 Saber-se-ão as tuas maravilhas nas trevas, e a tua justiça na terra do esquecimento?

13 Eu, porém, Senhor, tenho clamado a ti, e de madrugada te esperará a minha oração.

14 Senhor, porque rejeitas a minha alma? Por que escondes de mim a tua face?

15 Estou aflito, e prestes tenho estado a morrer desde a minha mocidade; enquanto sofro os teus terrores, estou perturbado.

16 A tua ardente indignação sobre mim vai passando; os teus terrores me têm retalhado.

17 Eles me rodeiam todo o dia como água; eles juntos me sitiam.

18 Desviaste para longe de mim amigos e companheiros, e os meus conhecidos estão em trevas.

1 Canticum. PSALMUS. Filiorum Core. Magistro chori.Secundum " Mahalat ". Ad cantandum. Maskil. Heman Ezrahitae.

2 Domine, Deus salutis meae,in die clamavi et nocte coram te.

3 Intret in conspectu tuo oratio mea;inclina aurem tuam ad precem meam.

4 Quia repleta est malis anima mea,et vita mea inferno appropinquavit.

5 Aestimatus sum cum descendentibus in lacum,factus sum sicut homo sine adiutorio.

6 Inter mortuos liber,sicut vulnerati dormientes in sepulcris;quorum non es memor amplius,et ipsi de manu tua abscissi sunt.

7 Posuisti me in lacu inferiori,in tenebrosis et in umbra mortis.

8 Super me gravatus est furor tuus,et omnes fluctus tuos induxisti super me.

9 Longe fecisti notos meos a me,posuisti me abominationem eis;conclusus sum et non egrediar.

10 Oculi mei languerunt prae afflictione.Clamavi ad te, Domine, tota die,expandi ad te manus meas. -

11 Numquid mortuis facies mirabilia,aut surgent umbrae et confitebuntur tibi?

12 Numquid narrabit aliquis in sepulcro misericordiam tuamet veritatem tuam in loco perditionis?

13 Numquid cognoscentur in tenebris mirabilia tua,et iustitia tua in terra oblivionis?

14 Et ego ad te, Domine, clamavi,et mane oratio mea praeveniet te.

15 Ut quid, Domine, repellis animam meam,abscondis faciem tuam a me?

16 Pauper sum ego et moriens a iuventute mea;portavi pavores tuos et conturbatus sum.

17 Super me transierunt irae tuae,et terrores tui exciderunt me.

18 Circuierunt me sicut aqua tota die,circumdederunt me simul.

19 Elongasti a me amicum et proximum,et noti mei sunt tenebrae.