Salmos 144

1 Bendito seja o SENHOR, minha rocha, que ensina as minhas mãos para a peleja e os meus dedos para a guerra;

2 Benignidade minha e fortaleza minha; alto retiro meu e meu libertador és tu; escudo meu, em quem eu confio, e que me sujeita o meu povo.

3 Senhor, que é o homem, para que o conheças, e o filho do homem, para que o estimes?

4 O homem é semelhante à vaidade; os seus dias são como a sombra que passa.

5 Abaixa, ó Senhor, os teus céus, e desce; toca os montes, e fumegarão.

6 Vibra os teus raios e dissipa-os; envia as tuas flechas, e desbarata-os.

7 Estende as tuas mãos desde o alto; livra-me, e arrebata-me das muitas águas e das mãos dos filhos estranhos,

8 Cuja boca fala vaidade, e a sua mão direita é a destra de falsidade.

9 A ti, ó Deus, cantarei um cântico novo; com o saltério e instrumento de dez cordas te cantarei louvores;

10 A ti, que dás a salvação aos reis, e que livras a Davi, teu servo, da espada maligna.

11 Livra-me, e tira-me das mãos dos filhos estranhos, cuja boca fala vaidade, e a sua mão direita é a destra de iniqüidade,

12 Para que nossos filhos sejam como plantas crescidas na sua mocidade; para que as nossas filhas sejam como pedras de esquina lavradas à moda de palácio;

13 Para que as nossas despensas se encham de todo provimento; para que os nossos rebanhos produzam a milhares e a dezenas de milhares nas nossas ruas.

14 Para que os nossos bois sejam fortes para o trabalho; para que não haja nem assaltos, nem saídas, nem gritos nas nossas ruas.

15 Bem-aventurado o povo ao qual assim acontece; bem-aventurado é o povo cujo Deus é o Senhor.

1 David.Benedictus Dominus, adiutor meus,qui docet manus meas ad proeliumet digitos meos ad bellum.

2 Misericordia mea et fortitudo mea,refugium meum et liberator meus;scutum meum, et in ipso speravi,qui subdit populum meum sub me.

3 Domine, quid est homo, quod agnoscis eum,aut filius hominis, quod reputas eum?

4 Homo vanitati similis factus est,dies eius sicut umbra praeteriens.

5 Domine, inclina caelos tuos et descende;tange montes, et fumigabunt.

6 Fulgura coruscationem et dissipa eos;emitte sagittas tuas et conturba eos.

7 Emitte manum tuam de alto;eripe me et libera me de aquis multis,de manu filiorum alienigenarum,

8 quorum os locutum est vanitatem,et dextera eorum dextera mendacii.

9 Deus, canticum novum cantabo tibi,in psalterio decachordo psallam tibi,

10 qui das salutem regibus,qui redimis David servum tuum de gladio maligno.

11 Eripe me et libera mede manu filiorum alienigenarum,quorum os locutum est vanitatem,et dextera eorum dextera mendacii.

12 Filii nostri sicut novellae crescentesin iuventute sua;filiae nostrae sicut columnae angulares,sculptae ut structura templi.

13 Promptuaria nostra plena,redundantia omnibus bonis;oves nostrae in milibusinnumerabiles in campis nostris,

14 boves nostrae crassae.Non est ruina maceriae neque egressusneque clamor in plateis nostris.

15 Beatus populus, cui haec sunt;beatus populus, cui Dominus est Deus.