Salmos 39

1 Eu disse: Guardarei os meus caminhos para não pecar com a minha língua; guardarei a boca com um freio, enquanto o ímpio estiver diante de mim.

2 Com o silêncio fiquei mudo; calava-me mesmo acerca do bem, e a minha dor se agravou.

3 Esquentou-se-me o coração dentro de mim; enquanto eu meditava se acendeu um fogo; então falei com a minha língua:

4 Faze-me conhecer, Senhor, o meu fim, e a medida dos meus dias qual é, para que eu sinta quanto sou frágil.

5 Eis que fizeste os meus dias como a palmos; o tempo da minha vida é como nada diante de ti; na verdade, todo homem, por mais firme que esteja, é totalmente vaidade. (Selá.)

6 Na verdade, todo homem anda numa và aparência; na verdade, em vão se inquietam; amontoam riquezas, e não sabem quem as levará.

7 Agora, pois, Senhor, que espero eu? A minha esperança está em ti.

8 Livra-me de todas as minhas transgressões; não me faças o opróbrio dos loucos.

9 Emudeci; não abro a minha boca, porquanto tu o fizeste.

10 Tira de sobre mim a tua praga; estou desfalecido pelo golpe da tua mão.

11 Quando castigas o homem, com repreensões por causa da iniqüidade, fazes com que a sua beleza se consuma como a traça; assim todo homem é vaidade. (Selá.)

12 Ouve, Senhor, a minha oração, e inclina os teus ouvidos ao meu clamor; não te cales perante as minhas lágrimas, porque sou um estrangeiro contigo e peregrino, como todos os meus pais.

13 Poupa-me, até que tome alento, antes que me vá, e não seja mais.

1 Magistro chori, Idithun. PSALMUS. David.

2 Dixi: " Custodiam vias meas,ut non delinquam in lingua mea;ponam ori meo custodiam,donec consistit peccator adversum me ".

3 Tacens obmutui et silui absque ullo bono,et dolor meus renovatus est.

4 Concaluit cor meum intra me,et in meditatione mea exarsit ignis.

5 Locutus sum in lingua mea: Notum fac mihi, Domine, finem meum;et numerum dierum meorum quis est,ut sciam quam brevis sit vita mea ".

6 Ecce paucorum palmorum fecisti dies meos,et spatium vitae meae tamquam nihilum ante te.Etenim universa vanitas omnis homo constitutus est.

7 Etenim ut imago pertransit homo.Etenim vanitas est et concitatur;thesaurizat et ignorat quis congregabit ea.

8 Et nunc quae est exspectatio mea, Domine?Spes mea apud te est.

9 Ab omnibus iniquitatibus meis erue me,opprobrium insipienti ne ponas me.

10 Obmutui et non aperiam os meum,quoniam tu fecisti.

11 Amove a me plagas tuas:ab ictu manus tuae ego defeci.

12 In increpationibus, propter iniquitatem, corripuisti hominem,et tabescere fecisti, sicut tinea, desiderabilia eius.Etenim vanitas omnis homo.

13 Exaudi orationem meam, Domine,et clamorem meum auribus percipe.Ad lacrimas meas ne obsurdescas,quoniam advena ego sum apud te,peregrinus sicut omnes patres mei.

14 Avertere a me, ut refrigerer,priusquam abeam et non sim amplius.