Salmos 22

1 Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que te alongas do meu auxílio e das palavras do meu bramido?

2 Deus meu, eu clamo de dia, e tu não me ouves; de noite, e não tenho sossego.

3 Porém tu és santo, tu que habitas entre os louvores de Israel.

4 Em ti confiaram nossos pais; confiaram, e tu os livraste.

5 A ti clamaram e escaparam; em ti confiaram, e não foram confundidos.

6 Mas eu sou verme, e não homem, opróbrio dos homens e desprezado do povo.

7 Todos os que me vêem zombam de mim, estendem os lábios e meneiam a cabeça, dizendo:

8 Confiou no Senhor, que o livre; livre-o, pois nele tem prazer.

9 Mas tu és o que me tiraste do ventre; fizeste-me confiar, estando aos seios de minha mãe.

10 Sobre ti fui lançado desde a madre; tu és o meu Deus desde o ventre de minha mãe.

11 Não te alongues de mim, pois a angústia está perto, e não há quem ajude.

12 Muitos touros me cercaram; fortes touros de Basã me rodearam.

13 Abriram contra mim suas bocas, como um leão que despedaça e que ruge.

14 Como água me derramei, e todos os meus ossos se desconjuntaram; o meu coração é como cera, derreteu-se no meio das minhas entranhas.

15 A minha força se secou como um caco, e a língua se me pega ao paladar; e me puseste no pó da morte.

16 Pois me rodearam cães; o ajuntamento de malfeitores me cercou, traspassaram-me as mãos e os pés.

17 Poderia contar todos os meus ossos; eles vêem e me contemplam.

18 Repartem entre si as minhas vestes, e lançam sortes sobre a minha roupa.

19 Mas tu, Senhor, não te alongues de mim. Força minha, apressa-te em socorrer-me.

20 Livra a minha alma da espada, e a minha predileta da força do cão.

21 Salva-me da boca do leão; sim, ouviste-me, das pontas dos bois selvagens.

22 Então declararei o teu nome aos meus irmãos; louvar-te-ei no meio da congregação.

23 Vós, que temeis ao Senhor, louvai-o; todos vós, semente de Jacó, glorificai-o; e temei-o todos vós, semente de Israel.

24 Porque não desprezou nem abominou a aflição do aflito, nem escondeu dele o seu rosto; antes, quando ele clamou, o ouviu.

25 O meu louvor será de ti na grande congregação; pagarei os meus votos perante os que o temem.

26 Os mansos comerão e se fartarão; louvarão ao Senhor os que o buscam; o vosso coração viverá eternamente.

27 Todos os limites da terra se lembrarão, e se converterão ao Senhor; e todas as famílias das nações adorarão perante a tua face.

28 Porque o reino é do Senhor, e ele domina entre as nações.

29 Todos os que na terra são gordos comerão e adorarão, e todos os que descem ao pó se prostrarão perante ele; e nenhum poderá reter viva a sua alma.

30 Uma semente o servirá; será declarada ao Senhor a cada geração.

31 Chegarão e anunciarão a sua justiça ao povo que nascer, porquanto ele o fez.

1 Magistro chori. Ad modum cantici " Cerva diluculo ". PSALMUS. David.

2 Deus, Deus meus, quare me dereliquisti?Longe a salute mea verba rugitus mei.

3 Deus meus, clamo per diem, et non exaudis,et nocte, et non est requies mihi.

4 Tu autem sanctus es,qui habitas in laudibus Israel.

5 In te speraverunt patres nostri,speraverunt, et liberasti eos;

6 ad te clamaverunt et salvi facti sunt,in te speraverunt et non sunt confusi.

7 Ego autem sum vermis et non homo,opprobrium hominum et abiectio plebis.

8 Omnes videntes me deriserunt me;torquentes labia moverunt caput:

9 " Speravit in Domino: eripiat eum,salvum faciat eum, quoniam vult eum ".

10 Quoniam tu es qui extraxisti me de ventre,spes mea ad ubera matris meae.

11 In te proiectus sum ex utero,de ventre matris meae Deus meus es tu.

12 Ne longe fias a me,quoniam tribulatio proxima est,quoniam non est qui adiuvet.

13 Circumdederunt me vituli multi,tauri Basan obsederunt me.

14 Aperuerunt super me os suumsicut leo rapiens et rugiens.

15 Sicut aqua effusus sum,et dissoluta sunt omnia ossa mea.Factum est cor meum tamquam ceraliquescens in medio ventris mei.

16 Aruit tamquam testa palatum meum,et lingua mea adhaesit faucibus meis,et in pulverem mortis deduxisti me.

17 Quoniam circumdederunt me canes multi,concilium malignantium obsedit me.Foderunt manus meas et pedes meos,

18 et dinumeravi omnia ossa mea.Ipsi vero consideraverunt et inspexerunt me;

19 diviserunt sibi vestimenta meaet super vestem meam miserunt sortem.

20 Tu autem, Domine, ne elongaveris;fortitudo mea, ad adiuvandum me festina.

21 Erue a framea animam meamet de manu canis unicam meam.

22 Salva me ex ore leoniset a cornibus unicornium humilitatem meam.

23 Narrabo nomen tuum fratribus meis,in medio ecclesiae laudabo te.

24 Qui timetis Dominum, laudate eum;universum semen Iacob, glorificate eum.Metuat eum omne semen Israel,

25 quoniam non sprevit neque despexit afflictionem pauperisnec avertit faciem suam ab eoet, cum clamaret ad eum, exaudivit.

26 Apud te laus mea in ecclesia magna; vota mea reddam in conspectu timentium eum.

27 Edent pauperes et saturabuntur;et laudabunt Dominum, qui requirunt eum: Vivant corda eorum in saeculum saeculi! ".

28 Reminiscentur et convertentur ad Dominumuniversi fines terrae,et adorabunt in conspectu eiusuniversae familiae gentium.

29 Quoniam Domini est regnum,et ipse dominabitur gentium.

30 Ipsum solum adorabunt omnes, qui dormiunt in terra;in conspectu eius procident omnes, qui descendunt in pulverem.Anima autem mea illi vivet,

31 et semen meum serviet ipsi.Narrabitur de Domino generationi venturae;

32 et annuntiabunt iustitiam eiuspopulo, qui nascetur: " Haec fecit Dominus! ".