Salmos 69

1 Livra-me, ó Deus, pois as águas entraram até à minha alma.

2 Atolei-me em profundo lamaçal, onde se não pode estar em pé; entrei na profundeza das águas, onde a corrente me leva.

3 Estou cansado de clamar; a minha garganta se secou; os meus olhos desfalecem esperando o meu Deus.

4 Aqueles que me odeiam sem causa são mais do que os cabelos da minha cabeça; aqueles que procuram destruir-me, sendo injustamente meus inimigos, são poderosos; então restituí o que não furtei.

5 Tu, ó Deus, bem conheces a minha estultice; e os meus pecados não te são encobertos.

6 Não sejam envergonhados por minha causa aqueles que esperam em ti, ó Senhor, DEUS dos Exércitos; não sejam confundidos por minha causa aqueles que te buscam, ó Deus de Israel.

7 Porque por amor de ti tenho suportado afrontas; a confusão cobriu o meu rosto.

8 Tenho-me tornado um estranho para com meus irmãos, e um desconhecido para com os filhos de minha mãe.

9 Pois o zelo da tua casa me devorou, e as afrontas dos que te afrontam caíram sobre mim.

10 Quando chorei, e castiguei com jejum a minha alma, isto se me tornou em afrontas.

11 Pus por vestido um saco, e me fiz um provérbio para eles.

12 Aqueles que se assentam à porta falam contra mim; e fui o cântico dos bebedores de bebida forte.

13 Eu, porém, faço a minha oração a ti, Senhor, num tempo aceitável; ó Deus, ouve-me segundo a grandeza da tua misericórdia, segundo a verdade da tua salvação.

14 Tira-me do lamaçal, e não me deixes atolar; seja eu livre dos que me odeiam, e das profundezas das águas.

15 Não me leve a corrente das águas, e não me absorva ao profundo, nem o poço cerre a sua boca sobre mim.

16 Ouve-me, Senhor, pois boa é a tua misericórdia. Olha para mim segundo a tua muitíssima piedade.

17 E não escondas o teu rosto do teu servo, porque estou angustiado; ouve-me depressa.

18 Aproxima-te da minha alma, e resgata-a; livra-me por causa dos meus inimigos.

19 Bem tens conhecido a minha afronta, e a minha vergonha, e a minha confusão; diante de ti estão todos os meus adversários.

20 Afrontas me quebrantaram o coração, e estou fraquíssimo; esperei por alguém que tivesse compaixão, mas não houve nenhum; e por consoladores, mas não os achei.

21 Deram-me fel por mantimento, e na minha sede me deram a beber vinagre.

22 Torne-se-lhes a sua mesa diante deles em laço, e a prosperidade em armadilha.

23 Escureçam-se-lhes os seus olhos, para que não vejam, e faze com que os seus lombos tremam constantemente.

24 Derrama sobre eles a tua indignação, e prenda-os o ardor da tua ira.

25 Fique desolado o seu palácio; e não haja quem habite nas suas tendas.

26 Pois perseguem àquele a quem feriste, e conversam sobre a dor daqueles a quem chagaste.

27 Acrescenta iniqüidade à iniqüidade deles, e não entrem na tua justiça.

28 Sejam riscados do livro dos vivos, e não sejam inscritos com os justos.

29 Eu, porém, sou pobre e estou triste; ponha-me a tua salvação, ó Deus, num alto retiro.

30 Louvarei o nome de Deus com um cântico, e engrandecê-lo-ei com ação de graças.

31 Isto será mais agradável ao Senhor do que boi, ou bezerro que tem chifres e unhas.

32 Os mansos verão isto, e se agradarão; o vosso coração viverá, pois que buscais a Deus.

33 Porque o Senhor ouve os necessitados, e não despreza os seus cativos.

34 Louvem-no os céus e a terra, os mares e tudo quanto neles se move.

35 Porque Deus salvará a Sião, e edificará as cidades de Judá; para que habitem ali e a possuam.

36 E herdá-la-á a semente de seus servos, e os que amam o seu nome habitarão nela.

1 Magistro chori. Secundum " Lilia... ". David.

2 Salvum me fac, Deus,quoniam venerunt aquae usque ad guttur meum.

3 Infixus sum in limo profundi, et non est substantia;veni in profunda aquarum, et fluctus demersit me.

4 Laboravi clamans, raucae factae sunt fauces meae;defecerunt oculi mei, dum spero in Deum meum.

5 Multiplicati sunt super capillos capitis mei,qui oderunt me gratis.Confortati sunt, qui persecuti sunt me inimici mei mendaces;quae non rapui, tunc exsolvebam.

6 Deus, tu scis insipientiam meam,et delicta mea a te non sunt abscondita.

7 Non erubescant in me, qui exspectant te,Domine, Domine virtutum.Non confundantur super me,qui quaerunt te, Deus Israel.

8 Quoniam propter te sustinui opprobrium,operuit confusio faciem meam;

9 extraneus factus sum fratribus meiset peregrinus filiis matris meae.

10 Quoniam zelus domus tuae comedit me,et opprobria exprobrantium tibi ceciderunt super me.

11 Et flevi in ieiunio animam meam,et factum est in opprobrium mihi.

12 Et posui vestimentum meum cilicium,et factus sum illis in parabolam.

13 Adversum me loquebantur, qui sedebant in porta,et in me canebant, qui bibebant vinum.

14 Ego vero orationem meam ad te, Domine,in tempore beneplaciti, Deus.In multitudine misericordiae tuae exaudi me,in veritate salutis tuae.

15 Eripe me de luto, ut non infigar,eripiar ab iis, qui oderunt me,et de profundis aquarum.

16 Non me demergat fluctus aquarum,neque absorbeat me profundum,neque urgeat super me puteus os suum.

17 Exaudi me, Domine, quoniam benigna est misericordia tua;secundum multitudinem miserationum tuarum respice in me.

18 Et ne avertas faciem tuam a puero tuo;quoniam tribulor, velociter exaudi me.

19 Accede ad animam meam, vindica eam,propter inimicos meos redime me.

20 Tu scis opprobrium meumet confusionem meam et reverentiam meam. -In conspectu tuo sunt omnes, qui tribulant me;

21 opprobrium contrivit cor meum, et elangui.Et sustinui, qui simul contristaretur, et non fuit,et qui consolaretur, et non inveni.

22 Et dederunt in escam meam felet in siti mea potaverunt me aceto.

23 Fiat mensa eorum coram ipsis in laqueumet in retributiones et in scandalum.

24 Obscurentur oculi eorum, ne videant,et lumbos eorum semper infirma.

25 Effunde super eos iram tuam,et furor irae tuae comprehendat eos.

26 Fiat commoratio eorum deserta,et in tabernaculis eorum non sit qui inhabitet.

27 Quoniam, quem tu percussisti, persecuti sunt,et super dolorem eius, quem vulnerasti, addiderunt.

28 Appone iniquitatem super iniquitatem eorum,et non veniant ad iustitiam tuam.

29 Deleantur de libro viventiumet cum iustis non scribantur.

30 Ego autem sum pauper et dolens;salus tua, Deus, suscipit me.

31 Laudabo nomen Dei cum canticoet magnificabo eum in laude.

32 Et placebit Domino super taurum,super vitulum cornua producentem et ungulas.

33 Videant humiles et laetentur;quaerite Deum, et vivet cor vestrum,

34 quoniam exaudivit pauperes Dominuset vinctos suos non despexit.

35 Laudent illum caeli et terra,maria et omnia reptilia in eis.

36 Quoniam Deus salvam faciet Sionet aedificabit civitates Iudae;et inhabitabunt ibi et possidebunt eam.

37 Et semen servorum eius hereditabunt eam;et, qui diligunt nomen eius, habitabunt in ea.