Salmos 94

1 Ó Senhor Deus, a quem a vingança pertence, ó Deus, a quem a vingança pertence, mostra-te resplandecente.

2 Exalta-te, tu, que és juiz da terra; dá a paga aos soberbos.

3 Até quando os ímpios, Senhor, até quando os ímpios saltarão de prazer?

4 Até quando proferirão, e falarão coisas duras, e se gloriarão todos os que praticam a iniqüidade?

5 Reduzem a pedaços o teu povo, ó Senhor, e afligem a tua herança.

6 Matam a viúva e o estrangeiro, e ao órfão tiram a vida.

7 Contudo dizem: O Senhor não o verá; nem para isso atenderá o Deus de Jacó.

8 Atendei, ó brutais dentre o povo; e vós, loucos, quando sereis sábios?

9 Aquele que fez o ouvido não ouvirá? E o que formou o olho, não verá?

10 Aquele que argüi os gentios não castigará? E o que ensina ao homem o conhecimento, não saberá?

11 O Senhor conhece os pensamentos do homem, que são vaidade.

12 Bem-aventurado é o homem a quem tu castigas, ó Senhor, e a quem ensinas a tua lei;

13 Para lhe dares descanso dos dias maus, até que se abra a cova para o ímpio.

14 Pois o Senhor não rejeitará o seu povo, nem desamparará a sua herança.

15 Mas o juízo voltará à retidão, e segui-lo-ão todos os retos de coração.

16 Quem será por mim contra os malfeitores? Quem se porá por mim contra os que praticam a iniqüidade?

17 Se o Senhor não tivera ido em meu auxílio, a minha alma quase que teria ficado no silêncio.

18 Quando eu disse: O meu pé vacila; a tua benignidade, Senhor, me susteve.

19 Na multidão dos meus pensamentos dentro de mim, as tuas consolações recrearam a minha alma.

20 Porventura o trono de iniqüidade te acompanha, o qual forja o mal por uma lei?

21 Eles se ajuntam contra a alma do justo, e condenam o sangue inocente.

22 Mas o Senhor é a minha defesa; e o meu Deus é a rocha do meu refúgio.

23 E trará sobre eles a sua própria iniqüidade; e os destruirá na sua própria malícia; o Senhor nosso Deus os destruirá.

1 Deus ultionum, Domine,Deus ultionum, effulge.

2 Exaltare, qui iudicas terram,redde retributionem superbis.

3 Usquequo peccatores, Domine,usquequo peccatores exsultabunt?

4 Effabuntur et loquentur proterva,gloriabuntur omnes, qui operantur iniquitatem. -

5 Populum tuum, Domine, humiliantet hereditatem tuam vexant.

6 Viduam et advenam interficiuntet pupillos occidunt.

7 Et dixerunt: " Non videbit Dominus,nec intelleget Deus Iacob ".

8 Intellegite, insipientes in populo;et stulti, quando sapietis?

9 Qui plantavit aurem, non audiet,aut qui finxit oculum, non respiciet?

10 Qui corripit gentes, non arguet,qui docet hominem scientiam?

11 Dominus scit cogitationes hominum,quoniam vanae sunt.

12 Beatus homo, quem tu erudieris, Domine,et de lege tua docueris eum,

13 ut mitiges ei a diebus malis,donec fodiatur peccatori fovea.

14 Quia non repellet Dominus plebem suamet hereditatem suam non derelinquet.

15 Quia ad iustitiam revertetur iudicium,et sequentur illam omnes, qui recto sunt corde.

16 Quis consurget mihi adversus malignantes,aut quis stabit mecum adversus operantes iniquitatem?

17 Nisi quia Dominus adiuvit me,paulo minus habitasset in loco silentii anima mea.

18 Si dicebam: " Motus est pes meus ", misericordia tua, Domine, sustentabat me.

19 In multitudine sollicitudinum mearum in corde meo,consolationes tuae laetificaverunt animam meam.

20 Numquid sociabitur tibi sedes iniquitatis,quae fingit molestiam contra praeceptum?

21 Irruunt in animam iustiet sanguinem innocentem condemnant.

22 Et factus est mihi Dominus in praesidium,et Deus meus in rupem refugii mei;

23 et reddet illis iniquitatem ipsorumet in malitia eorum disperdet eos,

24 disperdet illos Dominus Deus noster.