Salmos 9

1 Eu te louvarei, Senhor, com todo o meu coração; contarei todas as tuas maravilhas.

2 Em ti me alegrarei e saltarei de prazer; cantarei louvores ao teu nome, ó Altíssimo.

3 Porquanto os meus inimigos retornaram, caíram e pereceram diante da tua face.

4 Pois tu tens sustentado o meu direito e a minha causa; tu te assentaste no tribunal, julgando justamente;.

5 Repreendeste as nações, destruíste os ímpios; apagaste o seu nome para sempre e eternamente.

6 Oh! inimigo! acabaram-se para sempre as assolações; e tu arrasaste as cidades, e a sua memória pereceu com elas.

7 Mas o Senhor está assentado perpetuamente; já preparou o seu tribunal para julgar.

8 Ele mesmo julgará o mundo com justiça; exercerá juízo sobre povos com retidão.

9 O Senhor será também um alto refúgio para o oprimido; um alto refúgio em tempos de angústia.

10 Em ti confiarão os que conhecem o teu nome; porque tu, Senhor, nunca desamparaste os que te buscam.

11 Cantai louvores ao Senhor, que habita em Sião; anunciai entre os povos os seus feitos.

12 Pois quando inquire do derramamento de sangue, lembra-se deles: não se esquece do clamor dos aflitos.

13 Tem misericórdia de mim, Senhor, olha para a minha aflição, causada por aqueles que me odeiam; tu que me levantas das portas da morte;.

14 Para que eu conte todos os teus louvores nas portas da filha de Sião, e me alegre na tua salvação.

15 Os gentios enterraram-se na cova que fizeram; na rede que ocultaram ficou preso o seu pé.

16 O Senhor é conhecido pelo juízo que fez; enlaçado foi o ímpio nas obras de suas mãos. (Higaiom; Selá.).

17 Os ímpios serão lançados no inferno, e todas as nações que se esquecem de Deus.

18 Porque o necessitado não será esquecido para sempre, nem a expectação dos pobres perecerá perpetuamente.

19 Levanta-te, Senhor; não prevaleça o homem; sejam julgados os gentios diante da tua face.

20 Põe-os em medo, Senhor, para que saibam as nações que são formadas por meros homens. (Selá.).

1 Magistro chori. Ad modum cantici " Mut labben ". PSALMUS. David.

2 ALEPH. Confitebor tibi, Domine, in toto corde meo,narrabo omnia mirabilia tua.

3 Laetabor et exsultabo in te,psallam nomini tuo, Altissime.

4 BETH. Cum convertuntur inimici mei retrorsum,infirmantur et pereunt a facie tua.

5 Quoniam fecisti iudicium meum et causam meam,sedisti super thronum, qui iudicas iustitiam.

6 GHIMEL. Increpasti gentes, perdidisti impium;nomen eorum delesti in aeternum et in saeculum saeculi.

7 Inimici defecerunt, solitudines sempiternae factae sunt;et civitates destruxisti: periit memoria eorum cum ipsis.

8 HE. Dominus autem in aeternum sedebit,paravit in iudicium thronum suum;

9 et ipse iudicabit orbem terrae in iustitia,iudicabit populos in aequitate.

10 VAU. Et erit Dominus refugium oppresso,refugium in opportunitatibus, in tribulatione.

11 Et sperent in te, qui noverunt nomen tuum,quoniam non dereliquisti quaerentes te, Domine.

12 ZAIN. Psallite Domino, qui habitat in Sion;annuntiate inter gentes studia eius.

13 Quoniam requirens sanguinem recordatus est eorum,non est oblitus clamorem pauperum.

14 HETH. Miserere mei, Domine;vide afflictionem meam de inimicis meis,qui exaltas me de portis mortis,

15 ut annuntiem omnes laudationes tuas in portis filiae Sion,exsultem in salutari tuo.

16 TETH. Infixae sunt gentes in fovea, quam fecerunt;in laqueo isto, quem absconderunt,comprehensus est pes eorum.

17 Manifestavit se Dominus iudicium faciens;in operibus manuum suarum comprehensus est peccator.

18 IOD. Convertentur peccatores in infernum,omnes gentes, quae obliviscuntur Deum.

19 CAPH. Quoniam non in finem oblivio erit pauperis;exspectatio pauperum non peribit in aeternum.

20 Exsurge, Domine, non confortetur homo;iudicentur gentes in conspectu tuo.

21 Constitue, Domine, terrorem super eos;sciant gentes quoniam homines sunt.