Salmos 16

1 Guarda-me, ó Deus, porque em ti confio.

2 A minha alma disse ao Senhor: Tu és o meu Senhor, a minha bondade não chega à tua presença,

3 Mas aos santos que estão na terra, e aos ilustres em quem está todo o meu prazer.

4 As dores se multiplicarão àqueles que fazem oferendas a outro deus; eu não oferecerei as suas libações de sangue, nem tomarei os seus nomes nos meus lábios.

5 O Senhor é a porção da minha herança e do meu cálice; tu sustentas a minha sorte.

6 As linhas caem-me em lugares deliciosos: sim, coube-me uma formosa herança.

7 Louvarei ao Senhor que me aconselhou; até os meus rins me ensinam de noite.

8 Tenho posto o Senhor continuamente diante de mim; por isso que ele está à minha mão direita, nunca vacilarei.

9 Portanto está alegre o meu coração e se regozija a minha glória; também a minha carne repousará segura.

10 Pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção.

11 Far-me-ás ver a vereda da vida; na tua presença há fartura de alegrias; à tua mão direita há delícias perpetuamente.

1 Miktam. David.Conserva me, Deus, quoniam speravi in te.

2 Dixi Domino: " Dominus meus es tu, bonum mihi non est sine te ".

3 In sanctos, qui sunt in terra, inclitos viros,omnis voluntas mea in eos.

4 Multiplicantur dolores eorum, qui post deos alienos acceleraverunt.Non effundam libationes eorum de sanguinibusneque assumam nomina eorum in labiis meis.

5 Dominus pars hereditatis meae et calicis mei:tu es qui detines sortem meam.

6 Funes ceciderunt mihi in praeclaris;insuper et hereditas mea speciosa est mihi.

7 Benedicam Dominum, qui tribuit mihi intellectum;insuper et in noctibus erudierunt me renes mei.

8 Proponebam Dominum in conspectu meo semper;quoniam a dextris est mihi, non commovebor.

9 Propter hoc laetatum est cor meum,et exsultaverunt praecordia mea;insuper et caro mea requiescet in spe.

10 Quoniam non derelinques animam meam in infernonec dabis sanctum tuum videre corruptionem.

11 Notas mihi facies vias vitae,plenitudinem laetitiae cum vultu tuo,delectationes in dextera tua usque in finem.